close
    search Buscar

    5 maneiras de controlar ataques de p√Ęnico

    Quem sou
    Joe Dispenza
    @joedispenza
    FONTES CONSULTADAS:

    wikipedia.org

    Coment√°rios sobre o item:

    aviso de conte√ļdo

    Muitas pessoas sofrem frequentemente de ataques de p√Ęnico. As crises de p√Ęnico s√£o de fato um dos transtornos mais comuns relacionados √† ansiedade e tendem a gerar muito estresse e forte tens√£o em quem as sofre, contribuindo para piorar sua qualidade de vida. Hoje, sugiro 5 m√©todos que podem ajud√°-lo a aprender como controlar os ataques de p√Ęnico.
    1. Isole as preocupa√ß√Ķes b√°sicasAtaques de ansiedade e p√Ęnico geralmente s√£o desencadeados por uma leve preocupa√ß√£o que se transforma em uma enorme teia de preocupa√ß√£o, que afeta nossa estabilidade emocional. Por exemplo, um ataque de p√Ęnico pode come√ßar com uma ideia negativa simples como esta: "O relat√≥rio que entreguei ontem n√£o foi muito bom, certamente os desapontar√°", mas outros pensamentos igualmente negativos seguem este pensamento: "Meu chefe me odeia... Ele n√£o vai me dar outra chance. ‚ÄĚ‚Äú Eles v√£o me despedir. ‚ÄĚEnt√£o, aos poucos, ideias se entrela√ßam e come√ßam a aumentar nossa ansiedade para terminar com um ataque de p√Ęnico total. Obviamente, se em vez de nos deixarmos dominar por essa teia de ideias negativas, pararmos na primeira ideia e a neutralizarmos, ficaremos mais calmos e o ataque de p√Ęnico n√£o vir√°.
    2. N√£o se envolva na situa√ß√£oQuando as crian√ßas t√™m um acesso de raiva, o que elas realmente procuram √© a aten√ß√£o de um adulto. Portanto, a pior estrat√©gia √© repreend√™-los ou confort√°-los, pois assim estamos dando o que eles queriam: aten√ß√£o. Portanto, √© muito prov√°vel que da pr√≥xima vez eles voltem a usar essa t√©cnica. No entanto, se em vez de prestar aten√ß√£o neles ignorarmos seu comportamento, ele desaparecer√° por conta pr√≥pria.bem, quando estamos √† beira de um ataque de p√Ęnico, o c√©rebro age como uma crian√ßa prestes a ter um acesso de raiva. Se come√ßarmos a pensar na situa√ß√£o que causou esses sentimentos, corremos o risco de piorar a situa√ß√£o. Por outro lado, se optarmos por ignorar o que nos incomoda, a ansiedade provavelmente come√ßar√° a diminuir. Na verdade, v√°rios estudos observaram que em pessoas que sofrem de ataques de p√Ęnico h√° uma anormalidade nos padr√Ķes normais de processamento emocional. eles suprimem facilmente emo√ß√Ķes negativas. Portanto, quanto mais voc√™ busca, mais a am√≠gdala (o centro do medo) √© ativada, potencializando os pensamentos cada vez mais negativos e a conseq√ľente rea√ß√£o fisiol√≥gica a eles.3. N√£o superestime a amea√ßa tamb√©m subestimar suas habilidadesOs ataques de p√Ęnico sempre aparecem na presen√ßa de uma amea√ßa potencial, mas n√£o uma amea√ßa realmente importante, mas sim em face de um exagero do perigo. Acrescente a isso que muitas vezes subestimamos nossa capacidade de lidar com essa amea√ßa, e isso resulta em um ataque de p√Ęnico; no entanto, se f√īssemos capazes de perceber as amea√ßas com seu grau real de perigo e nos sentimos capazes de enfrent√°-las, certamente nossos n√≠veis de ansiedade seria muito menor. Portanto, sempre que perceber uma amea√ßa, voc√™ deve se perguntar se ela √© realmente t√£o perigosa quanto voc√™ pensa. Al√©m disso, √© preciso sempre pensar que muitas pessoas j√° enfrentaram situa√ß√Ķes semelhantes a esta para que tamb√©m possamos faz√™-lo.
    4. Deixe sua mente descansarVoc√™ j√° tentou evitar todas as situa√ß√Ķes que causam ansiedade? Voc√™ praticou todos os exerc√≠cios que conhece para evitar ataques de p√Ęnico? Voc√™ j√° tentou considerar as amea√ßas como algo natural? Apesar de todos esses esfor√ßos, voc√™ ainda tem ataques de p√Ęnico frequentes? Se a resposta for sim, ent√£o √© hora de descansar e dar um tempo para retomar o tratamento nos pr√≥ximos dias. Um dos estudos psicol√≥gicos mais famosos foi feito na d√©cada de 80 e envolvia pedir √†s pessoas que parassem. Pense em " um urso branco ". Se essa condi√ß√£o n√£o tivesse sido imposta a eles, talvez ningu√©m tivesse pensado no urso, mas definiu o estudo com base nisso, o pensamento do urso era recorrente. √Äs vezes, quando tentamos evitar uma ideia, ela acaba se fortalecendo, ent√£o √© melhor fazer uma pausa para relaxar.
    5. Aprenda a viver com a ansiedadeCostumamos nos sentir ansiosos diante das diferentes situa√ß√Ķes do dia a dia. Geralmente tentamos evitar essas situa√ß√Ķes, porque apenas imagin√°-las nos deixa desconfort√°veis, como se estiv√©ssemos amea√ßados. Por√©m, voc√™ j√° se perguntou o que aconteceria se nos acostumamos com essas situa√ß√Ķes, se as transform√°ssemos em algo comum? Muito provavelmente nos adaptar√≠amos e o medo desapareceria, pois deixar√≠amos de considerar essas situa√ß√Ķes como amea√ßadoras. Isso pode parecer loucura, mas √© apenas o come√ßo de uma das t√©cnicas de terapia cognitivo-comportamental mais eficazes para eliminar fobias: a dessensibiliza√ß√£o sistem√°tica. Em ess√™ncia, trata-se de se acostumar a situa√ß√Ķes que causam ansiedade at√© voc√™ perceber que n√£o s√£o perigosas.
    Adicione um coment√°rio a partir de 5 maneiras de controlar ataques de p√Ęnico
    Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.