Pessoas hipócritas: as mil faces da falsidade

Pessoas hip√≥critas t√™m uma face p√ļblica e outra privada. Eles usam m√°scaras diferentes dependendo da situa√ß√£o. Eles fingem ser o que n√£o s√£o para receber aprova√ß√£o social.

Os relacionamentos com uma pessoa falsa costumam ser complicados porque nunca temos certeza do que ela realmente pensa ou sente. E ele provavelmente n√£o tem escr√ļpulos em nos manipular para atingir seus objetivos.

Pessoa hipócrita: definição

A hipocrisia √© a inconsist√™ncia entre o que √© dito e o que √© feito, ou entre o que √© pensado e sentido e o que √© exteriorizado. √Č uma forma de ocultar ou reprimir os verdadeiros desejos, pensamentos e emo√ß√Ķes para se adaptar √†s expectativas do ambiente.



Na verdade, a palavra hipocrisia deriva do grego hupokrisis que significa ‚Äúpalco‚ÄĚ. Nesse contexto, um hip√≥crita, ou hupokrit√©s, era simplesmente um ator, algu√©m que fingia ser outra pessoa no palco.

Mas talvez a melhor definição de hipocrisia venha do político americano Adlai E. Stevenson, que disse: "Um hipócrita é o tipo de pessoa que derrubaria uma sequoia, construiria um palco e então faria um discurso sobre conservação da natureza."

√Č verdade que, como seres sociais, todos vivemos um conflito entre nossos interesses e os dos outros. Nem sempre √© poss√≠vel combinar nossos desejos com os dos outros. Para resolver esse conflito sem desistir do ego e sem criar atrito social excessivo, desenvolvemos v√°rias estrat√©gias mais ou menos assertivas que nos permitem combinar interesses p√ļblicos e privados.

Mas h√° pessoas que n√£o desenvolveram essas estrat√©gias, mas preferem esconder o que pensam ou sentem. N√£o s√£o pessoas dependentes ou submissas, mas usam a hipocrisia para atingir seus objetivos, mesmo que no final seja uma estrat√©gia inadequada que cria uma disson√Ęncia profunda entre comportamento e emo√ß√Ķes, cren√ßas e ideias.



Como desmascarar uma pessoa falsa? Os 5 comportamentos de pessoas hipócritas

  1. Eles est√£o sempre prontos para punir algu√©m. Seus "elevados" padr√Ķes morais os levam a apontar o dedo acusador para algu√©m e n√£o √© incomum que humilhem publicamente os outros. √Č uma estrat√©gia de compensa√ß√£o por meio da qual tentam focar a aten√ß√£o nos alegados erros, fragilidades ou defici√™ncias do outro para que as pessoas ao seu redor n√£o percebam suas discrep√Ęncias e / ou hipocrisia.
  2. Eles t√™m uma aura de superioridade moral. Pessoas hip√≥critas geralmente est√£o em algum lugar entre o narcisismo e a superioridade intelectual. Eles costumam ser v√≠timas do efeito Dunning-Kruger, ent√£o sua arrog√Ęncia pode nos fazer sentir inferiores e imaturos ao nos relacionarmos com eles.
  3. As regras nunca se aplicam a eles. Existem regras e regulamentos, mas eles se aplicam apenas a outros. Os hipócritas acreditam que, por terem um senso inato de lei e moral, estão acima da lei e não são obrigados a obedecê-la.
  4. Eles nunca s√£o os culpados, eles sempre t√™m uma desculpa √† m√£o. Pessoas hip√≥critas n√£o reconhecem suas discrep√Ęncias e erros, mesmo que sejam muito √≥bvios. Essas pessoas n√£o se desculpam nem admitem sua responsabilidade, mas recorrem continuamente a desculpas. Para eles, as circunst√Ęncias s√£o sempre um fator atenuante.
  5. Fa√ßa o que eu digo, n√£o o que eu fa√ßo. Essa pode ser a m√°xima dos hip√≥critas. Suas a√ß√Ķes quase nunca coincidem com suas palavras ou sua atitude com seus valores reais. Isso ocorre porque sua principal motiva√ß√£o √© ter uma boa apar√™ncia na frente dos outros e obter o m√°ximo benef√≠cio.

As 3 estratégias que pessoas hipócritas e falsas usam

  1. Duplicidade moral. Pessoas hip√≥critas que continuamente citam raz√Ķes irrepreens√≠veis, mas que na verdade n√£o agem de acordo com elas. Por exemplo, uma pessoa pode falar continuamente sobre a import√Ęncia de ajudar os outros, mas quando se depara com algu√©m que precisa de ajuda, ela olha para o outro lado. Ou elogia valores como a fidelidade e a import√Ęncia de falar a verdade, mas depois √© infiel ao parceiro.
  2. Padr√Ķes morais duplos. Pessoas falsas e negligentes quando se trata de julgar a si mesmas, mas que aplicam um padr√£o moral estrito aos outros. Por exemplo, ficam zangados se um motorista n√£o para em frente a uma faixa de pedestres, mas quando est√£o atr√°s do volante fazem o mesmo, recorrem a desculpas para explicar por que n√£o pararam. Eles veem o cisco nos olhos dos outros, mas n√£o a viga nos olhos deles.
  3. Fraqueza moral. Pessoas em conflito com suas atitudes devido √† disson√Ęncia cognitiva. Por exemplo, uma pessoa pode falar sobre a import√Ęncia de ir votar, mas n√£o participa no dia da elei√ß√£o. Neste caso falta autocontrole, a pessoa acredita realmente no que diz, mas na hora de coloc√°-lo em pr√°tica n√£o tem a for√ßa de vontade necess√°ria, mesmo que n√£o se atreva a reconhec√™-lo publicamente e continue a dar moral li√ß√Ķes.

Por que as pessoas são tão hipócritas?

Provavelmente, voc√™ encontrar√° mais de um hip√≥crita em seu ambiente. E tamb√©m √© prov√°vel que voc√™ se pergunte como √© poss√≠vel que voc√™ n√£o perceba a inconsist√™ncia entre suas palavras e a√ß√Ķes.



A explica√ß√£o para esse fen√īmeno vem da psic√≥loga Patricia Linville, que trabalhava na Universidade de Yale e cunhou o termo "autocomplexidade" em meados da d√©cada de 80. Sua hip√≥tese √© que quanto menos complexa for a representa√ß√£o cognitiva do ego, mais extremas ser√£o as flutua√ß√Ķes no humor e nas atitudes da pessoa.

Em outras palavras, algumas pessoas tendem a se perceber de uma perspectiva muito limitada, por exemplo, elas se definem por meio dos pap√©is que desempenham, por isso pensam que s√£o uma "m√£e sacrificial" ou um "gerente de sucesso". O problema √© que ter uma defini√ß√£o t√£o limitada de n√≥s mesmos nos torna psicologicamente mais inst√°veis ‚Äč‚Äče nos impede de enfrentar as contradi√ß√Ķes inerentes √† complexidade da personalidade e do ambiente.

Para entender melhor esse fen√īmeno, podemos dar uma olhada em um experimento realizado na Universidade de Miami. Esses psic√≥logos pediram a estudantes universit√°rios que avaliassem a import√Ęncia das habilidades de estudo. Posteriormente, eles pediram que lembrassem de todas as vezes em que haviam negligenciado o estudo, a fim de desmascarar a poss√≠vel hipocrisia por tr√°s das primeiras respostas.

Curiosamente, ent√£o, os alunos que tinham menos autocomplexidade eram mais propensos a mudar suas primeiras opini√Ķes; ou seja, retificaram indicando que, afinal, o estudo n√£o era t√£o importante.

Isso pode explicar por que algumas pessoas dizem uma coisa e fazem outra. Seus coment√°rios v√™m de uma representa√ß√£o do self que √© completamente separada do self agindo em outras circunst√Ęncias. Na pr√°tica, as pessoas hip√≥critas apenas tentam manter a identidade que constru√≠ram imune, separando suas palavras de suas a√ß√Ķes.

No caso dos políticos, por exemplo, é normal que eles mantenham um discurso ligado ao seu "ego político" enquanto fazem algo diametralmente oposto em seu "ego empresarial" ou "família". Dessa forma, eles são capazes de salvar seus diferentes 'eus', porque não são capazes de integrá-los.



Esses estudos indicam que muitas pessoas s√£o hip√≥critas sem perceber. Na verdade, muitas vezes, quando os confrontamos com suas contradi√ß√Ķes, eles n√£o as reconhecem e se escondem atr√°s de desculpas.

√Č claro que nem todas as pessoas vivem nesse estado de "ignor√Ęncia hip√≥crita". Existem tamb√©m aqueles que aprendem a explorar a hipocrisia, especialmente quando percebem que seguir certas id√©ias n√£o √© pr√°tico nem ben√©fico. Essas pessoas n√£o t√™m nenhum problema em proclamar algo e fazer exatamente o contr√°rio, se acharem que √© mais conveniente. Mas eles n√£o v√£o reconhecer abertamente sua hipocrisia porque √© muito doloroso e seria um golpe severo para o seu "eu", ent√£o eles v√£o argumentar que foram movidos pelas circunst√Ęncias.

Por que as pessoas hipócritas nos incomodam tanto?

A resposta, ou pelo menos parte dela, vem de um estudo realizado na Universidade de Yale. Esses psic√≥logos descobriram que o que mais nos incomoda nas pessoas hip√≥critas n√£o √© a inconsist√™ncia entre suas palavras e suas a√ß√Ķes, mas que suas afirma√ß√Ķes morais s√£o falsas e afirmam ser mais virtuosas do que elas.

Basicamente, n√£o gostamos de hip√≥critas porque eles nos decepcionam. Na verdade, foi demonstrado que tendemos a acreditar e preferir afirma√ß√Ķes ou afirma√ß√Ķes morais que envolvem um certo grau de generaliza√ß√£o para explicar comportamentos. Por exemplo, se uma pessoa abandona um projeto, preferimos a explica√ß√£o "n√£o faz sentido desperdi√ßar mais energia" em vez de "N√£o quero desperdi√ßar mais energia". Portanto, quando descobrimos a verdade, nos sentimos mais decepcionados e enganados.

Isso significa que, de certa forma, tamb√©m n√≥s contribu√≠mos para a hipocrisia que persiste na sociedade. Na verdade, em algumas situa√ß√Ķes, pode ser que tamb√©m n√≥s tenhamos nos comportado de maneira hip√≥crita para tentar dar uma imagem melhor de n√≥s mesmos.

Como lidar com pessoas hipócritas?

A melhor forma de combater a hipocrisia √© ser aut√™ntico e entender que muitas contradi√ß√Ķes coexistem dentro de cada um de n√≥s. Todos n√≥s podemos nos comportar de forma hip√≥crita em algumas situa√ß√Ķes, mas h√° uma linha importante entre o n√≠vel de hipocrisia social e toler√°vel e a hipocrisia intoler√°vel que visa dar li√ß√Ķes morais. N√£o precisamos atender √†s expectativas dos outros, nem precisamos nos tornar pregadores da moralidade. S√≥ temos que viver e deixar viver.

  1. Escute isto. Embora a primeira rea√ß√£o √†s cr√≠ticas de um hip√≥crita seja ficar na defensiva, a coisa mais inteligente √© se acalmar e ouvir. Talvez suas palavras venham de uma preocupa√ß√£o genu√≠na por n√≥s. √Č por isso que devemos aprender a separar o joio do trigo e, se sua ideia for valiosa, podemos aceit√°-la. Se n√£o for, sempre temos a op√ß√£o de ignor√°-lo.
  2. N√£o o ataque. Acusar diretamente uma pessoa hip√≥crita de n√£o praticar o que ela prega √© in√ļtil, pois ir√° gerar uma rea√ß√£o defensiva. Muito provavelmente, a pessoa responder√° com um contra-ataque, caindo em uma discuss√£o sem sentido para descobrir quem √© o menos farisaico dos dois. Portanto, por mais que suas palavras o incomodem, n√£o perca a paci√™ncia e n√£o o ataque. Lembre-se de que quem quer que o deixe com raiva o controla.
  3. N√£o se sinta culpado. O hip√≥crita provavelmente far√° voc√™ se sentir culpado por n√£o ser capaz o suficiente. Se voc√™ conhece as raz√Ķes do seu comportamento, √© importante manter a perspectiva e n√£o se sentir culpado. Lembre-se de que, afinal, s√≥ o que voc√™ d√° muita import√Ęncia pode te machucar.
  4. Esclare√ßa a conversa. Freq√ľentemente, os hip√≥critas saem dos trilhos, fazem um discurso geral e vago em que todos s√£o culpados e pecadores, mas n√£o apontam o dedo acusador para ningu√©m em particular. Se voc√™ acha que ele est√° se referindo a voc√™ em seu discurso, pergunte-lhe se √© esse o caso. Muitas vezes, pedir esclarecimentos sobre suas palavras √© o suficiente para acabar com sua atitude.
  5. Defina seus limites. Se o hipócrita está cruzando os limites, não hesite em dizer a ele claramente. Você pode dizer a ele que não aceita conversas morais ou censuras imerecidas que o façam sentir-se mal. Fale com calma e firmeza. Se a pessoa hipócrita perceber que sua fala não afeta você, mais cedo ou mais tarde ela o deixará em paz.

Adicione um comentário do Pessoas hipócritas: as mil faces da falsidade
Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.