O segredo dos jogadores de xadrez em jogos simultâneos

Quem teve a sorte de assistir a uma partida simultânea de xadrez certamente se surpreenderá com a velocidade do jogo que os grandes mestres exibem. Enquanto os mais jovens e inexperientes devem pensar cuidadosa e lentamente, analisar o próximo movimento e, mesmo assim, perder o jogo de qualquer maneira; os grandes mestres passam de uma mesa a outra com velocidade impressionante, bastando um segundo para se concentrar no jogo e visualizar a próxima jogada. Como isso é possível? Os mestres do xadrez, assim como os músicos, possuem uma memória prodigiosa; eles são capazes de memorizar a maioria das posições das peças em várias mesas com apenas um olhar. Por outro lado, os iniciantes só conseguem se lembrar de certas posições de seu jogo. Porém, tudo muda quando as peças do jogo são dispostas de forma aleatória, a memória de ambas é semelhante. Por quê? Porque os grandes mestres do xadrez memorizam o jogo em grandes unidades significativas e isso permite que eles expandam sua memória de trabalho para armazenar mais posições. Em outras palavras, seria como armazenar informações em um arquivo compactado que, desta forma, deixa mais espaço para permitir a coleta de uma quantidade maior de informações. É claro que, quando as peças são colocadas em ordem arbitrária, essas grandes unidades significativas não podem se consolidar, de modo que a memória é influenciada e forçada a memorizar as posições uma a uma. Como você adquire essa habilidade? Os grandes mestres gastaram entre 10.000 e 20.000 horas apenas estudando as posições. Se fizermos um cálculo rápido, seria o equivalente a 10 anos de estudo com média, mais ou menos, de 30 horas semanais. Portanto, não é estranho que eles desenvolvam essa memória prodigiosa. Mas as repercussões desse treinamento não param por aí. Jogadores de xadrez experientes organizam toda a sua memória usando padrões maiores apoiados por princípios significativos, e isso torna mais fácil para eles acessá-la rapidamente. Vejamos um exemplo simples: se terminarmos de escrever um artigo sobre esquizofrenia e o colocarmos em uma pasta com nosso nome, que contém todas as nossas informações, provavelmente quando precisarmos novamente será difícil encontrá-lo entre todas as informações que nós tenho. Pelo contrário, se o mantivermos em uma pasta com o título: Psicologia Clínica e dentro de uma subpasta chamada Transtornos Psiquiátricos, da próxima vez que o procurarmos será muito mais fácil encontrá-lo, pois seguiremos um caminho lógico sem tendo que forçar a memória. A memória de jogadores de xadrez e músicos funciona de forma semelhante, enquanto a nossa é um pouco mais desorganizada. Este é um dos motivos pelos quais os grandes mestres conseguem fazer um jogo em tão pouco tempo, a forma como armazenam as informações das posições permite abstrair dos detalhes, conhecer as semelhanças, chegar ao essencial e determinar as jogadas que eles são realmente importantes. Ao mesmo tempo, a prática permite que esse processo seja cada vez mais automatizado, de modo que grande parte dos recursos de atenção sejam liberados, os quais a pessoa pode assim dedicar a qualquer inconveniente ou novidade que possa surgir durante o jogo.



Adicione um comentário do O segredo dos jogadores de xadrez em jogos simultâneos
Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.