close
    search Buscar

    Medo do julgamento dos outros. Entenda e livre-se disso

    Quem sou
    Robert Maurer
    @robertmaurer
    FONTES CONSULTADAS:

    wikipedia.org

    Coment√°rios sobre o item:

    aviso de conte√ļdo


    O medo do julgamento dos outros está marcado em nosso DNA. Neste artigo, você entenderá seus mecanismos e encontrará dicas práticas para se livrar dele de uma vez por todas.

     

    O livro "Como tratar os outros e fazer amigos‚ÄĚPor Dale Carnegie √© um dos manuais de crescimento pessoal mais vendidos nos √ļltimos 100 anos (15 milh√Ķes de c√≥pias). Este best-seller tamb√©m foi meu primeiro livro de desenvolvimento pessoal: se eu n√£o o tivesse lido, GetPersonalGrowth provavelmente n√£o existiria hoje. Por que este t√≠tulo teve tanto sucesso e continua subindo nas paradas mais de 75 anos ap√≥s seu lan√ßamento?



    Ser amado e aceito por quem nos rodeia √© uma das necessidades humanas essenciais: na famosa Pir√Ęmide de Maslow, a necessidade de pertencer est√° ainda no terceiro degrau, logo a seguir √† necessidade de seguran√ßa (sa√ļde, trabalho, etc.). Essa necessidade √© t√£o importante que um dos temores mais difundidos √© precisamente o medo do julgamento dos outros. Temos medo de n√£o ser aceitos por causa de nossa apar√™ncia f√≠sica, nossas origens, nosso n√≠vel de educa√ß√£o, nosso trabalho, nossa idade, etc. Cada um de n√≥s tem medo de ser julgado por um aspecto e n√£o por outro, mas na base de tudo est√° o medo da humilha√ß√£o, da exclus√£o do grupo, da marginaliza√ß√£o.

    Esse medo, comum a quase todos, em alguns pode até se transformar em fobia, a fobia social (ou ansiedade social): "um determinado estado de ansiedade em que o contato com outras pessoas é marcado pelo medo de ser mal julgado e pelo medo de se comportar de maneira constrangedora e humilhante". (Fonte Wikipedia).

    Neste post gostaria de falar com você sobre o medo comum de sofrer o julgamento dos outros:


    1. Qual é sua origem (o primeiro passo para derrotar um medo é conhecê-lo).
    2. Porquê você tem que se livrar dele o mais rápido possível (ou pelo menos você tem que aprender a mantê-lo sob controle).
    3. Como você pode se livrar disso.

    Descubra como surgiu o medo do julgamento dos outros

    Antes mesmo de Maslow, o antigo fil√≥sofo grego Arist√≥teles afirmava que ... o homem √© um animal social, ou seja, por sua natureza tende a se agregar a outros indiv√≠duos e a formar uma sociedade. As raz√Ķes para este "impulso" social que tem caracterizado a hist√≥ria humana por mil√™nios podem ser encontradas na nossa. processo evolutivo.


    De acordo com os princ√≠pios da psicologia evolucionista, nossos medos (e nossas emo√ß√Ķes em geral) nada mais s√£o do que as respostas que nosso c√©rebro elaborou ao longo dos mil√™nios para se adaptar ao ambiente circundante. Especificamente, no Paleol√≠tico, aqueles que viviam em um grupo de ca√ßadores e coletores tinham uma probabilidade muito maior de sobreviv√™ncia do que os "lobos solit√°rios". Somente gra√ßas √† especializa√ß√£o dos indiv√≠duos e sua coordena√ß√£o, um grupo de humanos poderia ter uma chance razo√°vel de sobreviver em um ambiente hostil, no qual ca√ßava para se alimentar e ao mesmo tempo tentava n√£o ser ca√ßado para alimentar outros predadores. Nesse contexto, quem foi mal julgado corre o risco de ser exclu√≠do do grupo e, muitas vezes, resulta em morte prematura.

    Nossos ancestrais ficaram, portanto, apavorados com a ideia de serem mal avaliados pelos outros membros do grupo: isso poderia acontecer se voc√™ n√£o cumprisse seu dever durante as viagens de ca√ßa, se voc√™ fosse contra as conven√ß√Ķes sociais ou se falasse em conflito aberto com os l√≠der. Na verdade, neste contexto, outro medo ancestral nosso tamb√©m se desenvolveu: o medo de falar em p√ļblico (se voc√™ estiver interessado, encontre conselhos pr√°ticos para super√°-lo em questo p√≥s).


    Esse medo de nos expor, de aparecer diferente, de não ser aceito, ficou marcado em nosso DNA. Espero que a compreensão de sua origem o ajude a ver esse seu medo com novos olhos. Mas a consciência não é suficiente. Vamos ver o segundo movimento para nos livrar do medo do julgamento dos outros.

    Entenda a import√Ęncia de se livrar deles

    Hoje podemos e devemos nos libertar do medo constante do julgamento dos outros. Claro, sentir-se aceito continua sendo uma necessidade essencial para nós, mas a nossa não vai mais embora sopravvivenza: alguém te julga mal por suas escolhas e pelo que você diz? Quem se importa! Ele não é seu companheiro de caça: perdindirindina, tem supermercado aberto 24 horas por dia!


    Não podemos enfrentar os desafios de uma sociedade moderna, que dá espaço a medos ancestrais de dezenas de milhares de anos: é hora de evoluir. Não somente. No momento, continuar a temer o julgamento dos outros pode se tornar ainda mais perigoso do que aceitar as consequências de não ser aceito.

    "Estamos com tanto medo de ser julgados que encontramos qualquer desculpa para procrastinar."

    Erica Young.

    Voc√™ j√° pensou que se n√£o est√° vivendo seus sonhos hoje √© porque em algum momento de sua jornada voc√™ estava com medo de fazer uma escolha? Voc√™ teve medo de que perseguir seu sonho na gaveta n√£o fosse compreendido ou aceito por aqueles ao seu redor? Voc√™ estava com medo de que pegar a estrada menos percorrida e se encontrar talvez diante de um beco sem sa√≠da teria sido um fracasso para voc√™ do qual voc√™ nunca se recuperaria?


    O medo (e entre estes o medo do julgamento dos outros) √© um dos 4 raz√Ķes pelas quais procrastinamos e muitas vezes procrastinamos precisamente aquelas escolhas mais importantes para nossa vida, as escolhas que nos permitiriam viver nossos sonhos na gaveta. Bem, quero te contar um segredo: os sonhos que ficam na gaveta d√£o forma.

    Livrar-se do medo do julgamento alheio é sacudir uma mochila cheia de pedras, um fardo que retarda todas as nossas escolhas, mas acima de tudo retarda a corrida para o nosso ideal de sucesso. Agir prontamente, assumindo riscos calculados, muitas vezes é essencial para atingir nossos objetivos. Se você olha ao redor com medo antes de agir ou dizer qualquer palavra, como você, mesmo remotamente, acha que pode aspirar a objetivos ambiciosos?

    Voc√™ sabe qual √© 5 maiores arrependimentos dos doentes terminais? N√£o ter vivido sua vida plenamente e se encontrar perseguindo as aspira√ß√Ķes dos outros (pais, amigos, sociedade em geral) para o resto da vida. Quer mesmo chegar aos seus √ļltimos dias de vida e sentir o arrependimento de n√£o fazer o que amava, por medo de que algu√©m discordasse?


    Espero que compreender a import√Ęncia de se libertar do medo constante dos julgamentos dos outros o ajude finalmente a se desbloquear e a trilhar o caminho dos sonhos com determina√ß√£o. Mas a motiva√ß√£o n√£o √© suficiente. Vamos ver o terceiro e √ļltimo movimento em nosso minicurso de "libera√ß√£o".

    Aprenda como parar de se sentir julgado

    "Nada e ninguém pode fazer você se sentir inferior, a menos que você permita."

    E. Roosevelt.

    Esta citação de Eleanor Roosevelt captura a essência de como superar o medo do julgamento dos outros. A chave está dentro de nós. Tento lhe fazer uma pergunta muito simples: você tem certeza de que os outros não têm nada melhor a fazer o tempo todo do que julgá-lo? Não é talvez, e eu digo talvez, que é você um julgue a si mesmo? ...

    Muitas vezes projetamos nos outros o que está acontecendo em nossa mente: a verdade é que a grande maioria das pessoas, felizmente, não se importa com nossas escolhas, como nos vestimos e como nos comportamos. Você sabe por que essas pessoas não têm tempo para se dedicar a isso? Porque, por sua vez, eles estão muito preocupados com o medo de serem julgados!

    Sim, claro, você sempre encontrará o clássico "destruidor de mundos dos zebedeus" que passa seus dias julgando as escolhas dos outros, mas você sabe o que eles dizem ...

    "Aqueles que fazem julgamentos não definem os outros, mas a si próprios."

    Em resumo, temer o julgamento dos outros significa, na verdade, temer o próprio julgamento. Então, como superar esse medo na prática?

    • Pare de ser o Sr. Perfeito. Se voc√™ teme constantemente que os outros o julguem, talvez voc√™ tenha padr√Ķes um pouco elevados (irrealistas). N√£o √© por acaso que o perfeccionista do DOC continua a trabalhar em seus pr√≥prios rascunhos sem parar: ele tem medo que os outros considerem seu trabalho n√£o adequado. Se voc√™ quiser ficar sem o v√≠rus do perfeccionismo, recomendo que siga estes 3 regras simples.
    • Pare de tentar agradar a todos. N√£o importa o quanto voc√™ tente, n√£o importa o quanto voc√™ busque a aprova√ß√£o dos outros, por mais que voc√™ possa fazer tudo certo, eu garanto que ainda haver√° um idiota que n√£o gostar√° de voc√™, algu√©m que ir√° julg√°-lo como falso, quem n√£o estar√° certo. de acordo com suas teses logicamente indiscut√≠veis. Lide com isso. Digo isso por experi√™ncia pr√≥pria: nos √ļltimos anos, recebi algo em torno de 22.000 coment√°rios. 99% desses coment√°rios foram contribui√ß√Ķes de valor ou certificados de agradecimento. Adivinhe quais coment√°rios eu costumava gastar mais tempo do que o necess√°rio? Exatamente! 1% dos coment√°rios cr√≠ticos. Todos n√≥s fazemos, mas lembre-se: cada grama de energia que voc√™ dedica a esses "trolls existenciais" √© uma on√ßa de energia (e um segundo de sua vida) a menos que voc√™ pode dedicar ao seu crescimento pessoal e √†s pessoas que realmente se importam com o seu trabalho e sua opini√£o. Nem todo mundo gosta de voc√™: supere isso.
    • Pare de desempenhar um papel. Pegue 100 pessoas e posso garantir que pelo menos 90 desempenham um papel muito espec√≠fico: a ovelha branca ou a ovelha negra. As ovelhas brancas tentam se adaptar √† multid√£o, subir na carruagem dos vencedores e evitar se expor. As ovelhas negras, por outro lado, s√£o as alternativas, elas querem e precisam se sentir diferentes das outras, geralmente amam a pol√™mica e se op√Ķem aos bastianos. Ambos os grupos temem o julgamento dos outros: as ovelhas brancas temem ser consideradas diferentes; as ovelhas negras temem nunca ser consideradas diferentes o suficiente. Na realidade, eles s√£o as duas faces da mesma moeda. No entanto, existe uma minoria de pessoas que decidiu n√£o desempenhar nenhum papel, simplesmente decidiram seguir o caminho da autenticidade e n√£o se importam com o que os outros pensam. Quando foi a √ļltima vez que voc√™ seguiu suas prefer√™ncias reais, sem a influ√™ncia de nada ou de ningu√©m? Quando foi a √ļltima vez que voc√™ fez algo que realmente queria fazer? Quando foi a √ļltima vez que voc√™ viveu autenticamente?

    Este √ļltimo ponto √© essencial para realmente nos libertarmos do medo do julgamento dos outros e para recuperar a autoconfian√ßa. Mas o que significa seguir o caminho da autenticidade? Quem j√° leu APP - Autoestima passo a passo, deve conhecer o Princ√≠pio de Autenticidade muito bem agora. Respeit√°-lo significa essencialmente que:

    "Nosso senhas eles devem seguir os nossos pensamentos e nossa a√ß√Ķes eles devem seguir nossas palavras. "

    Bem, se voc√™ n√£o vai se lembrar de mais nada deste post, tente lembrar pelo menos este princ√≠pio: seguir diariamente √© a √ļnica maneira segura de parar de ser julgado, parar de julgar a n√≥s mesmos e recuperar nossa autoestima.

    Adicione um coment√°rio do Medo do julgamento dos outros. Entenda e livre-se disso
    Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.