Vício em pornografia

Vício em pornografia

A pornografia aumentou com a chegada de novas tecnologias. A fácil acessibilidade, comodidade e anonimato favoreceram um aumento exponencial do seu consumo, consequentemente também a dependência do mesmo.

Vício em pornografia

Última atualização: 29 de janeiro de 2022

A maioria de n√≥s agora usa a internet rotineiramente como fonte prim√°ria de informa√ß√£o, bem como meio de comunica√ß√£o e socializa√ß√£o. Ao longo da √ļltima d√©cada, o uso de pornografia na internet tornou-se um fen√īmeno popular (Mayer, 2011), na medida em que falar em alguns casos de v√≠cio em pornografia.



A maioria das pessoas usa pornografia para se divertir, no entanto, para alguns se transforma em um hábito que gera dependência e comportamento fora de controle (Gola, 2016), o que pode acabar gerando um vício em pornografia.

Falamos de pornografia referindo-se ao material audiovisual que apresenta explicitamente atividades sexuais e genitais com o objetivo de excitar o espectador. A chegada de novas tecnologias trouxe consigo um aumento na visualiza√ß√£o deste material e, por vezes, o consequente v√≠cio em porn√≥grafosa, pois acess√°-lo √© muito mais f√°cil, r√°pido e aparentemente an√īnimo.

Segundo Joyce (2008), regular o acesso √† pornografia na web provou ser uma tarefa particularmente dif√≠cil para os legisladores das comunidades internacionais. Isso se deve em grande parte √† sua natureza inconstante e ao meio eletr√īnico em que reside, que est√° em constante mudan√ßa.

“Reza a lenda que cada nova tecnologia foi usada pela primeira vez por motivos relacionados a sexo ou pornografia. Este parece ser o caminho da humanidade."

-Tim Berners-Lee-

Vamos explorar o tema da pornografia

Peter e Valkenbur (2010) definem pornografia como material sexualmente explícito produzido profissionalmente, cujo objetivo é excitar sexualmente o espectador.

Pessoas viciadas em pornografia podem passar longos períodos vendo imagens, vídeos e outros materiais pornográficos, que é o que pode gerar um estado de isolamento social, além de causar depressão profunda, neurose e mudanças de humor imprevisíveis.

O consumo de pornografia online é tão difundido na sociedade ocidental que muitas crianças começam a usá-lo por volta dos 10 anos. Embora não pareça ser um grande problema, foi demonstrado que abuso pode causar efeitos nocivos para o cérebro.

N√£o h√° perfil do usu√°rio t√≠pico; √© um costume generalizado que pode ter um aspecto positivo (para certas comunidades, para pessoas com habilidades sociais reduzidas, para completar a vida sexual) e um aspecto negativo (depend√™ncia, perda de controle, problemas de casal e fam√≠lia). Aparentemente as complica√ß√Ķes s√£o poucas.

A pornografia na Internet permite o voyeurismo, a visualização de qualquer prática, o uso de modelos reais não profissionais e a espionagem de nossos hábitos por meio de códigos IP. Essas atividades sexuais online parecem ser alimentadas por alta acessibilidade e anonimato.

"Os vícios chegam como passageiros, visitam-nos como hóspedes e permanecem como mestres"

-Conf√ļcio-

Quando podemos falar sobre o vício em pornografia?

A pessoa viciada em pornografia degenera gradualmente e tenta praticar tudo o que vê, como no caso de Teb Bundy (Michaud e Aynesworth, 2022); pessoas viciadas que não têm parceiro podem ter dificuldade em se relacionar com pessoas do sexo oposto; eles podem apresentar depressão aguda, culpa e isolamento social.

Normalmente é muito difícil reconhecer o vício, a ponto de justificar e esconder o comportamento, dificultando a ajuda de um profissional.

Ao perceber que o parceiro não adota as mesmas atitudes dos atores no palco, a pessoa viciada em pornografia pode ficar tão decepcionada que não sente mais satisfação no relacionamento íntimo.

De acordo com pesquisa realizada por Velasco, A. e Gil, V (2017), concluiu-se que v√≠cio em pornografia pode causar problemas f√≠sicos e psicol√≥gicos compar√°veis ‚Äč‚Äčaos derivados do consumo de coca√≠na, maconha e outras subst√Ęncias psicoativas.

Existe uma estratégia para combater esse vício?

Aqui estão algumas técnicas que podem ajudar a prevenir e combater o vício em pornografia, especialmente em adolescentes:

  • Evite ouvir e visualizar conte√ļdo sexualmente expl√≠cito em meios audiovisuais (internet, r√°dio, televis√£o, telefone‚Ķ).
  • Restrinja-osAcesso √† internet dentro de casa (instalando programas anti-pornogr√°ficos em computadores e telefones celulares).
  • Fa√ßa-os fazer atividade esportiva ou recreativa.
  • Mantenha um vida social e espiritual ativa.
  • Em casos extremos, procure ajuda de um psicoterapeuta ou a um especialista com experi√™ncia em v√≠cios sexuais.

De qualquer forma, a primeira medida aconselhável para resolver o problema do vício em pornografia é procurar a ajuda de um profissional (psicólogo ou psicoterapeuta). Este será o melhor método para uma solução real para o problema.

Adicione um comentário do Vício em pornografia
Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.