close
    search Buscar

    Você está sacrificando muito pelo seu parceiro?

    Quem sou
    Robert Maurer
    @robertmaurer
    FONTES CONSULTADAS:

    wikipedia.org

    Comentários sobre o item:

    aviso de conteúdo

    Manter um relacionamento de casal às vezes significa fazer sacrifícios e concessões. Freqüentemente, temos que dar um passo para trás, limitar nossa liberdade de decidir em dois. Afinal, isso é normal, se exigirmos um compromisso, devemos estar dispostos a nos comprometer; na verdade, para manter um relacionamento ao longo do tempo, cada um deve estar disposto a se sacrificar pelo outro. Vários estudos mostraram que os casais mais felizes e mais duradouros são aqueles que dependem do sacrifício mútuo. Quando há amor, ceder ao outro não é nem um sacrifício, mas um prazer. Faz com que nos sintamos melhor com nós mesmos, mas também é normal que, na hora de sacrificar, surjam algumas dúvidas. Por que devo fazer isso? Auto-sacrifício significa abrir mão do que você quer e de sua essência? Você também pode estar se perguntando se deve sacrificar seu parceiro por você, e o sacrifício também inclui uma questão de poder. Se apenas um dos dois se sacrificar, isso criará um desequilíbrio muito prejudicial para o relacionamento que, a longo prazo, criará infelicidade e ressentimento. Portanto, mesmo que os sacrifícios possam ser úteis e permitir a consolidação da relação conjugal, é preciso saber quais são os limites.

    7 perguntas para se perguntar antes de se sacrificar por seu parceiro

    1. Quão comprometido você está? É essa pessoa com quem você quer passar o resto da vida ou ainda tem dúvidas? O compromisso é um precursor do sacrifício. Para que um grande sacrifício valha a pena, você precisa ter certeza de que está investindo em um relacionamento que tem futuro. Claro, nada no amor é 100% certo, mas o sacrifício é mais aceitável quando nos ajuda a nos aproximar da pessoa com quem queremos passar o resto de nossa vida.
    2. Seu parceiro está disposto a fazer o mesmo por você? O sacrifício é uma medalha de dois lados: quando você decide desistir de algo pelo seu parceiro, ele deve decidir se está disposto a se sacrificar por você. Portanto, antes de mergulhar, é importante que você se pergunte se seu parceiro estaria disposto a fazer o mesmo, pelo menos no futuro. Se essa pessoa não está disposta a se comprometer e investir no relacionamento, talvez seu sacrifício não faça sentido.
    3. Você compartilha da mesma perspectiva? Quando uma situação exige sacrifício, os resultados obtidos geralmente não beneficiam ambos os parceiros. A prática é que um ganha muito e o outro perde alguma coisa. Portanto, antes de mergulhar, você precisa ter certeza de que ambos têm as mesmas prioridades e os mesmos interesses. Não faria muito sentido abrir mão de um emprego estável e se mudar para outro país por uma pessoa que não tem certeza se deseja manter um relacionamento estável, por exemplo.
    4. Seu parceiro sabe que isso é um sacrifício? Não há necessidade de falar constantemente sobre o sacrifício que você está disposto a fazer, mas é importante que seu parceiro saiba que você se comprometeu a sacrificar algo importante pelo relacionamento. Na verdade, quando um dos parceiros precisa se perder e se sacrificar, o reconhecimento do outro torna a situação mais suportável. Porém, você deve sempre ter em mente que não se trata de transformar o relacionamento em um relacionamento de negócios onde a moeda é o sacrifício.
    5. Existe uma solução melhor? Às vezes, ter que desistir de algo que representa um sonho ou ao qual estamos apegados há anos e que nos dá segurança não é uma perspectiva agradável. Portanto, antes de desistir dessas coisas, é desejável perguntar a ambos se há uma solução pela qual nenhum de nós deve desistir excessivamente. Às vezes, basta abrir um pouco a mente e olhar para fora, entre as soluções convencionais, para encontrar uma solução que seja menos dolorosa emocionalmente, ou menos cara, para cada parceiro.
    6. Pode ser tratada? O sacrifício não deve ser imposto, deve vir espontaneamente. Isso significa que se a pessoa tomar a decisão e colocar a outra contra a parede, não haverá espaço para negociação. Essa pessoa simplesmente não levou em consideração sua opinião, desejos e necessidades. Todo sacrifício, em um relacionamento, deve ter o consentimento de ambos, deve haver espaço para negociação, pois de certa forma quem mais se beneficiará compensa o outro pela perda. Vale lembrar que o sacrifício não deve ser transformado em moeda de troca porque só gera ressentimento, mas deve ser encontrado um meio-termo que faça a ambos felizes.
    7. O que o motiva? Esta é a pergunta mais importante, porque nos sacrificamos continuamente por vários motivos, mas nem todos nos fazem felizes. Você está cedendo para deixar seu parceiro feliz e salvar o relacionamento ou apenas para evitar conflitos? Verificou-se que os sacrifícios feitos apenas para evitar problemas resultam, em última análise, em grave insatisfação. Por outro lado, os sacrifícios feitos para ajudar a solidificar o relacionamento são mais eficazes. Mais cedo ou mais tarde, todos os relacionamentos exigem sacrifícios, mas não temos que desistir ou ceder sem pensar primeiro. É importante considerar os prós e os contras, manter um canal claro de comunicação com seu parceiro, fazer a nós mesmos as perguntas mais difíceis e, o mais importante, certificar-nos de que estamos nos sacrificando pelos motivos certos. Existem sacrifícios que geram felicidade, mas existem outros que são apenas grandes erros.
    Adicione um comentário do Você está sacrificando muito pelo seu parceiro?
    Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.