Diga-me quem são seus amigos e eu lhe direi quem você é

Diga-me quem são seus amigos e eu lhe direi quem você é

Você admira as pessoas com quem passa mais tempo? A atitude dos que nos rodeiam influencia a nossa forma de ser. Vamos ver como.

Diga-me quem são seus amigos e eu lhe direi quem você é

Última atualização: 16 de junho de 2022

Pense nas cinco pessoas com quem você mais se relaciona, com quem você passa mais tempo. Como eles vivem? Como eles pensam? Eles são corajosos ao tomar decisões? Eles estão tentando realizar seus sonhos? Eles são empáticos? Sou capaz de cometer erros e aprender com eles? Diga-me quem são seus amigos e eu lhe direi quem você é.



Segundo o palestrante Jim Rohn, cada pessoa é a média das cinco pessoas mais próximas em sua vida. Em outras palavras, eles nos influenciam a ponto de acabarmos nos parecendo com eles tanto na forma como nos comportamos e agimos na vida quanto nos valores e pensamentos.

A influência das pessoas ao nosso redor

Muitas vezes nos parecemos com aqueles que nos rodeiam. 

À primeira vista, pode parecer absurdo. “Eu não sou como meu irmão”, “meu parceiro e eu somos muito diferentes”.

Não somos cópias exatas das pessoas com quem nos importamos. Mesmo assim, analisando seus traços de personalidade, hábitos saudáveis ​​ou não, formas de se expressar ou até mesmo de se vestir, acabaremos encontrando uma ampla gama de semelhanças que talvez não tenhamos percebido até agora.

O pensador e escritor americano Jim Rohn disse que tendemos a parecer com as pessoas ao nosso redor. Se fizermos uma lista de gostos, interesses, hobbies, costumes, conhecimentos ou habilidades, descobriremos que somos um reflexo das pessoas com quem passamos a maior parte do tempo.


Por sua vez, também temos alguma influência sobre os outros. Há algo sobre nós em cada pessoa que nos rodeia, seja temperamento, preferências musicais ou a forma como lidamos com os problemas.


O psicólogo David McClelland, conhecido por sua teoria das necessidades e motivação, descobriu após extensa pesquisa que 95% dos nossos sucessos e fracassos estão ligados à pessoa mais querida para nós.

Por exemplo, somos mais propensos a ser fisicamente ativos se nossos familiares treinarem com frequência ou a beber álcool se nosso círculo de amigos o fizer. Parece lógico, certo?

Grupos de associação

O fenômeno se repete: tendemos a imitar nosso parceiro ou amigos. Os grupos a que pertencem são fundamentais para a formação da identidade pessoal. Todos nós precisamos sentir que pertencemos a uma comunidade ou grupo. Assim nos sentimos confortáveis ​​e aceitos.

Identificamo-nos e nos sentimos aceitos pelos grupos (formais ou informais) aos quais pertencemos a partir de um sentimento de solidariedade com nossos semelhantes.

Ao mesmo tempo, muitas vezes pensamos em ter que mudar para pertencer a um grupo. Assim, adotamos aspectos ou qualidades dos membros do grupo com o objetivo final de integrar.

O que os outros fazem, pensam, rejeitam ou celebram, consciente ou inconscientemente, afeta nossas vidas. A essa altura, o título do artigo "diga-me quem são seus amigos e eu direi quem você é" parece fazer mais sentido. O nível de bem-estar em termos gerais é influenciado positiva ou negativamente por amigos, familiares e colegas estude ou trabalhe.

Somos como esponjas: absorvemos a energia que nos rodeia. Se nosso ambiente estiver de bom humor na maior parte do tempo, pois se alegra e se concentra nas coisas agradáveis ​​da vida, será mais fácil nos sentirmos felizes.


O mesmo aconteceria ao contrário: cercados de rabugentos e miseráveis, será difícil continuarmos sorrindo.


Diga-me quem são seus amigos

Independentemente de o contato ser físico ou virtual, as pessoas que mais nos influenciam serão aquelas com quem passaremos os momentos mais significativos.

Considerando o exposto, seria aconselhável ter mais cuidado na escolha das pessoas que queremos nos juntar. Não se trata de nos distanciarmos de todos aqueles que não admiramos ao máximo ou nos tornamos eremitas, mas de estarmos atentos às relações que estabelecemos e mantemos ao longo do tempo. Nós nos alimentamos deles


Perguntemo-nos se nos apoiam ou nos limitam, se nos sentimos livres na sua companhia ou se tendemos a reprimir emoções e pensamentos. Se eles estão orgulhosos ou envergonhados de nós.

Analisamos o círculo mais estreito e avaliamos se isso nos torna mais fácil alcançar nossos objetivos. Podemos escolher intencionalmente nos cercar de pessoas que nos impulsionam a sermos melhores. Que laços queremos continuar a cultivar? Com que tipo de pessoas gostaríamos de nos relacionar a partir de agora?

Adicione um comentário do Diga-me quem são seus amigos e eu lhe direi quem você é
Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.

End of content

No more pages to load