Inteligência emocional: 9 perguntas

Inteligência emocional: 9 perguntas

Inteligência emocional: 9 perguntas

Escrito e verificado pelo psicólogo GetPersonalGrowth.

Última atualização: 14 de dezembro de 2021

Aristóteles disse que qualquer um pode ficar com raiva, pois é uma coisa muito simples. No entanto, ficar com raiva da pessoa certa, no grau certo, na hora certa, com o propósito certo e da maneira certa é realmente difícil. Tudo reside na inteligência emocional.

Falamos sobre o manejo adequado de nossas emo√ß√Ķes e muitos outros dist√ļrbios dos quais somos frequentemente pegos.



No entanto, será que realmente sabemos do que estamos falando? Com este artigo, queremos esclarecer alguns conceitos típicos da inteligência emocional e refletir sobre o assunto.

Inteligencia emocional

1. O que é inteligência emocional?

Ser emocionalmente inteligente significa estar motivado para tudo, ter autoestima elevada ou otimismo excessivo? A resposta é não. No entanto, à luz da leitura desse conceito por algumas pessoas, ser emocionalmente inteligente significa ter esse conjunto muito colorido de atributos.

Repete-se constantemente como √© importante aumentar a autoestima, a intelig√™ncia emocional, o autoconceito, etc. Em √ļltima an√°lise, por√©m, sabemos apenas que existem muitas habilidades que devemos adquirir, mas n√£o sabemos como alcan√ß√°-las ou como elas se relacionam umas com as outras.

Isso se deve muitas vezes ao desconhecimento do conceito de inteligência emocional; é uma capacidade (como argumentam Salovey e Mayer) ou um conjunto de características que devemos possuir e nos esforçar para desenvolver como facetas da personalidade, motivação e emoção (como acredita Goleman)?

2. Considere a inteligência emocional como um conjunto de características

Esta √ļltima defini√ß√£o, que √© a mais difundida, tem a desvantagem de "for√ßar" a pessoa a se tornar um ser "totalmente emocional", o que n√£o diferencia suas habilidades emocionais de empatia, perseveran√ßa, otimismo, motiva√ß√£o...


Esta perspectiva permite-nos, portanto, delinear o ser humano de uma forma muito global: a partir da forma como nos relacionamos com as nossas emo√ß√Ķes, temos uma personalidade ou outra? Gostar√≠amos que eles pensassem isso sobre n√≥s? Obviamente n√£o e este √© o primeiro ponto que cria confus√£o.


Se pudermos entender e criticar esse ponto, evitaremos a confus√£o ou confus√£o de conselhos e diretrizes para sermos mais emocionalmente inteligentes que n√£o sabemos como internalizar. Em √ļltima an√°lise, trata-se de torn√°-lo nosso em sua totalidade para alcan√ßar uma certa estabilidade emocional.

Por essas e outras raz√Ķes, parece que √© mais desej√°vel entender a intelig√™ncia emocional do ponto de vista da Salovey e Mayer, ou seja: ‚ÄúA intelig√™ncia emocional envolve a capacidade de perceber, avaliar e expressar uma emo√ß√£o; a capacidade de acessar sentimentos e/ou cri√°-los quando facilitam os pensamentos; a capacidade de compreender a emo√ß√£o e o conhecimento emocional; a capacidade de regular as emo√ß√Ķes para promover o crescimento emocional e intelectual".

3. Por que esse termo se espalhou tanto nos √ļltimos anos?

A sociedade est√° "acordando" porque pesquisadores, formadores e a m√≠dia colocaram √™nfase no conceito de intelig√™ncia emocional, o que permitiu que ela alcan√ßasse todo o mundo e permeia uma empresa tradicionalmente acostumada a castigar as emo√ß√Ķes.

Tendemos a pensar que sentir emo√ß√Ķes nos torna menos eficazes, fortes e capazes quando temos que tomar decis√Ķes e passar por nossas vidas. Sentimos, como aprendemos, que n√£o h√° superioridade moral da raz√£o em rela√ß√£o √†s emo√ß√Ķes. Na verdade, essa divis√£o √© fict√≠cia, pois n√£o √© poss√≠vel separar emo√ß√Ķes, pensamentos e sentimentos.


4. Que papel as emo√ß√Ķes desempenham em nossa vida di√°ria?

As emo√ß√Ķes desempenham um papel essencial. Simplesmente n√£o podemos conceber uma vida ap√°tica. Desde quando nos levantamos at√© dormir, as emo√ß√Ķes s√£o a base de todas as nossas atitudes. Se refletirmos por um momento, percebemos que nem mesmo os sonhos s√£o sem emo√ß√£o, na verdade muitas vezes s√≥ conseguimos lembrar das sensa√ß√Ķes que eles nos causaram.


Pode-se dizer que sentimos tanto quanto pensamos e que qualquer situa√ß√£o gera uma emo√ß√£o em n√≥s. Isso afeta o que projetamos para os outros, as decis√Ķes que tomamos, os caminhos que percorremos...

5. Que erros costumamos cometer?

Normalmente cometemos o erro de rejeitar as emo√ß√Ķes negativas, pois s√£o dolorosas ou irritantes. Rejeit√°-los significa ignor√°-los e culpar os outros quando os experimentam. Isso acontece muito visivelmente com uma crian√ßa fazendo birra e muitas vezes dizemos frases como "n√£o chore", "voc√™ est√° exagerando", transmitindo assim a mensagem de que "pessoas fortes n√£o choram nem desabam"

6. As emo√ß√Ķes como tristeza e raiva s√£o saud√°veis?

Sim. Esta afirma√ß√£o pode ser desconcertante, mas devemos perceber que emo√ß√Ķes negativas como tristeza e raiva n√£o s√£o insalubres, especialmente se nos apresentarem uma miss√£o espec√≠fica.


Reprimir emo√ß√Ķes nunca √© bom. Toda emo√ß√£o tem algo a nos dizer e, na realidade, n√£o podemos esconder. Para esclarecer este ponto, vamos dar um exemplo bem esclarecedor: uma pessoa al√©rgica ao p√≥ nunca conseguir√° esconder o p√≥ debaixo do tapete acreditando que n√£o causar√° nenhum sintoma.

7. Quais s√£o as consequ√™ncias de n√£o entender nossas emo√ß√Ķes?

N√£o extrair corretamente as informa√ß√Ķes que nos s√£o fornecidas pelo nosso sistema emocional significa cometer erros em nossas decis√Ķes e considera√ß√Ķes. N√£o nos conhecendo, nos rejeitando, nos reprimindo e at√© nos punindo.

Le as emo√ß√Ķes est√£o presentes em todos os momentos, portanto, quanto mais apropriadas forem nossas estrat√©gias, mais ativos e decisivos seremos. Nosso bem-estar geral depende de nossa sa√ļde psicol√≥gica e f√≠sica.

8. Qual √© o papel das emo√ß√Ķes no local de trabalho?

O mundo do trabalho est√° mudando. N√£o somos julgados apenas por qu√£o ‚Äúinteligentes‚ÄĚ somos academicamente ou com base em nosso treinamento e experi√™ncia, mas tamb√©m em como nos relacionamos conosco e com os outros. Em outras palavras, o uso que fazemos da intelig√™ncia emocional.


Nosso desempenho depende em grande parte da maneira como gerenciamos nossas emo√ß√Ķes e as dos outros. √Č isso que Goleman, o pai popularizador da intelig√™ncia emocional, identifica com as habilidades emocionais. Por determinar flexibilidade e adapta√ß√£o ao local de trabalho, ser emocionalmente inteligente garante maior sucesso do que a habilidade tradicionalmente definida como "intelig√™ncia".

9. Que aspectos permanecem sem solução em relação a esta questão?

Ainda temos muito a aprender, por exemplo, que nossas crian√ßas, adolescentes e jovens precisam receber da escola uma educa√ß√£o emocional de qualidade. Para que uma verdadeira revolu√ß√£o ocorra, n√≥s, adultos, tamb√©m devemos nos prestar a reaprender a compreender e administrar nossas emo√ß√Ķes. Consequentemente, √© muito importante falar sobre o universo emocional na m√≠dia, nas propagandas, etc.

Adicione um comentário do Inteligência emocional: 9 perguntas
Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.