Tipos de amor: quantos existem?

Tipos de amor: quantos existem?

A antropóloga Hellen Fisher explica que o amor pode se manifestar de diferentes formas. Mas quantos tipos de amor existem?

Tipos de amor: quantos existem?

Última atualização: 13 de novembro de 2022

Para responder, tomaremos como refer√™ncia a teoria desenvolvida h√° mais de duas d√©cadas pela antrop√≥loga Hellen Fisher, cuja pesquisa ainda est√° em andamento e n√£o deixa de nos surpreender. Nesta foto, parece que tr√™s sistemas cerebrais que d√£o origem a tantos tipos diferentes de amor. Estamos falando do desejo sexual, do amor rom√Ęntico e do apego profundo.



Comparado ao amor rom√Ęntico, parecemos ser capazes de sentir interesse e atra√ß√£o por mais de uma pessoa ao mesmo tempo. Isso √© gra√ßas √† neurobiologia do amor. Portanto, √© importante saber como esse coquetel de horm√īnios nos afeta para entender melhor nossas "flutua√ß√Ķes emocionais".

Isso nos dá muitas diretrizes para entender a origem dessa luta que às vezes travamos entre o que queremos e o que achamos melhor para nós. A teoria dos diferentes tipos de amor ajuda-nos a transformar algumas das falhas que nos assombram como sombras e a compreender quem amamos, como amamos e por que amamos.

O impulso sexual, o primeiro dos três tipos de amor

Afeta tanto homens quanto mulheres. Estamos √† procura de gratifica√ß√£o sexual despretensiosa para o futuro. Quando algu√©m nos atrai sexualmente, desenvolve-se um processo completamente f√≠sico e psicol√≥gico. H√° um aumento da press√£o arterial sist√≥lica, liberamos a√ß√ļcares e gorduras e aumenta a produ√ß√£o de gl√≥bulos vermelhos. Al√©m disso, importantes altera√ß√Ķes neuronais e hormonais entram em jogo.

Esse desejo √© uma necessidade t√£o primordial quanto a fome e a sede. Origina-se no hipot√°lamo, o √≥rg√£o que controla os comportamentos mais b√°sicos. O c√©rebro, nesta fase, produz principalmente dopamina, endorfinas, adrenalina e noradrenalina. Este √ļltimo √© respons√°vel pela nossa atra√ß√£o por certas pessoas. Nubla nosso julgamento e aumenta a toler√Ęncia ao risco para satisfazer nossos desejos.



Amor rom√Ęntico

Hoje sabemos que o amor rom√Ęntico n√£o √© uma emo√ß√£o. Pelo contr√°rio, √© um impulso, um impulso. Na verdade, √© um dos impulsos mais poderosos do ser humano e que nos faz querer ver ou estar com uma determinada pessoa e s√≥ com ela. Tem o mesmo efeito no c√©rebro que subst√Ęncias como a coca√≠na e produz atividade na √°rea tegmental ventral e no n√ļcleo caudado.

Ambas as √°reas est√£o ligadas ao sistema b√°sico de recompensa e motiva√ß√£o. Vamos falar sobre o c√©rebro reptiliano. A mesma combina√ß√£o qu√≠mica √© produzida como viciados em drogas, especialmente no que diz respeito aos n√≠veis de dopamina. Al√©m disso, h√° uma √°rea do c√©rebro que fica desativada nessa condi√ß√£o de amor rom√Ęntico: uma parte da am√≠gdala associada ao medo. Por isso, talvez, se diga que "o amor √© cego".

Gra√ßas a v√°rias pesquisas, observou-se que quando experimentamos um sentimento de rejei√ß√£o, a atividade do sistema de recompensa no n√ļcleo accumbens continua, como acontece com os comportamentos aditivos. Al√©m disso, h√° atividade no c√≥rtex orbitofrontal lateral, associada a pensamentos obsessivos, e no c√≥rtex insular, associada √† dor f√≠sica.

Tal como acontece com o impulso sexual, os mecanismos ativados pelo amor rom√Ęntico aplicam-se tanto a homens quanto a mulheres, embora algumas diferen√ßas tenham sido encontradas no amor rom√Ęntico. Nos homens, um maior n√ļmero de √°reas associadas √† integra√ß√£o de est√≠mulos visuais s√£o ativados, enquanto nas mulheres s√£o ativadas principalmente as √°reas respons√°veis ‚Äč‚Äčpela mem√≥ria.

Profundo vínculo ou afeto

Ocorre como resultado da estabiliza√ß√£o da explos√£o qu√≠mica no c√©rebro, produzida pelo amor rom√Ęntico. Parece ser orientado a trazer o relacionamento do casal para um projeto de longo prazo.


Nesse estado, os n√≠veis de testosterona nos homens diminuem e nas mulheres aumentam. Isso parece facilitar a coexist√™ncia. √Č ativado o p√°lido ventral, uma √°rea do c√©rebro associada √† sensa√ß√£o de conforto e prazer, resultando em sentimentos de calma e estabilidade.



Para n√£o se confundir com os 3 tipos de amor

Em suma, é possível dormir uma noite com profundo afeto e apego à pessoa ao nosso lado, assim como pode acontecer que nossa mente divague, loucamente apaixonada por outra pessoa, e até sinta atração puramente sexual por uma pessoa. terceira pessoa. Ou seja, os três amores poderiam ocorrer ao mesmo tempo, mas em direção a objetos de desejo diferentes.

As teorias do Dr. Fisher foram acusadas de serem reducionistas em alguns aspectos, mas n√£o h√° d√ļvida do valor da reflex√£o que nos convidam a fazer. Gra√ßas a essas pesquisas, conhecemos melhor a associa√ß√£o entre nosso organismo e nossa vida emocional. Se formos capazes de compreender esses processos e seu funcionamento, pode ser mais f√°cil para n√≥s colocar nossas ideias em ordem, saber o lugar que cada pessoa ocupa em nossa vida e por que; e administrar nossas inclina√ß√Ķes mais instintivas para n√£o deix√°-las controlar nossas vidas ser√°.


Adicione um coment√°rio do Tipos de amor: quantos existem?
Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.

End of content

No more pages to load