Não se esqueça das tarefas pendentes

Não se esqueça das tarefas pendentes

Esquecer é um fenômeno comum e muitas vezes joga contra nós. O que podemos fazer para não esquecer as atividades pendentes?

Não se esqueça das tarefas pendentes

Última atualização: 07 de julho de 2022

O cérebro é uma rede complexa de interconexões que permite realizar com sucesso tarefas muito complexas; graças a ela podemos adquirir e desenvolver novos conhecimentos, aprender uma nova arte ou construir máquinas que nos levem à lua. No entanto, o seu funcionamento não é perfeito e por vezes compromete erros que podem nos custar caro, como esquecer tarefas pendentes.



Neste artigo, revisaremos brevemente os fatores que nos levam a esquecer um negócio pendente e apresentaremos algumas estratégias para evitá-lo.

Esquecimento

Existem vários fatores que nos levam a esquecer algo. Dentre estes, a memória pode ser enfraquecida pela passagem do tempo, por mudanças contextuais ou por interferências.

Tempo

A passagem do tempo é um dos fatores que mais afeta nossa memória. Se examinarmos nossa experiência da vida diária, podemos ver facilmente que tendemos a esquecer informações que não revisamos com frequência.

Baddeley, Eysenck e Anderson (2010) afirmam que o esquecimento ao longo do tempo é devido ao enfraquecimento dos traços de memória.

Esta tese ainda não foi comprovada e não está isenta de críticas, razão pela qual não é aceita como causa em si, mas associada a dois outros fatores: variações contextuais e interferências.

Diferenças contextuais

As variáveis ​​contextuais podem tornar o esquecimento mais provável quando o contexto de recuperação de informações não corresponde ao contexto em que foi codificado.

Essa curva de esquecimento é baseada no fato de que os cenários mudam ao longo do tempo, de modo que os contextos de recuperação e codificação diferem muito, o que não facilita a recuperação da memória.



Interferências

Experiências se acumulam e novas memórias são formadas, o que compensa difícil acesso às informações armazenadas. Quanto mais semelhantes forem as informações, mais provável será a interferência.

Como resultado da interferência, as informações no a memória de longo prazo pode ser confundida ou mesclada com outras durante a codificação, distorcendo o interrompendo i ricordi (McLeod, 2008).

A interferência pode ser de dois tipos: retroativa (novas informações interferem com informações antigas) ou proativas (informações antigas interferem com novas informações).

Como não esquecer as atividades pendentes

Com base nas explicações que revisamos brevemente e outras ideias, algumas estratégias foram definidas para não esquecer as atividades pendentes.

1. Anote a atividade

A memória enfraquece com o tempo, então precisamos ajudá-la. Para isso, podemos anotar a tarefa a ser realizada em uma agenda ou em um post-it. Escrever não apenas nos ajuda a lembrar, mas também facilita a consolidação de informações.

2. Melhor fazer tarefas de curto prazo no local

Anotar cada pequena tarefa criará uma coluna interminável que você nem vai querer olhar. Assim, ações simples como arrume a cama, limpe a cozinha ou vá à farmácia.

3. Relaxe para não esquecer as atividades pendentes

Às vezes, estamos tão saturados com coisas para fazer que ficamos estressados ​​e não damos tempo ao cérebro para processar e codificar adequadamente as informações que queremos lembrar mais tarde.

Tire alguns segundos para relaxar, respirar e fazer uma pausa pode ser útil para não esquecer as tarefas pendentes.


Altos níveis de estresse podem afetar negativamente as faculdades cognitivas envolvidas na formação de memórias explícitas (Sandi, 2012).


4. Associações emocionais

Tendemos a lembrar melhor de eventos permeados por emoções intensas. Isso tem sido destacado em vários estudos que apoiam a ideia de que eventos emocionais são lembrados em maior extensão do que os neutros.

Sabemos que a excitação emocional afeta positivamente o desempenho da memória de longo prazo (Cahill e McGaugh, 1995; Bradley et al., 1992).

Com base no exposto, para não esquecermos as atividades pendentes, podemos associá-las a uma emoção (de preferência agradável), de forma a facilitar sua consolidação na memória.

Para este efeito, podemos pensar sobre o que queremos alcançar e vinculá-lo à tarefa em questão. Por exemplo, se tivermos que fazer uma prova de matemática, podemos associá-la ao desejo de se formar e às emoções agradáveis ​​que serão sentidas naquele momento.

5. Não misture tarefas semelhantes

Vimos que informações semelhantes tendem a produzir interferência. Quando organizamos nossa agenda de atividades pendentes, portanto, devemos buscar ao máximo não agendar duas atividades semelhantes para o mesmo dia; caso contrário, eles podem interferir uns com os outros ao tentar lembrá-los.

6. Chave de recuperação para não esquecer as atividades pendentes

Outra maneira de não esquecer as tarefas pendentes é criar várias chaves de recuperação, mas estes devem ser importantes ou significativos para nós.

“A recuperação depende do número e da qualidade dos sinais disponíveis durante o recall. Quando chaves irrelevantes são usadas, a recuperação pode falhar; o mesmo acontece quando uma chave anteriormente relevante muda ao longo do tempo” (Baddeley, Eysenck & Anderson, 2010, p. 229).


Para atingir esse objetivo, podemos definir um alarme para nos lembrar da tarefa, escreva uma nota e coloque-a em local visível, peça a alguém para nos lembrar, etc.


7. Durma bem para não esquecer das atividades pendentes

Para não esquecer as atividades pendentes, as informações devem ser devidamente codificadas e armazenadas. Esse processo de consolidação pode ser favorecido por um fator determinante: o sono.

Em pesquisa realizada por Diekelmann et al. (2013) lemos que o sono melhora a memória de perspectiva, ou seja, lembrar de fazer algo (componente potencial) e o que fazer (componente retrospectivo). Uma boa estratégia para não esquecer as atividades pendentes, portanto, é dormir bem.

8. Criptografe e recupere informações no mesmo local

Sabemos que a informação é mais facilmente lembrada quando sinais presentes durante a codificação eles também estão presentes no momento da recuperação da informação (Tulving, 1974). Com base nisso, para não esquecer as atividades pendentes é melhor tentar lembrá-las onde foram codificadas.

Por exemplo, se tivermos que enviar uma tarefa para a universidade, é melhor registrar essa informação (“tenho uma tarefa para daqui a três dias”) na sala onde você estuda e passa a maior parte do dia. Então você codificará as informações no mesmo local onde pretende recuperá-las.

Seria contraproducente tentar armazenar essas informações durante uma viagem de ônibus, por exemplo, pois não é onde você deseja recuperá-las.

9. Use despertadores e rituais para não esquecer as atividades pendentes

Além do treino mnemônico, que é sempre bom para a saúde mental, podemos contar com despertadores que lembram as tarefas que você absolutamente não deve esquecer. Assim não seremos oprimidos pela preocupação constante de esquecer algo essencial.

Outra solução é repetir certas ações. Por exemplo, toda vez que nos sentamos para estudar, podemos revisar a agenda para que nenhum compromisso seja omitido. Ao repetir essa ação, é gerada uma automação que o ajudará a lembrar de todas as atividades.

conclusões

Uma última dica para implementar essas estratégias: perdoe-se quando esquecer uma atividade. Nesta vida agitada e agitada, às vezes é normal ter algum esquecimento. Erros acontecem sempre devem ser perdoados quando o esforço está presente.

Adicione um comentário do Não se esqueça das tarefas pendentes
Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.

End of content

No more pages to load