Violência verbal: palavras que machucam

Quem sou
Robert Maurer
@robertmaurer
FONTES CONSULTADAS:

wikipedia.org

A violência verbal não deixa rastros físicos, mas os psicológicos são profundos. Uma frase, dita em um momento em que estamos particularmente vulneráveis, pode permanecer gravada em nossa mente, sendo reativada continuamente. As palavras têm um poder incrível. Eles podem nos acalmar e nos fortalecer, mas também podem nos derrubar e nos machucar.

N√£o podemos ignorar que a conviv√™ncia gera conflitos que muitas vezes nos deixam com emo√ß√Ķes na superf√≠cie. At√© certo ponto, os conflitos s√£o bons porque representam uma oportunidade de mudan√ßa. Mas quando a discuss√£o continua e as palavras tornam-se ofensivas, ocorre uma situa√ß√£o de viol√™ncia verbal. E ‚Äúa viol√™ncia, qualquer que seja a forma como se manifesta, √© sempre um fracasso‚ÄĚ, nas palavras de Jean Paul Sartre.



O que é violência verbal?

√Äs vezes, no meio de uma discuss√£o acalorada, as emo√ß√Ķes v√™m √† tona e a raiva ou frustra√ß√£o podem nos fazer dizer coisas que nos magoam. √Č compreens√≠vel que, em algumas circunst√Ęncias, percamos a paci√™ncia, mas se isso se tornar a norma, estaremos perante uma situa√ß√£o de abuso verbal.

A viol√™ncia verbal √© uma forma destrutiva de comunica√ß√£o em que uma pessoa prejudica outra. √Č um modelo de comunica√ß√£o sustentado ao longo do tempo em que, mais ou menos intencionalmente, √© exercido um abuso verbal cont√≠nuo que afeta a autoestima da v√≠tima, causando emo√ß√Ķes desagrad√°veis ‚Äč‚Äče gerando d√ļvidas sobre seu valor como pessoa.

Qual é a diferença entre abuso verbal e uma discussão acalorada?

Não é fácil distinguir um argumento acalorado de um abuso verbal. Na verdade, muitas pessoas nem mesmo têm plena consciência de que são vítimas de abuso verbal. As vítimas frequentemente subestimam o que acontece ou tentam justificar o comportamento do outro pensando coisas como "ele realmente não quis dizer o que disse".



Deve-se entender que se em uma discuss√£o acalorada um dos dois insultos humilha e / ou culpa o outro, est√° ocorrendo a agress√£o verbal. No entanto, uma situa√ß√£o espec√≠fica n√£o significa que uma din√Ęmica de abuso verbal tenha sido estabelecida na rela√ß√£o. Isso ocorre quando h√° um padr√£o recorrente; isto √©, quando gritos, insultos, amea√ßas e humilha√ß√Ķes s√£o usados ‚Äč‚Äčcontinuamente para subjugar o outro.

7 sinais de abuso verbal: além de gritos e insultos

1. Insultos e gritos

Insultos e gritos s√£o as express√Ķes mais √≥bvias de abuso verbal. Nesse caso, a pessoa levanta constantemente a voz para tentar se impor e n√£o hesita em recorrer a insultos e ofensas para tentar control√°-lo, instilando medo. Como disse o escritor John Frederick Boyes: ‚Äúa viol√™ncia na voz muitas vezes √© a morte da raz√£o na garganta‚ÄĚ.

2. Humilhação e crítica destrutiva

Existe um tipo de abuso verbal mais sutil, mas muito prejudicial: a humilhação e a crítica destrutiva. Nesse caso, a pessoa não recorre aos gritos, mas ao sarcasmo, à vergonha, aos gestos de desdém e ao desprezo para exercer o controle. Ele pode usar piadas que fazem você se sentir mal ou usar palavras e gestos que o menosprezam e / ou fazem você se sentir incompetente.

3. Acusa√ß√Ķes e culpa

Em alguns casos, o abuso verbal esconde a manipula√ß√£o. A pessoa vai fazer voc√™ se sentir culpado por todas as coisas ruins que acontecem, perdendo sua cota de responsabilidade e fazendo voc√™ sofrer. Essa pessoa n√£o hesitar√° em acus√°-lo e culp√°-lo, sempre atribuindo-lhe m√°s inten√ß√Ķes ou total incompet√™ncia.


4. Trivializar

Esse tipo de abuso verbal √© mais sutil e dif√≠cil de detectar, pois envolve minimizar suas opini√Ķes e sentimentos a ponto de fazer voc√™ se sentir completamente insignificante. Essa pessoa n√£o mostra empatia, minimizando continuamente seus problemas e at√© mesmo se recusando a enfrent√°-los.


5. Ameaças

Além das ameaças típicas através das quais uma pessoa tenta controlar seu comportamento, também existem ameaças que recorrem à chantagem emocional. Um dos exemplos mais extremos é "se você me deixar, eu me mato", mas existem muitas outras formas de ameaças e chantagens em todos os tipos de relacionamento.

6. Cosificação

Nesse caso, geralmente não há insultos ou gritos, a pessoa simplesmente te trata como se você fosse um objeto, o que significa que ela não presta atenção em você ou não atende às suas necessidades emocionais. Essa pessoa o ignora sistematicamente, fingindo que você não existe.

7. Impedir o di√°logo

Normalmente igualamos a agressão verbal a gritos e insultos, mas o silêncio também pode ser usado para ferir gravemente. Não falar com uma pessoa, com o objetivo de fazê-la se sentir mal, impedindo um diálogo que possa resolver os conflitos que existem na relação, é uma forma de violência verbal.

As consequ√™ncias da viol√™ncia verbal afetam seu c√©rebro e sua sa√ļde

O fato de gritarem conosco, nos humilharem ou ignorarem nossas necessidades emocionais acaba mudando nossa mente, c√©rebro e at√© mesmo nosso corpo. Quando uma rea√ß√£o de medo √© repetidamente desencadeada devido a um ambiente hostil, como aquele caracterizado por gritos ou frieza emocional, ocorrem rea√ß√Ķes f√≠sicas e emocionais autom√°ticas que podem causar traumas psicol√≥gicos. Na verdade, n√£o √© incomum que as v√≠timas de abuso verbal continuado sofram de depress√£o ou ansiedade.


Al√©m disso, a viol√™ncia verbal aumenta a atividade da am√≠gdala, por isso ela se torna mais reativa e nos mant√©m em um estado de constante excita√ß√£o nervosa. Tamb√©m aumenta a produ√ß√£o de horm√īnios do estresse e gera tens√£o muscular, o que significa que ter√° repercuss√Ķes negativas na nossa sa√ļde a m√©dio e longo prazo, desencadeando doen√ßas que possuem um componente psicossom√°tico.


O abuso verbal tamb√©m acaba mudando a forma como pensamos e sentimos sobre n√≥s mesmos. Isso ocorre porque as conex√Ķes neurais em nossos c√©rebros dependem muito de nossas experi√™ncias. E se essas experi√™ncias s√£o marcadas por abuso verbal, √© dif√≠cil escapar delas. Em outras palavras: se algu√©m nos faz sentir que n√£o valemos nada, provavelmente acabaremos acreditando.

Estudos relacionados à relação entre mãe e filho confirmam o que todos sabemos intuitivamente: como humanos, nos sentimos melhor quando somos amados e seguros, o que significa, entre outras coisas, receber um tratamento respeitoso.

Como parar o abuso verbal?

Se voc√™ for v√≠tima de agress√Ķes verbais, √© importante remediar o quanto antes. Interromper a viol√™ncia verbal √© um ato de autodefesa e amor pr√≥prio, porque no longo prazo essa situa√ß√£o acabar√° prejudicando profundamente sua autoestima e sa√ļde.

Estabeleça limites, linhas vermelhas que a outra pessoa não deve cruzar. Deixe-o saber que você não está disposto a aceitar certos comportamentos.

Como algumas pessoas não estão totalmente cientes do impacto de suas palavras, um bom ponto de partida é mostrar o quanto suas palavras e atitudes o magoam. Isso os tirará de sua posição egocêntrica para se colocarem em seu lugar.

Voc√™ tamb√©m pode oferecer ajuda para encontrar uma solu√ß√£o juntos. O abuso verbal pode ser um sintoma de um colapso nervoso, uma incapacidade de adotar um estilo de relacionamento mais assertivo ou at√© mesmo medo. Em √ļltima an√°lise, como disse o psic√≥logo Marshall Rosenberg: "Qualquer tipo de viol√™ncia √© o resultado de pessoas se enganando ao acreditar que sua dor √© causada por outras pessoas, pensando assim que merecem ser punidas". O importante √© que a pessoa reconhe√ßa que precisa de ajuda para lidar com conflitos e relacionamentos de forma mais construtiva e enriquecedora.

Em √ļltima inst√Ęncia, se essas estrat√©gias n√£o funcionarem, porque nem sempre est√° nas nossas m√£os mudar o outro, sempre temos a possibilidade de nos distanciarmos daquela pessoa que nos magoa.

  • 142-
Adicione um comentário do Violência verbal: palavras que machucam
Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.