Via lanches das distribuidoras das escolas

    Via lanches das distribuidoras das escolas

    por Oscar Puntel



    Um projeto de lei pede uma proibição, vamos lá distribuidores automático lanches, doces, sacos de batatas fritas. Em seu lugar: frutas frescas secas e iogurte.

    "Via o junk food, junk food de todos lugares frequentados por jovens, portanto, principalmente nas escolas: os jovens devem ser ensinados a se alimentar de forma saud√°vel e a valorizar os sabores genu√≠nos dos alimentos, n√£o os artefatos t√≠picos dos produtos pr√©-embalados ‚ÄĚ, explica. Umberto D'Ottavio, primeiro signat√°rio do texto, que em outubro ser√° analisado na Comiss√£o de Assuntos Sociais da C√Ęmara.



    OS INGREDIENTES ACUSADOS

    O ponto central da conta √© o proibi√ß√£o de administrar a menores, por meio de m√°quinas de venda autom√°tica "alimentos e bebidas contendo uma alta ingest√£o total de √Ācidos graxos saturados, De √°cidos gordos trans, de a√ß√ļcares simples de adi√ß√£o, s√≥dio, nitritos e nitratos usados ‚Äč‚Äčcomo aditivos, ado√ßantes, te√≠na, cafe√≠na, taurina e outras subst√Ęncias ". O que s√£o essas" outras subst√Ęncias "e qual √© o limite dessa" alta contribui√ß√£o ", tudo ter√° que ser estabelecido por um painel espec√≠fico de especialistas.A proibi√ß√£o afetar√° todos os locais p√ļblicos, onde a presen√ßa de menores √© esperada.



    EDUCA√á√ÉO ALIMENTAR DA PRIMEIRA INF√āNCIA

    ¬ę√Č bem sabido¬Ľ, acrescenta Umberto D'Ottavio ¬ęque as mudan√ßas no estilo de vida, como as mudan√ßas diet√©ticas, s√£o mais facilmente obtidas intervindo na inf√Ęncia e com a ajuda da escola e da fam√≠lia. As institui√ß√Ķes devem dar uma mensagem concreta e consistente com o que se prega nas confer√™ncias sobre alimenta√ß√£o saud√°vel ¬Ľ.

    A proposta come√ßa a partir de centenas de iniciativas locais desenvolvidas, √†s vezes por escolas individuais, sobre os "lanches saud√°veis" da recrea√ß√£o, com as autoridades locais envolvidas no fornecimento gratuito aos alunos. ¬ęPartimos dessas experi√™ncias √ļnicas, no entanto padronizar e estender a todos o conceito de que a alimenta√ß√£o saud√°vel deve entrar nas mochilas dos filhos, sejam eles trazidos de casa ou comprados nas m√°quinas da escola, explica Umberto D'Ottavio.



    O MUNDO DA DISTRIBUIÇÃO


    ‚ÄúJ√° conhecemos os representantes da cadeia produtiva agr√≠cola e eles ficam felizes em poder incluir seus produtos locais, como sucos de frutas, iogurte e frutas secas e frutas frescas‚ÄĚ, acrescenta D'Ottavio. ‚ÄúAinda estamos lidando com o associa√ß√£o de distribuidores, portanto, com quem gerencia as "m√°quinas de venda autom√°tica": para eles o sistema de conserva√ß√£o de produtos muito frescos √© complicado, por√©m eles mostraram disponibilidade.


    A ideia de ‚Äúbanir algo‚ÄĚ √© sempre muito forte, mas tenho certeza que ser√° encontrado um meio-termo. Trata-se de colocar no centro e concretizar de forma homog√™nea os objetivos da alimenta√ß√£o saud√°vel e do combate √† obesidade infantil em todo o pa√≠s. J√° n√£o se trata de territ√≥rios ou realidades individuais: passa a ser projeto de todos ¬Ľ.

    Agosto 25 2016

    Adicione um coment√°rio do Via lanches das distribuidoras das escolas
    Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.

    End of content

    No more pages to load