close
    search Buscar

    Triangulação narcisista: colocar uma terceira pessoa contra você

    Quem sou
    Louise Hay
    @louisehay
    FONTES CONSULTADAS:

    wikipedia.org

    Comentários sobre o item:

    aviso de conteúdo

    O seu parceiro o compara continuamente com o ex?

    Um amigo fala mal de você para excluí-lo de seu círculo de amigos?

    Seu pai / mãe virou o resto da família contra você?

    Se alguma dessas situações é familiar para você, é provável que você seja vítima de triangulação narcísica, uma forma de manipulação comum entre os narcisistas, mas não limitada a. É um jogo tóxico em que o manipulador desestabiliza sua vítima recorrendo a terceiros, uma forma sutil e destrutiva de abuso psicológico baseada na geração de confusão, a fim de exercer controle sobre a vítima.



    O que é triangulação narcísica?

    A triangulação é uma tática de manipulação indireta que envolve mais de duas pessoas. O manipulador ataca, desacredita ou abusa de sua vítima com a ajuda - geralmente inconsciente - de uma terceira pessoa. Recorre a um estilo de comunicação evasivo que inclui outra pessoa, real ou imaginária, numa relação em que deveria haver apenas duas.

    Os 3 atores da triangulação

    Na triangulação existem três atores: o manipulador, a vítima e a terceira pessoa. Cada um deles desempenha funções diferentes:

    1. O manipulador

    Ele é a pessoa que está controlando o relacionamento e, embora tenha um comportamento abusivo, é provável que se veja como uma vítima. Na verdade, muitas pessoas que recorrem à manipulação, como os narcisistas, têm uma personalidade conflituosa e atrofiada, então sua emocionalidade é mais parecida com a de uma criança do que com a de um adulto maduro.

    Portanto, não é incomum que, em sua lógica de pensamento, ele se considere uma vítima que se defende e tenta culpar a vítima real por seus atos e emoções. Essa pessoa tentará, inconscientemente, exorcizar seus demônios, projetando-os sobre sua vítima, que tentará dominar ou mesmo destruir.



    2. A terceira pessoa

    Ele é a terceira pessoa que introduz o manipulador no relacionamento para controlar sua vítima, embora também possa ser um personagem fictício criado especialmente para a ocasião. O manipulador usará as declarações dessa pessoa - reais ou fictícias - para fazer sua vítima se sentir culpada. Em alguns casos, essa pessoa também é chamada de "salvador" porque, segundo a história contada pelo manipulador, ele tem a missão de ficar ao seu lado e "salvá-lo" de sua vítima / algoz. Normalmente, a terceira pessoa também é vítima de maquinações, porque é usada pelo manipulador para atingir seus objetivos.

    Na verdade, o manipulador não terá escrúpulos em mentir para ela, envolvê-la no caos e arrastá-la para obter o que pretendia. Ele o usará para fazer o "trabalho sujo" e quando não precisar mais dele, provavelmente o deixará de lado. Geralmente são pessoas que estão muito próximas do manipulador ou que desejam obter sua aprovação, então geralmente entram em seu jogo sem oferecer muita resistência ou refletir em suas palavras e comportamento, para que não detectem inconsistências, falsidades ou injustiças. .

    3. A vítima

    É a pessoa que está sendo manipulada, que está sujeita ao abuso de poder ou às campanhas de difamação do manipulador. A princípio, é normal que ela não perceba a manipulação, pois o vínculo emocional com o manipulador a leva a justificar seu comportamento.

    É importante ter em mente que toda dinâmica relacional implica sempre uma certa “cumplicidade” entre duas pessoas, portanto a vítima também tem uma parcela de responsabilidade na manipulação, geralmente por assumir um papel passivo e submisso. É provável que num primeiro momento ela optasse - mais ou menos conscientemente - por permanecer alheia ao que estava acontecendo para manter a imagem idealizada do manipulador e não gerar novos conflitos.


    Isso não significa que ele seja o culpado pela manipulação, apenas significa que às vezes nossos mecanismos psicológicos nos pregam peças, tornando-nos mais propensos a nos tornarmos vítimas. Na verdade, as pessoas que desenvolveram apegos inseguros são mais vulneráveis ​​a cair em relacionamentos tóxicos, motivados por sua dependência emocional.


    Como a triangulação é produzida?

    Normalmente, o manipulador inicia seu jogo após um período idílico. Depois de cobrir sua vítima com atenção, amor e todos os tipos de detalhes, ele começa a retirá-los, acusando-a de ser a culpada de sua mudança. Em seguida, aparece a terceira pessoa, que pode ser um ex-parceiro com quem ele a confronta constantemente ou um amigo em comum que critica seu comportamento.

    Desse modo, o manipulador passa uma mensagem clara: você não é mais o centro da minha vida, você deixou de ser uma pessoa especial para se tornar uma pessoa tóxica que está prejudicando o relacionamento. Ele dirá que outras pessoas em seu círculo mais próximo pensam da mesma forma, especialmente se a vítima respeitar ou valorizar as pessoas a quem se refere.

    Como resultado, a vítima começará a se sentir insegura, com ciúme e menosprezada. Ele se perguntará se está se comportando corretamente e, provavelmente, para satisfazer o manipulador, se renderá aos seus desejos em uma tentativa vã de recuperar o relacionamento idílico inicial - algo que não acontecerá novamente ou acontecerá ciclicamente para voltar ao ciclo de castigo.

    As 3 táticas de triangulação

    1. Gerar ciúme

    Os manipuladores costumam recorrer à triangulação para gerar ciúme no parceiro. No início, serão conversas casuais e esporádicas sobre uma nova pessoa ou ex-parceiro, nas quais a vítima sempre perderá por não ser inteligente, gentil ou atraente o suficiente como a terceira pessoa.


    Em um relacionamento, por exemplo, o manipulador pode flertar com outra pessoa, mas então ele vai negar e fazer a vítima ficar obcecada para que possa usar seu ciúme contra ela, alegando que está exagerando, que é muito sensível e isso é oprimindo-o. Isso transforma uma reação normal e compreensível em causa de culpa.


    2. Inscrição

    Nesse caso, o manipulador recruta terceiros para se opor à vítima. Na realidade, essa tática de triangulação tem como objetivo fazer com que o máximo de pessoas apoie-o e compartilhe sua visão distorcida do que está acontecendo.

    Se o manipulador está discutindo com sua vítima sobre uma desavença, por exemplo, ele pedirá a amigos e familiares apoio para ficar ao seu lado, contra a vítima. Também é comum ele contar apenas sua versão dos acontecimentos para atrair mais torcedores.

    3. Difamação

    Essa tática de triangulação é extremamente prejudicial, pois o manipulador recruta terceiros falsificando a realidade. Não é mais uma visão limitada e egocêntrica, mas inventa coisas contra a vítima para que todos pensem que ela é o "bandido".

    Em outros casos, é provável que o manipulador diga à vítima que um amigo dela falou mal dela, fingindo estar do seu lado e até mesmo defendê-la. Ele consegue, assim, isolá-la do seu círculo mais íntimo, fingindo solidariedade e apresentando-se como o "defensor". Quando a vítima está sozinha e confia totalmente no manipulador, ele terá um tremendo poder sobre ela para conseguir o que deseja.

    Como sair da rede de triangulação?

    Sair da rede de triangulação e fechar feridas emocionais não é fácil, mas é preciso embarcar na jornada de recuperação por uma simples questão de sobrevivência psicológica. Como fazer isso?

    - Fique ciente de que você é uma pessoa única e especial

    Para sair da triangulação não é suficiente romper os laços com o manipulador, você tem que fazer um trabalho psicológico profundo para substituir as crenças não adaptativas que foram plantadas em sua mente.

    É preciso conscientizar sobre a natureza tóxica do manipulador e a realidade dos abusos sofridos. Perceber o que aconteceu não significa assumir o papel de vítima passiva e lamentar a má sorte, mas é um passo essencial para se libertar do sentimento de culpa e poder seguir em frente para sempre.

    Por outro lado, as pessoas que recorrem à triangulação se esforçam para fazer suas vítimas acreditarem que são facilmente substituíveis. Isso destrói sua auto-estima, e é por isso que as vítimas costumam ficar psicologicamente devastadas. O manipulador fez uma "lavagem cerebral" nele para acreditar que eles eram o problema, uma crença profundamente arraigada que você precisa eliminar.

    Para recuperar, você deve restaurar a identidade que o manipulador tentou destruir, apagar e depreciar. Você tem que descobrir o seu valor e entender que você é uma pessoa única. Isso envolve mergulhar dentro de si mesmo para encontrar os valores e características que o tornam especial.

    - Pare de idealizar o manipulador

    Quando o manipulador começa seu jogo apresentando uma terceira pessoa, a reação normal da vítima é o medo, o medo de perder um relacionamento significativo. O medo, entretanto, não é um bom companheiro de viagem e pode atrapalhar seu julgamento, fazendo você idealizar o manipulador.

    Em vez disso, você precisa desenvolver uma visão mais objetiva. Para conseguir isso, a prática do desapego pode ajudá-lo. Imagine o pior que poderia acontecer se esse relacionamento acabasse. Em que situação você se encontraria? O que isso mudaria? Talvez fosse difícil, mas não seria o fim do mundo. Certamente vai doer, mas apenas uma vez. Se você permanecer nesse relacionamento, sofrerá para sempre.

    - Elimine comparações desnecessárias

    Uma das estratégias do manipulador é tentar fazer sua vítima competir com a terceira pessoa e fazer com que sempre perca. Você tem que entender que não é necessário competir com ninguém. Quando alguém ama de forma saudável, não vai querer que seu ente querido tenha que competir por seu amor ou atenção.

    Considere que uma das crenças mais prejudiciais que carregamos desde a infância é que temos de competir com os outros para provar nosso valor. Essa crença permite um condicionamento tóxico e destrutivo nos relacionamentos; portanto, é provável que, mesmo que você tenha se afastado do manipulador, vocês continuem a se confrontar.

    Mas se você passar a vida enfrentando cada pessoa que encontrar, seu equilíbrio mental sofrerá muito. O confronto é um grande obstáculo no caminho da cura. A verdade é que você é uma pessoa completa, com seus pontos fortes e fracos, então você não precisa ficar se comparando com as pessoas com as quais o manipulador o triangulou, ou com qualquer outra pessoa.

    - Descubra qual parte de você facilitou a triangulação

    Tão importante quanto sair de uma situação de triangulação narcísica é evitar cair novamente em sua rede. Na verdade, não é incomum que algumas pessoas escapem de um relacionamento tóxico para cair em outro, porque os padrões psicológicos que os fizeram cair nessa teia não foram eliminados e continuam a fomentar um relacionamento viciante.

    Isso significa que se você deseja que uma mudança genuína aconteça, você precisa olhar para dentro e identificar as crenças, atitudes, expectativas e / ou necessidades que permitiram a um manipulador assumir o controle da situação. Não se trata de se culpar, mas de assumir uma atitude madura e compreender quais pontos cegos psicológicos o manipulador tocou, para que você possa fortalecê-los e nunca mais cair nesse tipo de relacionamento.

    • 52-
    Adicione um comentário do Triangulação narcisista: colocar uma terceira pessoa contra você
    Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.