close
    search Buscar

    Tolerância ao estresse, a habilidade mais importante que você precisa desenvolver na vida

    Quem sou
    Robert Maurer
    @robertmaurer
    FONTES CONSULTADAS:

    wikipedia.org

    Comentários sobre o item:

    aviso de conteúdo

    Ao longo de nossas vidas, passamos por muitas situações estressantes que podem gerar um alto nível de angústia e ansiedade. No entanto, muitas vezes não estamos no controle das circunstâncias, de modo que não temos escolha a não ser exercer a última de nossas liberdades: a capacidade de escolher a atitude com que enfrentaremos as adversidades.

    Quando as coisas dão errado e os problemas, tensões e conflitos se acumulam, existe uma habilidade chave que nos salvará da angústia e do sofrimento: a tolerância ao estresse.


    O que é tolerância ao estresse?

    A tolerância ao estresse é a capacidade de suportar a pressão e o esforço sem quebrar, mantendo um nível eficaz de funcionamento e um grau mínimo de ansiedade em condições que para a maioria das pessoas seriam estressantes ou opressoras.


    Tolerar o estresse não significa estar imune às adversidades, é uma habilidade muito mais complexa. Por um lado, envolve o enfrentamento da angústia e ansiedade geradas por situações estressantes e adversas. É, portanto, uma capacidade que nos permite suportar estados emocionais negativos ou aversivos, como desconforto físico ou pressão psicológica, sem entrar em colapso.

    Por outro lado, a tolerância ao estresse também implica resistir a estados internos angustiantes causados ​​por algum tipo de evento estressante ou negativo. Isso significa que podemos manter um nível básico de funcionamento que nos permite lidar com eventos estressantes de forma adaptativa, evitando que emoções negativas interfiram muito em nosso desempenho.

    Baixa tolerância ao estresse, os riscos envolvidos

    Nos dias de hoje, quando temos que ir contra o tempo e as obrigações se multiplicam, ter uma baixa tolerância ao estresse pode ser muito prejudicial, pois nos levará a viver em um estado de tensão e angústia quase permanente.


    Uma pessoa com baixa tolerância ao estresse terá maior probabilidade de reagir de forma inadequada quando as circunstâncias a colocarem em uma situação difícil. É provável que ela se torne extremamente reativa e reaja impulsivamente ou mesmo agressivamente, ou pode adotar estratégias de evitação que acabam prejudicando-a.


    Nesse sentido, uma pesquisa realizada no Massachusetts General Hospital com 118 pessoas que tinham HIV descobriu que aqueles com baixa tolerância ao estresse tendiam a ter mais sintomas depressivos, consumiam mais álcool e drogas ou abandonavam o tratamento em um período de seis meses após vivenciar uma vida adversa eventos.

    Outra pesquisa descobriu que pessoas com baixa tolerância ao estresse são mais impulsivas e têm maior probabilidade de desenvolver bulimia, ansiedade, depressão, alcoolismo e / ou dependência de drogas.

    O principal problema é que as pessoas com baixa tolerância ao estresse costumam usar estratégias de evitação experiencial para escapar de emoções negativas ou estados adversos relacionados. Para tentar escapar dessas emoções, exibem comportamentos inadequados que acabam sendo prejudiciais. Por esse motivo, psicólogos concluíram que a baixa tolerância ao estresse é um indicador de risco, enquanto um alto nível de tolerância ao estresse atua como um fator de proteção contra vários transtornos mentais.

    Curiosamente, a tolerância ao estresse não afeta apenas nosso equilíbrio mental, mas também permeia a maneira como percebemos o mundo. Outro estudo conduzido na Universidade de Tel Aviv descobriu que pessoas com baixa tolerância ao estresse também têm uma tendência maior de cair em estereótipos. Isso ocorre porque eles têm dificuldade em lidar com a ambigüidade, então eles tiram conclusões precipitadas para se sentirem em um terreno mais seguro.


    Os 5 pilares sobre os quais a tolerância ao estresse é construída

    Pessoas que toleram o estresse compartilham algumas características que os ajudam a lidar com o estresse e problemas:

    1. Antecipação da experiência. “O efeito do que não se busca é avassalador, pois o inesperado aumenta o peso do desastre. O fato de ter sido inesperado intensifica a reação de uma pessoa. É por isso que precisamos ter certeza de que nada nos pegará de surpresa. [...] Devemos antever todas as possibilidades e fortalecer o espírito para lidar com as coisas que podem acontecer se não quisermos nos sentir oprimidos e entorpecidos. [...] Todos enfrentam algo com mais coragem, para o qual já se prepararam há muito tempo. Os despreparados, por outro lado, reagirão mal a eventos menores ”, escreveu Sêneca há séculos. Pessoas que toleram o estresse são capazes de antecipar experiências negativas e se preparar psicologicamente para elas.


    2. Desvie sua atenção das emoções negativas. Quando estamos passando por um momento difícil, é normal que toda a nossa atenção se concentre no que está acontecendo. Mas assim podemos acabar maximizando os problemas, mergulhando no ciclo tóxico que nossa mente cria e se alimenta de reclamações. Pessoas com maior tolerância ao estresse, por outro lado, não são obcecadas por circunstâncias ou sentimentos adversos, mas são capazes de redirecionar sua atenção. Não que se esqueçam da adversidade, simplesmente sabem redistribuir seus recursos atencionais para não ficarem obcecados com o que lhes acontece e poderem avançar com certa normalidade.

    3. Reavaliação da situação como aceitável. Quando estamos atolados em uma situação estressante, podemos cair no erro de pensar que tudo está pior do que é. A frustração e a angústia podem se tornar uma lente através da qual vemos o mundo de uma forma distorcida. Isso pode nos fazer acreditar que tudo é mais insuportável ou terrível. Pessoas que toleram o estresse não gostam de situações adversas, mas são capazes de reduzir seu impacto a um nível aceitável que lhes permite continuar administrando suas vidas diárias e recuperar o máximo de normalidade possível. Eles podem fazer isso porque são capazes de ver o quadro geral. Eles entendem que o problema que os preocupa hoje provavelmente será irrelevante ou atrasará em um mês ou um ano. Isso permite que eles vejam suas preocupações de uma forma mais realista.


    4. Capacidade de regular o comportamento. Pessoas com tolerância ao estresse são capazes de manter um grau adequado de autocontrole que evita que emoções negativas influenciem muito seu comportamento. Portanto, eles mantêm um nível adaptativo de funcionamento, mesmo no meio da tempestade. Seu nível de autorregulação evita que ocorra um sequestro emocional, por isso não atingem o fundo emocionalmente, mas mesmo nos momentos mais difíceis conseguem manter uma rotina. Curiosamente, é frequentemente essa rotina que lhes permite aliviar a carga que carregam nos ombros para reduzir o impacto da adversidade.


    5. Diálogo interno positivo. Quando as coisas dão errado, é difícil ver a luz no fim do túnel. É mais fácil ser dominado por pensamentos negativos e piores presságios. No entanto, as pessoas com tolerância ao estresse mantêm um diálogo interno positivo. Eles não são otimistas ingênuos. Eles sabem que as coisas podem dar errado ou até estão cientes de que podem piorar, mas se encorajam mutuamente e confiam em suas habilidades para lidar com o que acontece. Dizem: "Eu consigo", "Eu sou uma pessoa forte", "Isso vai passar", "Já levantei antes e posso fazer de novo". Esse diálogo interior positivo lhes dá a força de que precisam para continuar até que a tempestade passe.

    Adicione um comentário do Tolerância ao estresse, a habilidade mais importante que você precisa desenvolver na vida
    Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.