close
    search Buscar

    Quando as coisas derem errado, não se deixe levar por eles

    Quem sou
    Joe Dispenza
    @joedispenza
    FONTES CONSULTADAS:

    wikipedia.org

    Comentários sobre o item:

    aviso de conteúdo

    “Você não pode evitar que os problemas batam à sua porta, mas não precisa oferecer uma cadeira para deixá-los confortáveis”, disse Joseph Joubert, um ensaísta francês do século XNUMX. Infelizmente, porém, muitas vezes fazemos exatamente o contrário, continuamos prisioneiros das circunstâncias e não percebemos que, quando as coisas dão errado, não somos obrigados a acompanhá-las, não devemos nos deixar levar. Às vezes, a solução para os problemas é simples, como mudar seu ponto de vista e não ficar preso a pensamentos negativos.



    Você vê o mundo como você sente, não como você é

    Na vida nada é eterno, tudo passa. Preocupar-se ou mortificar-se não fará com que os problemas desapareçam mais rápido, pelo contrário, é como oferecer um sofá confortável para se acomodarem.

    Infelizmente, quando nos deparamos com alguns contratempos, eles geram uma forte resposta emocional que embaça nossa visão. De fato, um estudo muito interessante realizado na Universidade de Friburgo revelou que a depressão nos faz ver o mundo mais cinza, literalmente, porque afeta a resposta elétrica das células da retina, responsáveis ​​pela "visão dos contrastes".

    Da mesma forma, outro experimento conduzido na Universidade de Bristol descobriu que pessoas ansiosas têm dificuldade em detectar emoções nas expressões faciais dos outros e muitas vezes só veem a raiva. Isso nos diz que, quando as emoções assumem o controle, é mais difícil ver o mundo como ele realmente é.

    Quando nos deparamos com um problema, é como se de repente tivéssemos uma visão de túnel que nos impede de ver a imagem completa. Portanto, é muito fácil se deixar levar pelas circunstâncias e adotar um pensamento negativo e alarmista, por isso deixamos que os problemas nos arrastem junto com eles.

    3 técnicas eficazes para sair da corrente que o arrasta

    1. Não lute contra suas emoções, assuma-as



    As emoções não são negativas em si mesmas; são mensagens muito importantes que você precisa aprender a ouvir. Na verdade, você não pode evitar ficar triste quando algo ruim acontece ou ficar com raiva quando vê alguém fazendo uma injustiça. Não há nada de errado com isso. O problema começa quando você permite que as emoções assumam o controle e turvem sua visão. Nestes casos ocorre uma abdução emocional total, e lutar contra isso costuma ser contraproducente, é como nadar contra a corrente, vai te exaurir, você não vai conseguir avançar. Portanto, a coisa mais sábia a fazer é estar ciente do que você está sentindo e deixar ir.

    Um truque que ajuda muitas pessoas a entender essa ideia vem da filosofia budista e é igualar as emoções em seus olhos. Você não pode controlar tudo o que vê a cada momento, a cada momento você é bombardeado com milhares de estímulos visuais, mas eles geralmente não o incomodam. Anote e desvie o olhar para se concentrar no que realmente importa para você. Você pode fazer o mesmo com as emoções. Tirando um pouco do impacto, eles afetarão menos sua perspectiva do problema.

    2. Torne-se um especialista em reestruturação cognitiva

    As emoções não são as únicas que influenciam sua perspectiva sobre o problema, elas também afetam suas crenças, expectativas e pensamentos. Se você desenvolveu um estilo de pensamento castastrofista ao longo dos anos, ele será ativado automaticamente sempre que você tiver que lidar com um problema. Portanto, para não se deixar levar pela correnteza, você também deve prestar atenção aos seus pensamentos.


    A reestruturação cognitiva, uma técnica muito eficaz de terapia cognitivo-comportamental, é usada para identificar e corrigir padrões de pensamento negativo. O primeiro passo é monitorar quaisquer pensamentos negativos automáticos que venham à mente e gerem estresse emocional e frustração, como: "Estou uma bagunça, não vou conseguir consertar." Esse pensamento deve ser substituído por outro mais funcional, como: “com um pouco de paciência e serenidade poderei resolver o problema”. Como você pode ver, não se trata de recorrer a ideias positivas irrealistas e ingênuas, mas de assumir uma atitude mais realista.


    Porém, esta técnica não se limita a apenas substituir um pensamento por outro, por isso seria ineficaz, pois a mente não se deixa enganar tão facilmente. O importante é questionar a validade desses pensamentos negativos automáticos até entender que são generalizações incorretas. Procure a origem desses pensamentos e encontre situações em sua vida às quais eles não se aplicam. À medida que você enfrenta esses pensamentos e questiona sua validade, eles vão se tornando cada vez mais fracos.

    3. Afaste-se do problema movendo-se para o passado e para o futuro

    “Não podemos resolver um problema continuando a pensar da mesma forma que o criamos”, disse Albert Einstein. Para sair desse ciclo negativo é preciso mudar de perspectiva. É essencial estabelecermos um distanciamento emocional. Para entender exatamente o que isso significa, imagine que o problema seja uma tapeçaria. Você não entende o que está acontecendo e como consertar, porque está olhando de baixo, sob a tapeçaria, e vê apenas um emaranhado de fios sem sentido. No entanto, o que acontece se você virar de cabeça para baixo e olhar a tapeçaria de cima? De repente, tudo faz sentido, porque você mudou a perspectiva e agora tem uma visão mais global.


    Os benefícios de estabelecer distância emocional dos problemas foram amplamente estudados na psicologia. Um estudo realizado na Universidade Cornell descobriu que, quando estabelecemos uma distância psicológica, os problemas parecem mais simples para nós. Outra pesquisa conduzida na Universidade de Columbia revelou que a distância psicológica permite o autocontrole e ajuda a reduzir a capacidade de resposta emocional.

    Existem várias técnicas que ajudam a estabelecer essa distância emocional, uma das mais simples e eficazes é "o viajante do tempo", pois também ativa seus recursos naturais de cura e resiliência. Basicamente, imagine que você pode viajar no tempo. Procure no passado uma situação que o preocupou muito e o fez se sentir mal. Aprimore-o com os olhos do presente. Você notará que muitas de suas preocupações são triviais. Agora imagine se mover para o futuro, cinco ou dez anos, e olhe para trás, para o problema que você está enfrentando hoje. Pergunte a si mesmo se é necessário ou inteligente abordar dessa forma.


    Finalmente, não se esqueça que quando as coisas não saem do seu jeito, você não precisa ir com eles, leve-os para onde quiser.

     

    Adicione um comentário do Quando as coisas derem errado, não se deixe levar por eles
    Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.