close
    search Buscar

    Os 5 segredos do budismo para criticar de forma positiva

    Quem sou
    Robert Maurer
    @robertmaurer
    FONTES CONSULTADAS:

    wikipedia.org

    Coment√°rios sobre o item:

    aviso de conte√ļdo

    "As cr√≠ticas n√£o ser√£o agrad√°veis, mas s√£o necess√°rias", disse Winston Churchill. A cr√≠tica oportuna pode evitar males maiores e plantar a semente para uma mudan√ßa enriquecedora. Mas a cr√≠tica nascida da ignor√Ęncia, da inveja ou do √≥dio pode causar feridas que demoram a cicatrizar.

    A filosofia budista tamb√©m se expressa a esse respeito. Embora enfatize a import√Ęncia de desenvolver uma atitude compassiva e de n√£o julgar os outros, tamb√©m nos avisa que h√° momentos em que palavras agrad√°veis ‚Äč‚Äčn√£o ajudam muito e √© preciso fazer cr√≠ticas que ajudem as pessoas a corrigir seus erros e encontrar o caminho de volta.



    O livro Os Ensinamentos do Buda sobre a Harmonia Social e Comunal, uma antologia do C√Ęnon Pali de Bhikkhu Bodhi, inclui os conselhos de Buda aos monges. Avisa-nos que "a nossa palavra pode ser oportuna ou inoportuna, verdadeira ou falsa, am√°vel ou dura, ligada ao bem ou ao mal, feita por uma mente de bondade amorosa ou com √≥dio interno", por isso √© importante estar mais atento a nossas pr√≥prias palavras

    No capítulo IV, Buda aborda o discurso explicando quando é necessário elogiar e quando é apropriado criticar, indicando também como podemos corrigir uma pessoa de forma assertiva. Em seguida, mencione os cinco preceitos que devemos seguir para fazer uma crítica positiva.

    Os 5 preceitos do Buda para criticar corretamente

    1. Essa crítica vem da verdade

    Uma cr√≠tica n√£o faz sentido se for feita sob uma premissa falsa. Palavras baseadas em mentiras ou suposi√ß√Ķes n√£o t√™m valor e muitas vezes servem apenas para gerar caos e confus√£o. A cr√≠tica positiva, por outro lado, deve come√ßar com honestidade. Isso significa que antes de criticar, devemos nos perguntar se somos objetivos o suficiente.

    De acordo com o budismo, chegamos à verdade quando desenvolvemos a perspectiva correta, o que envolve a eliminação de nossos julgamentos de valor, expectativas e apegos. Isso implica que devemos ter certeza de que nossa crítica não tenha motivação egoísta, que não surja de nossas expectativas frustradas ou que não seja uma tentativa de manipulação por meio da culpa.



    2. Escolha a hora certa

    ‚ÄúFale na hora certa, n√£o escolha um momento inoportuno‚ÄĚ, diz uma frase budista do C√Ęnon Pali. A cr√≠tica, embora positiva e construtiva, muitas vezes desencadeia rea√ß√Ķes negativas, pois pode ser vista como um ataque ao ego. Para mitigar seu impacto, precisamos ser inteligentes o suficiente para escolher o momento certo.

    Se uma pessoa est√° com raiva ou frustrada, nossas cr√≠ticas provavelmente fracassar√£o, simplesmente porque essas emo√ß√Ķes a impedem de pensar com clareza. Da mesma forma, se voc√™ estiver passando por um momento dif√≠cil, as cr√≠ticas podem se tornar um fardo adicional muito dif√≠cil de administrar. Portanto, para que uma cr√≠tica seja √ļtil, ela deve ser feita no momento certo.

    3. Critique com gentileza

    Dizer a verdade não significa cometer sincericídio atirando na primeira coisa que nos passa pela cabeça sem pensar na repercussão que isso terá nos outros. Palavras podem machucar, mesmo se forem verdadeiras. Isso significa que para fazer uma crítica positiva devemos partir da empatia mais profunda, com sensibilidade e tato.

    A crítica mais difícil, se feita com delicadeza, não apenas atenua, mas também é mais construtiva. Quando criticamos com gentileza e delicadeza, rompemos as barreiras emocionais que as críticas geralmente ricocheteiam, criando um terreno fértil para que prosperem e realmente conduzam a uma mudança positiva.

    4. Deixe a crítica beneficiar o outro

    A cr√≠tica positiva √© aquela que constr√≥i e agrega valor. A cr√≠tica negativa, por outro lado, prejudica as pessoas e gera dist√Ęncias dif√≠ceis de transpor. Portanto, √© importante que antes de criticar, pensemos em como nossas palavras podem ser ben√©ficas para a outra pessoa, como podem ajud√°-la a melhorar ou crescer.


    Isso também significa que as críticas devem ser acompanhadas de uma possível solução. Perceber um problema ou erro é importante, mas ainda mais importante é oferecer uma saída para que a pessoa não fique presa nos pensamentos e atitudes que geraram aquela situação.



    5. A crítica deve surgir da bondade amorosa

    ‚ÄúFalar com uma atitude bondosa e amorosa, n√£o abrigando √≥dio [...] N√£o vamos proferir palavr√Ķes, mas respeitaremos e sentiremos pena do bem-estar daquela pessoa, com uma mente gentil e amorosa, sem √≥dio interno, sem hostilidade e sem m√°s inten√ß√Ķes Disse Buda.

    Cr√≠ticas positivas s√£o aquelas que surgem de uma mentalidade mettńĀ, como a atitude amorosa, benevolente e ativa para com os outros √© definida no Budismo. Essa mente deixou para tr√°s a raiva e a ang√ļstia para abra√ßar um amor mais incondicional. Se n√£o alcan√ßamos essa paz interior, mas guardamos rancores e frustra√ß√Ķes, devemos nos perguntar se somos a melhor pessoa para criticar.


    Adicione um coment√°rio do Os 5 segredos do budismo para criticar de forma positiva
    Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.