O impacto ambiental devastador da carne em um novo estudo chocante

Evitar carne e laticínios é a forma de reduzir nosso impacto na Terra. A nova confirmação vem de um dos maiores estudos já realizados, conduzido pela Universidade de Oxford e pelo Swiss Agricultural Research Institute Agroscope.

O dossi√™ confirma a enorme pegada da pecu√°ria para a ind√ļstria de alimentos. Um fato acima de tudo: a carne fornece apenas 18% das calorias e 37% das prote√≠nas, mas ocupa 83% das terras agr√≠colas, produzindo 60% das emiss√Ķes de gases de efeito estufa.



Pesquisadores da Universidade de Oxford e da Agroscope criaram o banco de dados mais abrangente sobre o impacto ambiental, levando em considera√ß√£o uma s√©rie de fatores, incluindo o uso da terra, as emiss√Ķes de poluentes subjacentes √†s mudan√ßas clim√°ticas, a necessidade de √°gua doce, polui√ß√£o da √°gua e polui√ß√£o do ar.

A pesquisa analisou cerca de 40.000 fazendas e 1.600 processadores, bem como vários tipos de embalagens e varejistas. Isso permitiu aos cientistas avaliar o impacto ambiental de 40 alimentos que representam 90% de tudo o que é consumido no mundo, levando também em consideração as diferentes práticas de produção e áreas geográficas (119 países).

Grandes diferenças também surgiram em relação à mesma comida. Por exemplo, produtores de carne bovina de alto impacto criam 105 kg de CO2 e usam 370 metros quadrados de terra para 100 gramas de proteína, 12 a 50 vezes mais do que os produtores de carne bovina de baixo impacto.

“Duas coisas que parecem iguais nas lojas podem ter impactos extremamente diferentes no planeta. Muitas vezes não sabemos quando fazemos escolhas sobre o que comer " ele disse Joseph Poore, do Departamento de Zoologia e da Escola de Geografia e Meio Ambiente de Oxford.


De acordo com o estudo, sem o consumo de carnes e latic√≠nios, o uso de terras agr√≠colas globais poderia ser reduzido em 75%, uma √°rea equivalente aos Estados Unidos, China, Uni√£o Europeia e Austr√°lia juntos. Al√©m disso, as dietas √† base de vegetais reduzem as emiss√Ķes de alimentos em at√© 73%. Esse corte diz respeito n√£o apenas √†s emiss√Ķes de gases de efeito estufa, mas tamb√©m √† acidifica√ß√£o e eutrofiza√ß√£o dos que degradam os ecossistemas terrestres e aqu√°ticos. A retirada de √°gua doce, com uma dieta vegana, tamb√©m diminui em um quarto.


"Talvez o mais surpreendente seja que precisar√≠amos de 3,1 bilh√Ķes de hectares (76%) menos terras agr√≠colas", diz Joseph Poore.

Por exemplo, feijão, um dos alimentos de menor impacto, mas também ervilhas e outras proteínas vegetais, dão origem a apenas 0,3 kg de CO2 equivalente (incluindo todos os processos de processamento, embalagem e transporte), mas usam apenas um metro quadrado de terra para 100 gramas de proteína.

A aquicultura, que se presume ter emiss√Ķes relativamente baixas, pode emitir mais metano e criar mais gases de efeito estufa do que as vacas "poluentes".

O gr√°fico abaixo mostra o impacto ambiental de 9 animais e 6 produtos vegetais em uma amostra de aproximadamente 9.000 fazendas ao redor do mundo.

Os pesquisadores mostram que podemos usar as informa√ß√Ķes para criar a hip√≥tese de um segundo cen√°rio. Reduzir o consumo de produtos de origem animal em 50%, evitando os produtores de maior impacto, por exemplo, reduziria as emiss√Ķes de gases de efeito estufa em 73%.

Novas tecnologias podem ajudar, incluindo recomenda√ß√Ķes sobre como o impacto ambiental pode aumentar a produtividade, mas com limita√ß√Ķes. Especificamente, os pesquisadores descobriram que a variabilidade no sistema alimentar n√£o se traduz em produtos de origem animal com efeitos menores do que seus equivalentes vegetais. Por exemplo, um litro de leite de vaca usos de baixo impacto quase o dobro de terra e quase gera o dobrar as emiss√Ķes de um litro de leite de soja.



Uma dieta sem produtos de origem animal, portanto, oferece maiores benefícios ambientais do que a compra de carne ou laticínios, mesmo que sustentáveis.

Mais uma confirmação que demonstra como o consumo de carnes e laticínios é muito mais prejudicial ao meio ambiente do que o de produtos vegetais.

Lo studio está publicado em seu nome Ciência.


LEIA também:

  • Fazendas: a ind√ļstria da carne polui mais do que as multinacionais do petr√≥leo, aponta o estudo
  • A carne bovina polui acima de tudo. O impacto ambiental do bife
  • Carnes vermelhas, √°lcool e salsichas: promovem o c√Ęncer, mesmo em pequenas quantidades. Confirma√ß√£o oficial

nosso editor incluiu

√Āudio v√≠deo O impacto ambiental devastador da carne em um novo estudo chocante
Adicione um coment√°rio do O impacto ambiental devastador da carne em um novo estudo chocante
Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.