close
    search Buscar

    Mude sua vida imediatamente e pare de adiar aproveitando o prazer e a dor

    Quem sou
    Louise Hay
    @louisehay
    FONTES CONSULTADAS:

    wikipedia.org

    Coment√°rios sobre o item:

    aviso de conte√ļdo


    Uma coisa √© certa para mim: n√≥s, seres humanos, nunca agimos aleatoriamente; sempre h√° uma raz√£o por tr√°s de nossas a√ß√Ķes. Tudo o que fazemos √© determinado por uma for√ßa motriz. √Č uma for√ßa que afeta todos os aspectos de nossa vida, dos relacionamentos rom√Ęnticos √†s finan√ßas pessoais, da vida privada ao trabalho. A for√ßa que nos controla, mesmo que nem sempre percebamos, √© aquele gerado pela dor e prazer. Tudo o que fazemos, fazemos isso pela necessidade de evitar a dor ou pelo desejo de sentir prazer.



    A natureza colocou a humanidade sob o domínio de dois mestres supremos: dor e prazer. Cabe a eles apenas indicar o que devemos fazer, bem como determinar o que faremos. Por um lado, o critério do que é certo ou injusto, por outro, a cadeia de causas e efeitos está ligada ao seu trono. A dor e o prazer dominam-nos em tudo o que fazemos, em tudo o que dizemos, em tudo o que pensamos.

    Jeremy Bentham

    Muitas pessoas desejam fazer mudanças concretas em suas vidas; ainda assim, eles nunca conseguem decidir-se a realmente realizá-los. Essas pessoas se sentem tristes, frustradas, oprimidas, desamparadas, porque sabem que devem ir aos fatos, mas não podem. A razão é simples: eles se concentram apenas em seu comportamento, que é apenas o efeito, em vez de se preocupar com mude a causa por trás disso.

    Compreender e usar as poderosas for√ßas do prazer e da dor permitir√° que voc√™ alcance mudan√ßas e melhorias duradouras. Se voc√™ n√£o entender essa for√ßa, corre o risco de ter uma vida baseada na mera rea√ß√£o, como um animal ou uma m√°quina. Pense nisso: o que √© adiar? √Č quando voc√™ sabe que deve fazer algo e n√£o se decide a faz√™-lo. Por que isso acontece? O que est√° prendendo voc√™? Muito simples a cren√ßa de que agir agora seria muito mais doloroso do que adiar. E quando √© que finalmente decidimos agir? Somente quando o que est√° associado ao prazer e √† dor muda. De repente, n√£o agir torna-se mais doloroso do que agir. Existe, portanto, uma esp√©cie de limiar emocional: abaixo continuamos a aceitar a situa√ß√£o atual, mas, uma vez alcan√ßada, agimos para mudar porque aquela situa√ß√£o de imobilidade agora se tornou insuport√°vel. Certamente ter√° acontecido com voc√™ algumas vezes chegar a um ponto de insustentabilidade resumido no seguinte pensamento: ‚ÄúChega, ent√£o eu n√£o posso mais continuar; a partir de agora mudamos o registo! ".



    O que está impedindo você de fazer o que for preciso para tornar sua vida maravilhosa? O que está impedindo você de se aproximar daquela mulher ou homem que você gosta? O que o impede de empreender essa iniciativa empreendedora em que vem pensando há algum tempo? Do que espera para procurar um novo emprego se o atual não o satisfaz? Por que você continua adiando uma dieta? Por que você não decide parar de fumar? Por que você não termina a faculdade e conclui seus exames ou teses?

    A resposta √© simples: mesmo que saiba que certas a√ß√Ķes o beneficiariam, voc√™ n√£o age porque, no momento em que adia, associa mais dor com a ideia do que tem que fazer, em vez da ideia de perder a oportunidade. Voc√™ acha que √© pior e mais inconveniente agir do que n√£o agir; e depois adie. Al√©m disso, voc√™ √© influenciado negativamente pelo risco, muitas vezes o medo de perder √© mais forte do que o desejo de vencer. A maioria das pessoas est√° mais disposta a agir para manter o que j√° possui, em vez de se jogar na briga dos desafios da vida para conseguir o que realmente deseja. O primeiro √© uma atitude conservadora que denota a necessidade de prote√ß√£o; a segunda, por outro lado, √© uma atitude inovadora que requer certo risco. Para mudar, voc√™ precisa desistir de algumas certezas e estar disposto a correr riscos. O sucesso geralmente recompensa os mais corajosos.

    O impulso motivacional que nos leva a mudar as situa√ß√Ķes que j√° n√£o suportamos n√£o est√° apenas ligado √† dor, mas tamb√©m e sobretudo √† piacere. Junto com a dolorosa ideia de continuar em um impasse, a ideia de prazer toma conta tamb√©m das novidades que nos esperam. Essa ideia, ligada ao desejo de restaurar o prazer em nossa vida, √© uma for√ßa extremamente produtiva. Uma decis√£o que voc√™ pode tomar imediatamente √© esforce-se para associar a ideia de um prazer incr√≠vel a um aspecto de sua vida que voc√™ gostaria de mudar. Neste processo emocional, o raz√£o desempenha um papel secund√°rio; mas √© bom us√°-lo para distinguir o que √© positivo do que n√£o √©. Todos n√≥s sabemos, por exemplo, que fumar faz mal. Os fumantes tamb√©m sabem disso e, no entanto, continuam a fumar, pois a ideia de sofrimento decorrente de parar de fumar √© mais forte do que a ideia associada a parar de fumar. Nestes casos, √© aconselh√°vel usar o racioc√≠nio para distinguir o que √© um prazer ben√©fico e duradouro (parar de fumar) de um prazer destrutivo e ef√™mero (continue a fumar). Se um fumante come√ßa a associar a ideia de dor ao fumo, sabendo racionalmente que deve parar de fumar porque os cigarros s√£o prejudiciais, ele poderia condicionar o inconsciente de sua mente para se convencer de que a mudan√ßa √© necess√°ria. Se ele tamb√©m associar uma ideia de prazer com parar de fumar, ele poder√° praticamente ter sucesso a qualquer momento! O importante √© n√£o basear suas decis√Ķes no que associar ao prazer e no que associar √† dor apenas no curto prazo. Precisamos ter uma perspectiva de longo prazo. Focar em evitar a dor e obter prazer em um curto espa√ßo de tempo n√£o faz nada al√©m de criar dor a longo prazo. Se, por exemplo, voc√™ quer um corpo musculoso, voc√™ literalmente tem que esculpi-lo e isso requer tempo e sacrif√≠cios. Se, por outro lado, voc√™ erroneamente quiser obter um resultado de curto prazo usando ester√≥ides anabolizantes, voc√™ s√≥ far√° mal a si mesmo.



    Acredito que os prazeres devem ser evitados, maiores dores surgem e, em vez disso, devem ser buscadas dores, que ent√£o terminam em maiores prazeres.

    Michel de Montaigne

    Mude sua vida agora: como fazer a mudança

    Primeiro escreva quatro coisas que voc√™ deve fazer e que vem adiando h√° muito tempo. Segundo: em cada uma dessas a√ß√Ķes a serem tomadas, escreva porque voc√™ ainda n√£o agiu. Pergunte-se: que dor associei a essa a√ß√£o? Seja honesto com voc√™ mesmo. Se voc√™ acha que n√£o h√° dor associada a isso, pense melhor. Esta √© provavelmente uma dor simples, como tirar um tempo longe de suas tarefas di√°rias. Terceiro: escreva todo o prazer que voc√™ experimentou no passado por meio desses comportamentos negativos que voc√™ gostaria de mudar agora. Para fazer uma mudan√ßa duradoura, voc√™ precisa encontrar maneiras de ter os mesmos prazeres sem consequ√™ncias negativas. Identificar o prazer que, por exemplo, fumar ou comer demais proporciona a voc√™, ajudar√° voc√™ a entender melhor qual √© o seu objetivo. Quarto: anote quanto pode custar a voc√™ n√£o mudar imediatamente. Por exemplo: que consequ√™ncias continuar a fumar ou comer demais ter√° sobre voc√™? Quanto vai custar em termos de sa√ļde, emo√ß√£o, autoestima ou imagem?


    Em seguida, anote todo o prazer que sentir√° ao fazer essas a√ß√Ķes agora. Faz um lista de coisas que te d√£o emo√ß√Ķes e que eles realmente o entusiasmam. Imagine todos os efeitos positivos no presente e no futuro. Pense em como ser√° bom sentir a sensa√ß√£o de estar no controle de sua vida, de saber que est√° no controle de suas escolhas. Voc√™ ganhar√° grande autoconfian√ßa. Voc√™ vai ganhar mais energia e for√ßa de vontade, para ser usada em qualquer campo.


    Então carpe diem! Não há nada melhor do que o presente. Convido você a dedicar um tempo para fazer este exercício, provando a si mesmo que você pode controlar as forças do prazer e da dor para tirar vantagem delas. Sua vida vai melhorar em todos os sentidos, imediatamente, agora.


    Adicione um coment√°rio a partir de Mude sua vida imediatamente e pare de adiar aproveitando o prazer e a dor
    Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.