Explorar você mesmo pode criar mais problemas do que resolver

Explorar voc√™ mesmo pode criar mais problemas do que resolver‚ÄúUm dia, uma borboleta encontrou uma centop√©ia. Ela nunca tinha visto tal ser e ficou surpresa em como era capaz de mover as pernas de forma coordenada. Seu espanto foi tal que ele n√£o conseguiu esconder. - Mil√≠pede, como voc√™ move as pernas com tanta precis√£o? - Igrejas. A centop√©ia nunca havia pensado nisso, apenas pensava, parecia natural para ele. No entanto, ele parou por alguns minutos para pensar sobre sua habilidade extraordin√°ria. Depois de um tempo, e depois de pensar muito, ele percebeu que n√£o conseguia mais se mover. ‚ÄĚ crescimento pessoal pode nos causar o que aconteceu com a centop√©ia. Olhando excessivamente para dentro de n√≥s, corremos o risco de ficar cegos. E embora seja um dos maiores riscos que corremos ao iniciar nossa jornada em dire√ß√£o √† nossa ess√™ncia, √© tamb√©m um dos menos comentados.

Olhar para dentro de nós mesmos pode nos cegar

Na verdade, essa ideia √© de Paul Watzlawick, que disse uma vez: "Olhar para dentro o deixa cego." Com isso, ele quis dizer que, quando tentamos interpretar nossas motiva√ß√Ķes, emo√ß√Ķes, comportamentos, decis√Ķes ou pensamentos internos em busca de uma explica√ß√£o de causa e efeito, podemos estar causando a n√≥s mesmos mais problemas do que estamos tentando resolver. Durma e voc√™ percebe que seu cora√ß√£o come√ßa a bater diferente, talvez voc√™ se assuste, pensando que pode ser um ataque card√≠aco ou um ataque de p√Ęnico. √Č prov√°vel que se trate de uma simples inconsist√™ncia card√≠aca que n√£o tem repercuss√Ķes, mas o nosso medo e, sobretudo, a nossa interpreta√ß√£o da situa√ß√£o, cria um problema que n√£o existia antes. De facto, situa√ß√Ķes deste tipo podem levar uma pessoa a experimentam uma fobia real em rela√ß√£o a olhar para dentro, desenvolvendo assim o que √© conhecido como "evita√ß√£o experiencial" √Č um conceito que se refere √† tend√™ncia de evitar todos os sentimentos, pensamentos ou situa√ß√Ķes que causam sofrimento emocional. Como resultado, essas pessoas se tornam escravas dessa evita√ß√£o, incapazes de viver plenamente, mas vivem com medo.Claro, a solu√ß√£o n√£o √© parar de olhar para dentro e esquecer o crescimento pessoal. Quando Watzlawick disse que olhar para n√≥s mesmos nos deixa cegos, ele se referia ao fato de que nossa linguagem tem um car√°ter linear e causal, que √© o que produz esse erro interpretativo muito perigoso. Portanto, uma vez que a realidade e nossas mentes funcionam de forma circular, a solu√ß√£o √© parar de fazer interpreta√ß√Ķes diretas e lineares de nossos estados internos. Por exemplo, uma pessoa que inicia o caminho de crescimento pessoal pode descobrir que dentro de si mesma tem um √≥dio forte para ele mesmo. E como o √≥dio √© socialmente considerado uma emo√ß√£o negativa, ela pode concluir que √© uma pessoa m√°, pode come√ßar a se sentir inadequada, incomodada consigo mesma e sua auto-estima pode sofrer muito. Esse √© um dos principais problemas que surgem de olhar para dentro de si mesmo sem as ferramentas adequadas, seguindo os conselhos do guru de plant√£o.

Crescer com a aceitação

O crescimento pessoal deve ser um processo de autodescoberta gradual. Parece quase √≥bvio e, portanto, neste ponto voc√™ provavelmente est√° se perguntando como pode se conhecer se toda vez que tentar fazer isso, voc√™ corre o risco de cair nesta causalidade linear, se voc√™ se superidentificar com suas opini√Ķes e experi√™ncias e tirar conclus√Ķes que acabam A solu√ß√£o √© bastante simples, para olhar para dentro de voc√™ sem perder a perspectiva voc√™ precisa de √≥culos que o protejam. E esses √≥culos s√£o chamados de "presen√ßa". A presen√ßa √© um estado natural de aten√ß√£o no qual n√£o julgamos, muito semelhante ao conceito de ‚Äúfluxo‚ÄĚ. Para entrar neste estado, existem duas regras ou vari√°veis: voc√™ mesmo e o contexto em que se encontra. Na pr√°tica, voc√™ deve: 1. Desenvolva as habilidades necess√°rias para se mover no contexto 2. O contexto, por sua vez, deve responder positivamente ao que voc√™ est√° fazendo. Por exemplo, se voc√™ se prop√Ķe a jogar t√™nis sem ter feito isso antes, ser√° dif√≠cil para voc√™ entrar em um estado de "fluxo", porque seus movimentos ser√£o descoordenados e voc√™ vai perder muitas bolas. Inevitavelmente, voc√™ se sentir√° mal porque n√£o possui as habilidades necess√°rias e o ambiente n√£o lhe d√° um feedback positivo. Mas se continuar a se esfor√ßar todos os dias, voc√™ ser√° capaz de desenvolver essas habilidades e, finalmente, entrar√° no estado de ‚Äúfluir‚ÄĚ. Para desenvolver a ‚Äúpresen√ßa‚ÄĚ, entendida como as lentes necess√°rias para olhar para dentro de n√≥s, o melhor exerc√≠cio √© a ‚Äúmedita√ß√£o mindfulness‚ÄĚ, ou Mindfulness. Esta pr√°tica, al√©m de nos ajudar a relaxar, √© muito √ļtil para diferentes √°reas da nossa vida, tamb√©m nos oferece uma "base segura" para olharmos para dentro de n√≥s mesmos. √Č preciso dizer que todos n√≥s temos essa "base segura", o problema √© que nem todo mundo sabe como us√°-lo para olhar para dentro. Na pr√°tica, o Aten√ß√£o permite que nos transformemos em observadores distantes da realidade e do que acontece dentro de n√≥s. N√£o tiraremos conclus√Ķes precipitadas e n√£o faremos julgamentos, nos limitaremos a observar. Voc√™ crescer√° com a aceita√ß√£o em vez da rejei√ß√£o.
  • 15
Adicione um comentário do Explorar você mesmo pode criar mais problemas do que resolver
Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.