close
    search Buscar

    Diga-me como você toma decisões no relacionamento e eu direi o quão feliz você será

    Quem sou
    Robert Maurer
    @robertmaurer
    FONTES CONSULTADAS:

    wikipedia.org

    Comentários sobre o item:

    aviso de conteúdo

    Se duas pessoas namoram há muito tempo, moram na mesma cidade, dormem várias noites por semana juntas e se arrumam para o casamento, não faria sentido que elas passassem a dividir o mesmo apartamento o mais rápido possível para economizar dinheiro? A maioria dos casais responderia sim. No entanto, você sabia que o a coabitação antes do casamento aumenta o risco de divórcio?

    Na verdade, antes de assinar um contrato de locação juntos, deve-se perguntar: estamos nos deixando levar pelas circunstâncias ou decidimos realmente morar juntos? Não é apenas uma questão de termos, mas como você decide dar esse passo também determinará o quão feliz você é na vida de casal.



    Em apoio a esta ideia, intervém um estudo da University of Virginia, no qual foram avaliados vários fatores relacionados com o casamento, a fim de prever o estabilidade e felicidade no relacionamento. Mais de 1.000 pessoas com idades entre 18 e 35 anos que tinham um relacionamento estável participaram do estudo.

    Ao longo de cinco anos, 418 dessas pessoas se casaram. Os psicólogos examinaram a relação de casal, analisando cada uma das fases, tais como: o primeiro encontro, a primeira relação sexual ou a decisão de morar juntos. Posteriormente, eles avaliaram o nível de felicidade e satisfação na vida cotidiana.

    Quanto maior for a liberdade de escolha, maiores serão as chances de estar errado

    No passado, os problemas pelos quais um casal tinha que passar eram bem definidos, poderíamos dizer que eram ritualizados. As pessoas começaram a se conhecer, declarou o próprio homem, passamos para a fase de noivado, todos continuaram morando na casa dos pais, depois veio o casamento e por fim os filhos. Essa sequência foi bastante rígida e não é surpreendente que a maioria dos casais hoje opte por não se ater a esses estágios.



    Hoje, todo casal é livre para escolher quando morar junto, quando ter filhos e quando se casar. Obviamente, essa liberdade é boa, mas também traz riscos, pois as pessoas tendem a tomar decisões refletindo menos sobre elas. Na verdade, hoje a maioria das pessoas não toma decisões, mas prefere ser levada pelas circunstâncias.

    Os dados deste estudo mostram que casais que simplesmente se empolgam têm relacionamentos mais pobres e são menos felizes do que aqueles que tomam decisões intencionais sobre os estágios fundamentais do relacionamento. Portanto, esses psicólogos argumentam que a forma como o casal toma uma decisão afeta muito a satisfação futura.

    No decorrer do estudo, observou-se que apenas 28% dos casais que viviam juntos em decorrência das circunstâncias eram felizes, enquanto esse número subia para 42% nos casais que haviam considerado seriamente a decisão. Verificou-se também que um terço das pessoas que reconheceram ter iniciado um relacionamento levado pelas circunstâncias, sem pensar muito, ficava infeliz no casamento.

    Por que é melhor decidir do que se deixar levar?

    Quando tomamos uma decisão pensamos bem nos detalhes, não nos deixamos levar só pela paixão, mas também analisamos os aspectos mais práticos, como os interesses que temos em comum com o outro ou o que realmente queremos da vida. Tomar decisões a dois envolve comunicar-se com outras pessoas, entender seus pontos de vista e explicar os nossos. Portanto, esses casais assumem uma atitude mais pró-ativa e atenciosa, o que os ajudará em outros momentos da vida em que terão que enfrentar problemas mais importantes. Essa atitude pode ser a chave para se sentir satisfeito e feliz no casamento.



    No entanto, casais que simplesmente se empolgam podem acabar se casando com a pessoa errada ou sem a maturidade necessária. Agir por inércia pode nos levar a tomar decisões que nunca teríamos tomado se tivéssemos a oportunidade de pensar melhor, ou que teríamos adiado para o momento mais oportuno. Portanto, não é difícil entender por que muitos casais se sentem infelizes e insatisfeitos na vida de casados.


    Decidir, ao invés de se deixar levar, implica um verdadeiro compromisso não só com o outro, mas também com nós próprios e com a decisão tomada. Na verdade, vários estudos têm mostrado que, quando tomamos uma decisão, nos esforçamos para ser coerentes com ela e geralmente nos sentimos mais satisfeitos.


    moral: se você quer que o relacionamento funcione, é melhor tomar decisões conscientemente. Não aja por inércia, pense e converse sobre isso com seu parceiro.

    Adicione um comentário a partir de Diga-me como você toma decisões no relacionamento e eu direi o quão feliz você será
    Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.