Dar amor: ninguém perde

Dar amor: ninguém perde

Dar amor com sinceridade, paixão e carinho nos enobrece. O mesmo não acontece com quem não sabe recebê-lo ou cuidar desse imenso dom.

Dar amor: ninguém perde

Escrito e verificado pelo psicólogo GetPersonalGrowth.

Última atualização: 22 de dezembro de 2022

Dar amor com sinceridade, paixão e carinho nos enobrece. O mesmo não acontece com quem não sabe recebê-lo ou cuidar desse imenso dom. Nunca devemos nos arrepender de ter amado e perdido, porque o pior é não saber amar.



A neuroci√™ncia nos oferece, dia a dia, informa√ß√Ķes reveladoras que explicam a conduta humana na agonia do amor. O primeiro fato a ser lembrado √© que o c√©rebro humano n√£o est√° preparado para a perda, isso nos imobiliza e nos encerra por um tempo no pal√°cio do sofrimento.

"O amor não tem cura, mas é a cura para todos os males"

-Leonard Cohen-

Amor e evolução humana

Somos geneticamente programados para nos conectarmos uns com os outros e construir laços emocionais com o qual se sentir seguro, com o qual construir um projeto.

√Č assim que sobrevivemos como esp√©cie, ‚Äúconectando‚ÄĚ, ent√£o uma perda, uma separa√ß√£o e at√© um simples mal-entendido ativa instantaneamente o sinal de alarme em nosso c√©rebro. Outro aspecto complexo em termos de rela√ß√Ķes afetivas √© a forma como lidamos com essa separa√ß√£o, chamada de ruptura.

Do ponto de vista neurol√≥gico, pode-se dizer que horm√īnios do estresse come√ßam a ser liberados instantaneamente em muitos casos formando o que √© conhecido como s√≠ndrome do cora√ß√£o partido.

Do ponto de vista emocional e psicológico, há uma realidade muito diferente. Você não só sofre devido à falta de um ente querido, há também uma perda de energia, de respiração vital.



√Č como se todo o amor dado, todas as esperan√ßas e afetos dedicados a essa pessoa tivessem desaparecido, deixando vazios, est√©reis, murchos. Como podemos amar novamente se apenas a poeira de uma mem√≥ria ruim vive dentro de n√≥s? Temos que encarar esses momentos de forma diferente.

Dê amor ou evite amar novamente

Somos todos um comp√™ndio delicado e ca√≥tico de hist√≥rias passadas, emo√ß√Ķes vividas, amarguras enterradas e medos camuflados.

Ao iniciar um novo relacionamento, as experiências passadas são levadas em consideração. Ninguém começa com "0". A forma como administramos nosso passado nos fará viver um presente afetivo e emocional com maior maturidade, com maior plenitude.

‚Äú√Č melhor ter amado e perdido
do que nunca ter amado nada"

-Alfred Lord Tennyson-

Tendo experimentado uma amarga traição ou, simplesmente, perceber que o amor desapareceu no coração do parceiro muda muito a maneira como vemos as coisas.

Dar amor com intensidade por um certo tempo e depois ficar vazio e fechado no quarto das mem√≥rias e ilus√Ķes perdidas muda muitas vezes a arquitetura da nossa personalidade.

Não faltam os que desconfiam e também os que aos poucos vão desenvolvendo a armadura fria e de ferro do isolamento para interiorizar o clássico mantra do "melhor não amar para não sofrer". No entanto, é necessário quebrar uma ideia subjacente a esses processos de lenta "autodestruição".

Nunca devemos nos arrepender de ter amado, arriscando tudo ou nada pela outra pessoa. S√£o aqueles atos que nos enobrecem, que nos tornam humanos e maravilhosos ao mesmo tempo.


Viver é amar e amar é dar sentido à nossa vida através de tudo o que fazemos: nosso trabalho, nossos hobbies, nossos relacionamentos pessoais e emocionais. Se desistirmos do amor ou nos arrependermos de oferecê-lo, também abriremos mão da melhor parte de nós mesmos.



Cura do amor perdido

De acordo com um estudo realizado na University College London, existem algumas diferenças entre homens e mulheres quando se trata de lidar com um colapso emocional.

A resposta emocional parece ser muito diferente. As mulheres sentem muito mais o impacto da separação, mas geralmente se recuperam mais cedo do que os homens.

Estes, por sua vez, parecem estar bem, vestem a m√°scara da for√ßa, refugiam-se em suas ocupa√ß√Ķes e responsabilidades. No entanto, eles nem sempre passam por esse intervalo ou levam anos para faz√™-lo. A raz√£o?

As mulheres geralmente são mais capazes de gerenciar seu próprio mundo emocional. Encontrar alívio, buscar apoio e lidar com o que aconteceu a partir de uma perspectiva de perdão e seguir em frente geralmente facilita as coisas.

Seja como for, e independentemente do sexo ou do motivo que causou essa separa√ß√£o, certas ideias devem ser injetadas em nossos cora√ß√Ķes como uma vacina.

Nenhuma história ruim deve nos impedir de sermos felizes novamente. Dizemos "não" a ser escravos do passado e eternos prisioneiros do sofrimento.


Dar amor é bom

√Č bom lembrar que dar amor n√£o √© sin√īnimo de sofrimento. No entanto, n√£o devemos alimentar esperan√ßas ou esticar o ‚Äúchiclete‚ÄĚ de um relacionamento que tem prazo de validade antecipado.

Um retiro pontual salva cora√ß√Ķes e uma despedida corajosa fecha uma porta para abrir outra, aquela onde o amor est√° sempre conjugado com a palavra FELICIDADE.

Imagem principal cortesia de Amanda Cass

Adicione um comentário do Dar amor: ninguém perde
Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.