Como viver feliz: as 7 regras para ter sucesso

Existe uma regra que explica como viver feliz? Hoje vou revelar até 7 deles, explicando como você pode aplicá-los imediatamente e onde aprofundá-los todos:

  1. N√£o estamos felizes? √Č aqui que reside o problema!
  2. Primeira regra: torne-se uma pessoa pró-ativa.
  3. Segunda regra: comece do fim.
  4. Terceira regra: defina suas prioridades, mas as certas!
  5. Quarta regra: comece a ganhar e deixe-o vencer.
  6. Quinta regra: primeiro você tem que entender, depois se faça entender.
  7. Sexta regra: Sinergia, união e interdependência.
  8. S√©tima regra: afie a l√Ęmina, conclus√Ķes para viver feliz.

As 7 regras para o sucesso é o livro que usarei como um mapa neste guia.



Em breve você saberá quais são as regras para viver felizmente e você também saberá se este livro vale seu tempo e dinheiro.

Prepare-se, pois este é um guia prático, então você terá muito que fazer.

Vamos imediatamente!

 

Como viver feliz: onde nascem as 7 regras para o sucesso

De acordo com Stephen Covey, o autor do livro, o problema subjacente para cada um de nós é a ética da personalidade.

O que isso significa?

Simplesmente que hoje damos import√Ęncia aos comportamentos, atitudes √† imagem e n√£o aos princ√≠pios que seguimos na vida.

Ent√£o se torna mais importante o que fazemos, ou como nos comunicamos com os outros, de quem realmente somos.

O caráter ético nos leva a pensar que existem princípios fundamentais [...] e que as pessoas podem alcançar o sucesso real e a felicidade duradoura se integrarem esses princípios ao seu caráter.


O segredo para uma vida feliz, portanto, é trabalhe em seu personagem, sobre quem você é e não sobre comportamento ou aspectos externos.


Já que estamos no assunto, para esquentar seus motores, leia também o guia no qual explico como mudar seu personagem em 30 dias.

O que Covey sugere?

Ele diz que mudanças na perspectiva são necessárias, isto é você tem que mudar a maneira como você vê a vida.

Há um jogo muito interessante no livro, linkado a imagens, e infelizmente não posso mostrar para vocês aqui.

Se voc√™ ler As 7 regras para ter sucesso, ser√° √ļtil para voc√™ entender como nossa vis√£o de mundo pode ser subjetiva.

Na verdade, não vemos o mundo como ele é, mas como somos, pois estamos condicionados a vê-lo.

Para entender como viver feliz, devemos primeiro perceber que o trabalho deve começar de dentro.

Você tem que mudar se quiser transformar sua vida.

Os problemas não estão fora de você, não é o que os outros fazem que o coloca em apuros.

Para isso Covey defende a import√Ęncia do car√°ter: se voc√™ mudar, tudo muda porque voc√™ o enfrenta, vive e pensa de forma diferente.

As 7 regras que vou mostrar-te servem para te mudar, para depois interagir melhor com os outros e fazer com que esta melhoria seja contínua.

Imagine perfurar uma roda enquanto você está em campo aberto e não tem ninguém a quem pedir ajuda.


Você acha que ficar com raiva vai consertar a roda?

Obviamente n√£o.

Claro, se você ficar calmo, ou calmo, a roda ainda precisa ser consertada.

Mudando você, no entanto, você será capaz de lidar com um problema real da melhor maneira.

√Č por isso que uma vida feliz come√ßa dentro de voc√™, e cada uma das tr√™s primeiras regras ensina como revolucionar positivamente sua vida.


 

Você é uma pessoa egoísta?

Responda às 7 perguntas do meu teste de egoísmo.

Isso permitirá que você entenda se (e em que medida) você é uma pessoa egoísta.
Comece o question√°rio Continuar Preencha o formul√°rio abaixo para ver os resultados Deixe seu nome e e-mail para se inscrever no meu boletim informativo e receber o resultado do teste. Seu nome: Seu e-mail: Autorizo ‚Äč‚Äčo processamento dos meus dados de acordo com as normas de privacidade. Mostrar resultados

Primeira regra: torne-se uma pessoa pró-ativa



Covey conta a história de Victor Frankl, um psicólogo de origem judaica que viveu os campos de concentração nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.

Voc√™ pode ler os detalhes dessa hist√≥ria no livro, estamos interessados ‚Äč‚Äčna conclus√£o a que chegamos: que ela existe, entre o que acontece com voc√™ e suas rea√ß√Ķes, um espa√ßo.

Neste espa√ßo ele reside nosso poder de fazer escolhas e tomar decis√Ķes.

Basicamente, existem três teorias sobre o que nossa vida decide:

  1. Determinismo genético: você é o que seus pais lhe transmitiram, no nível do DNA, e você pouco pode fazer, ou melhor, nada, para mudar.
  2. Determinismo Ps√≠quico: voc√™ √© o que seus pais fizeram na sua inf√Ęncia, seus medos, seu comportamento estabeleceram quem voc√™ √©. Aqui, tamb√©m, voc√™ pouco pode mudar.
  3. Determinismo ambiental: você é fruto da sociedade em que vive, de seus colegas, parentes, amigos, enfim, mais uma vez tudo depende de fora.

Mesmo que todos continuem a dizer-nos, na televisão, nos espaços dedicados aos especialistas, que somos condicionados pelo passado e pelas escolhas dos outros, saiba que não é verdade.

Para entender melhor, sugiro um recurso que escrevi para explicar o que é liberdade. Leia agora.

De fato há um espaço entre cada estímulo que você experimenta e cada resposta que você dá.

  • Entre o comportamento rude e sua rea√ß√£o.
  • Entre a resposta negativa e a decep√ß√£o.
  • Entre o seu sucesso e a sua alegria.
  • Entre as palavras que voc√™ ouve e sua gratid√£o.

Este espaço permite que você escolha e seja dona ou dona da sua vida.

[...] Somos respons√°veis ‚Äč‚Äčpela nossa vida. Nosso comportamento √© fun√ß√£o de nossas decis√Ķes, n√£o das condi√ß√Ķes em que vivemos.

Proatividade significa use este espaço e decida como reagir.

Nada tem o poder de controlar você, ninguém pode.

Aconselho-o a ler de imediato um estudo aprofundado no qual explico o que é independência emocional, para que possa compreender o enorme poder que tem sobre a sua vida.

Basicamente, é você quem escolhe o que sentir e como reagir em cada situação.

Entender isso significa trabalhar para aumentar o tamanho desse espaço.

Quanto maior a lacuna entre as coisas que acontecem com voc√™ e suas rea√ß√Ķes, mais voc√™ pode escolher o que fazer.

Para fazer isso, criei um guia que explica como usar este espa√ßo para aprender como gerenciar emo√ß√Ķes negativas e transform√°-las em positivas.

Mas a pró-atividade nos permite entender como viver feliz mesmo trabalhando nas coisas que estão em nosso poder.

H√° coisas que nos envolvem, que podem despertar emo√ß√Ķes em n√≥s e que muitas vezes tendem a nos condicionar.

Depois, h√° outros, menos obviamente, que podemos influenciar.

A chuva envolve você quando você planeja férias na praia, e você não pode influenciá-la.

Mas pode optar por um destino alternativo, ou adiar as férias na praia e ir ao cinema ou ao museu.

Covey insiste na import√Ęncia de trabalhar naquilo que voc√™ pode influenciar, ou seja, agir de acordo com as coisas que voc√™ pode alterar e modificar.

√Č √≥bvio que fa√ßa o que fizer, a chuva est√° fora de controle para voc√™!

Em vez de reclamar de um problema, pense no que você pode fazer, concentre-se nas coisas que pode influenciar diretamente e aja.

Quanto mais você faz o que pode, mais você intervém em todos os fatos que você pode mudar, quanto mais sua capacidade de controlar sua vida e de escolher, cresce, aumenta.

Na pr√°tica sua capacidade de afetar a realidade que o cerca torna-se cada vez maior, em vez de passar por isso, apenas, como costumamos fazer.

Este √© o segredo da primeira regra: perceba que voc√™ decide todas as suas rea√ß√Ķes e faz o que pode, age pensando no que pode mudar.

Sem desculpas, reclama√ß√Ķes ou recrimina√ß√Ķes - aja e trabalhe no que estiver em seu poder.

 

Segunda regra: comece do fim

Agora que você sabe que pode mudar tudo mudando a si mesmo, ou a si mesmo, você tem que começar do fim.

Basicamente, você tem que ter isso claro onde você pretende ir, qual é o seu destino, caso contrário, nunca o alcançará.

Começar com o pensamento final significa começar com uma compreensão clara do nosso destino. [...] Saiba para onde vamos e entenda se nossos passos estão sempre na direção certa.

Claro, se você não sabe para onde está indo, como você sabe se a estrada em que está é a certa?

O que você precisa fazer é entender para onde está indo, qual é o destino e, claro, isso nos leva a uma questão fundamental: como faço para escolher este destino?

O segredo é perceber que você quer ser feliz e irá, sempre e em qualquer caso, na direção que lhe dará essa felicidade.

A essência da segunda regra é defini-la, entendendo o que realmente o deixará feliz.

A primeira coisa a fazer, portanto, é entender o que é a felicidade, caso contrário, fica difícil dar-lhe uma forma.

Então o que você precisa fazer é descobrir como chegar lá, o que te deixará feliz.

Seja qual for a resposta que você escolher, se tornará para você o centro de sua vida, a coisa mais importante.

Sendo, portanto, o seu objetivo, ele determina suas escolhas, a direção que você segue, a força com que você vive cada desafio.

Resumindo, tudo depende dessa resposta.

Você obviamente percebe como isso é importante?

Bem, para ajudá-lo a entender qual é a resposta certa e como encontrá-la, criei um recurso que acredito ser fundamental.

Provavelmente um dos mais valiosos do site, explicando o que vai te deixar feliz.

Tudo começa aqui.

Pela minha experiência, garanto que 100% dos problemas se devem a apenas dois motivos:

  1. Você encontrou a resposta errada, porque o que você considera mais importante nunca o fará feliz.
  2. Você encontrou a resposta certa, mas você vive e segue do jeito errado.

Garanto-lhe que todos os seus problemas se enquadram em uma dessas duas raz√Ķes.

N√£o h√° mais nada.

Mesmo que gostemos de encontrar as causas da nossa infelicidade em tudo e em todos.

No livro, você pode ler muitos exemplos para entender como as coisas que você acredita serem uma fonte de felicidade afetam sua vida.

Covey leva em consideração família, amigos, trabalho, parceiro, igreja, sucesso, objetos e muito mais, para te fazer pensar.

A segunda regra, portanto, diz que você precisa saber o que priorizar em sua vida.

Se o primeiro mostrou que tudo depende de você, este diz que você escolhe para onde ir.

Se a escolha for certa, você está quase lá, ou lá.

O próximo ponto é entender como fazer esse percurso, ou seja, como se organizar durante a viagem.

 

Faz sentido continuar seu relacionamento como casal?

Responda às minhas perguntas do teste para descobrir.

Isso permitirá que você entenda se o seu relacionamento tem características para durar ou não.

Comece o question√°rio Continuar Preencha o formul√°rio abaixo para ver os resultados Deixe seu nome e e-mail para se inscrever no meu boletim informativo e receber os resultados do teste. Seu nome: Seu e-mail: Autorizo ‚Äč‚Äčo processamento dos meus dados de acordo com as normas de privacidade. Mostrar resultados

Terceira regra: defina suas prioridades, mas as certas!

Algumas das coisas que você faz todos os dias são urgente.

Você não pode adiá-los e tem que lidar com eles imediatamente.

Outros são importante, isto é, eles permitem que você chegue ao seu destino.

O que você descobriu é a fonte de sua felicidade.

O segredo é dar as prioridades certas, ou seja, priorize as coisas importantes antes que se tornem urgentes (e não te deixam alternativas!).

Você pode apagar um incêndio que está destruindo sua casa chamando o corpo de bombeiros, mas se você colocar o papel queimado no lixo, não seria melhor?

Quando nos deixamos guiar por coisas urgentes, somos bombeiros: sempre chegamos atrasados, só para conter o estrago.

Se você começar, no entanto, um sempre faça as coisas que importam, na hora certa, de atividades urgentes você terá cada vez menos.

Normalmente, na verdade, estamos sempre ocupados com mil compromissos, totalmente obrigatórios, e coisas que são muito importantes, mas não urgentes, são adiadas.

Essa é uma das melhores maneiras de complicar sua vida.

Covey sugere fazer três coisas simples:

  1. Identifique os papéis que você desempenha em sua vida. Professor, marido, namorada, irmão, amigo, pai.
  2. Defina metas para cada função.
  3. Planeje o que voc√™ far√° nos pr√≥ximos dias para cada meta, com base em suas fun√ß√Ķes.

Obviamente, considere que as atividades importantes são aquelas que permitem que você atingir o objetivo real, ou seja, o destino final.

A segunda regra, ajudando você a entender o que precisa ser priorizado em sua vida, define para onde você está indo.

Este terceiro ensina como se organizar para não desperdiçar energia com coisas de pouco valor.

E quando você não pode adiar e tem que trabalhar muito?

Bem, chega a hora deixar algumas tarefas para outros, ou seja, delegar.

Basicamente, você tem que confiar o poder a outras pessoas, dar-lhes a responsabilidade de uma tarefa e certamente não controlar outras pessoas remotamente.

√Č preciso confian√ßa, portanto, comece a ler o que escrevi sobre o assunto imediatamente e voc√™ descobrir√° que confiar √© bom.

Para delegar, aqui est√£o as etapas que Covey sugere:

  • Deixe claro quais resultados voc√™ espera. N√£o tome nada como garantido e seja muito espec√≠fico ou preciso ao indicar seus objetivos finais.
  • D√™ algumas orienta√ß√Ķes, explica quais s√£o os limites dentro dos quais o outro deve se mover.
  • D√™ todos os recursos necess√°rios, at√© mesmo sua ajuda, se necess√°rio, para que o outro possa ter sucesso sem problemas.
  • Determine como avaliar os resultados, para que todos saibam como ser√° avaliado o seu trabalho, estabelecendo crit√©rios claros.
  • Defina as consequ√™ncias. O que vai acontecer, em ess√™ncia, depende dos resultados finais.

Eu adiciono algumas dicas.

  1. Não force ninguém a te ajudar, mesmo se você tiver o poder.
  2. Delegar é algo que você faz em qualquer situação em que confia uma tarefa a outros, não se sinta no direito de comandá-los de qualquer maneira.
  3. Envolva as pessoas, deixe-os participar da definição de objetivos ou recursos, enfim, trabalhe com eles e não se importe com os outros.
  4. Nunca coloque resultados antes das pessoas. Eles, lembre-se sempre, s√£o muito mais importantes.

Você precisa agir, decidir para onde ir e priorizar suas prioridades para fazer o que realmente importa primeiro.

Se você assume a responsabilidade por sua vida, descubra o que é importante e trabalhe nisso todos os dias dando prioridade às coisas importantes, voce ja esta mudando tudo.

Neste ponto, é hora de se revelar as três regras de relacionamento com os outros.

 

Quarta regra: comece a ganhar e deixe-o vencer

Covey dá um bom exemplo ao comparar nossos relatórios de conta bancária.

Cada gesto de amor e respeito é um pagamento.

Cada grosseria, cada distração ou exigência, um retraimento.

Basicamente, você pode cometer erros quanto mais souber ser positivo ou positivo com os outros.

Se você não agir com amor ou compreensão, não terá crédito suficiente quando errar.

E nós dois sabemos que isso vai acontecer!

Aqui estão alguns exemplos de derramamento que você pode começar a usar em seus relacionamentos com outras pessoas:

  • Compreender a outra pessoa, isto √©, entender suas prioridades, o que realmente importa, pelo que realmente luta.
  • Cuide das pequenas coisas, essa √© a gentileza e as cortesias que muitas vezes fazem a diferen√ßa e s√£o mais frequentemente esquecidas porque s√£o triviais ou √≥bvias.
  • Cumprindo compromissos, quando voc√™ faz o que disse para fazer e mostra que pode cumprir uma promessa.
  • Pe√ßa desculpas sinceramente quando estiver errado, quando falta respeito, n√£o entende, ou se comporta com pouca aten√ß√£o para as fraquezas ou necessidades do outro.

Você pode encontrar outros depósitos de depósitos, com exemplos e insights, lendo o livro.

Estas s√£o outras id√©ias e dicas interessantes que ser√£o muito √ļteis.

Somente se você compreender que seus relacionamentos dependem de sua capacidade de doar, você poderá começar a criar relacionamentos positivos.

Antes de começar com o cerne das três regras de relacionamento com os outros, considere que tudo depende do amor.

Afinal, quando você ama, você despeja na conta; quando você não ama, está se retirando.

Aprender a amar é um guia que considero imprescindível e que aconselho a leitura imediata.

Você descobrirá que pode fazer grandes pagamentos, com pouco.

E lembre-se de que esse pagamento não é apenas para a outra pessoa, porque quando você ama a si mesmo, ou a si mesmo, começa a se sentir bem.

Se você realmente quer perceber isso, descubra como amar a si mesmo pode ser simples e divertido.

Vamos avançar para o cerne da quarta regra: pense em vencer / vencer.

A essência é esta: não faz sentido você ganhar se os outros perderem.

Você não precisa ser bem-sucedido se seus ajudantes tiverem problemas.

Não é certo ter vencido em uma discussão se o outro se sente menosprezado.

Você tem que vencer fazendo os outros vencerem.

A propósito, o que realmente é sucesso, se você procurar sem se importar com os outros, provavelmente não está claro para você.

Escrevi sobre isso em um recurso também dedicado à motivação, que é o segredo do verdadeiro sucesso.

Leia-o.

√Č √≥bvio que quando voc√™ ganha e eles perdem, eles sentir√£o principalmente inveja, aborrecimento ou ressentimento.

Funciona hoje e talvez amanhã, mas as pessoas, como você, não gostam de perder, e se você não sabe como fazer com que elas ganhem junto com você, eles não vão continuar a te ajudar.

Se, por outro lado, seus triunfos, pequenos ou grandes, são deles, então sua união está fortalecida e eles gostariam de vencer com você.

Aqui estão três dicas de Covey:

  1. Consistência com o que é mais importante para você, com a sua direção, sempre e em qualquer situação.
  2. Maturidade, isto é, ter um forte equilíbrio entre a coragem de expressar quem você é, suas crenças e respeito e consideração pelas dos outros, que não vêm depois das suas, mas são tão importantes.
  3. Mentalidade de abund√Ęncia, ou seja, n√£o ter a ideia de que algu√©m tem que perder para voc√™ ganhar, mas come√ßar a pensar que todos podem ganhar.

Em vez de tentar impor suas ideias, ou fazer concess√Ķes que resultem na derrota parcial de todos, voc√™ tem que acreditar nos acordos.

Uma solução excelente para todos, onde você tanto ganha e onde, acima de tudo, você se recusa a ganhar se isso significar perder aqueles próximos a você.

Uma comunicação eficaz o ajudará muito nisso.

Com a próxima regra falamos melhor sobre ela, mas o guia que acabei de vincular a você não pode perder!

 

Quinta regra: primeiro você tem que entender, depois se faça entender

O verdadeiro problema em nossos relacionamentos é que não entendemos os outros e então não somos capazes de nos fazer entender.

O problema é que, como Covey explica, ouvimos de forma autobiográfica.

  • N√≥s avaliamos: concordamos ou discordamos.
  • Perguntamos: fazemos perguntas a partir da nossa maneira de ver as coisas.
  • Recomendar: Oferecemos conselhos com base em nossa experi√™ncia.
  • N√≥s interpretamos: tentamos atingir os outros, para explicar suas motiva√ß√Ķes, seu comportamento, com base em nossas motiva√ß√Ķes e nosso comportamento.

Em outras palavras n√≥s somos sempre o centro das nossas aten√ß√Ķes.

Em vez disso, você tem que entender os outros primeiro.

Para fazer isso, ouça e depois reformule.

Quando alguém fala com você, em vez de presumir que entende, repita com suas próprias palavras o que ele disse, perguntando a ele se você não está deturpando suas idéias.

Somente se essa pessoa realmente quisesse dizer o que você entende, você poderá responder.

Basicamente, você deve primeiro verificar se entendeu ou apenas interpretou à sua maneira e, em seguida, se fazer entender dizendo o que pensa.

Para isso existem três elementos que constituem a base de uma boa comunicação.

  1. Ethos, ou seja, sua credibilidade ou o quanto as pessoas realmente confiam em você e pensam que você está do lado delas.
  2. Pathos, sua habilidade de entender emo√ß√Ķes dos outros e ter empatia com eles emocionalmente.
  3. Logos, quão bom, ou bom, você é na comunicação suas idéias, para falar para transmitir o que você pensa, quem você é.

Para aumentar a confiança que os outros depositam em você, sugiro um guia que ensina como ajudar os outros a ter uma vida feliz.

Freq√ľentemente, suas boas inten√ß√Ķes, de fato, podem n√£o ser apreciadas ou aceitas por outras pessoas.

Sobre as emo√ß√Ķes, sugiro um guia que far√° com que voc√™ as compreenda profundamente e que explica como administrar as emo√ß√Ķes negativas e transform√°-las em positivas.

Sobre comunicação, leia o recurso que sugeri anteriormente, você descobrirá outro livro a não perder.

A essência dessa regra é buscar sempre, antes de tudo, a compreensão dos outros.

Por exemplo:

  • Quais s√£o as raz√Ķes pelas quais eles fazem o que fazem?
  • O que est√° se escondendo, ou poderia estar escondido por tr√°s de suas palavras?
  • Eles s√£o agressivos? Bem, por que eles podem atacar voc√™ para se defender?
  • Com o que eles se importam, com o que eles realmente se importam?

A partir de hoje pare de julgar o que os outros pensam, o que fazem e tentam entender seus motivos.

Não é uma questão de saber se eles estão errados ou não.

Se você quiser ajudar e interagir com eles de maneira positiva, primeiro deve realmente entendê-los.

Você não está competindo: ou vocês ganham juntos ou vão perder juntos.

Ouça, silenciosamente, faça perguntas e não dê ordens, pergunte e não critique.

Sempre se coloque no lugar dos outros, essa √© a √ļnica maneira de vencermos juntos.

 

Sexta regra: Sinergia, união e interdependência

Valorizar as diferenças é a essência da sinergia [...] todo ser humano vê o mundo não como ele é, mas como ele é.

Isso significa aprender a entender que n√£o precisa necessariamente haver um ponto de vista melhor, coincidentemente o seu, mas dois diferentes.

Sempre pensamos em observar a realidade objetivamente, mas isso praticamente nunca acontece.

Sempre estamos condicionados por nossas experi√™ncias, vis√Ķes, id√©ias, cren√ßas, mas nos arrogamos a capacidade de ver melhor do que qualquer outra pessoa.

Sinergia significa procure por uma terceira alternativa.

Covey d√° um exemplo:

A esposa e o marido brigam por causa de seus pontos de vista diferentes.

Ele quer sair de férias com os filhos, férias planejadas há algum tempo, enquanto ela acaba de saber que a mãe está doente e gostaria de visitá-la.

O problema surge porque cada um vê a situação do seu próprio ponto de vista, ignorando e não compreendendo o outro.

Sinergia significa ir em busca de uma alternativa, uma solução que não penalize nem um pouco a todos, mas que seja totalmente vantajosa e positiva para ambos.

Se voc√™ quiser saber como os dois protagonistas da hist√≥ria de Covey resolveram o problema, basta ler o livro ūüėČ

A sexta regra quer forçá-lo a não ver as coisas do seu próprio ponto de vista, mas a entender o dos outros.

Em outras palavras, aqui est√° o que fazer:

  1. Esqueça como você vê as coisasEm vez disso, tente entender os objetivos um do outro, o que você deseja alcançar e o que a outra pessoa deseja.
  2. Comece a ter ideias como ambos podem conseguir o que desejam colaborando, trabalhando juntos.
  3. Considere as várias possibilidades e não escolha aquele que menos te penaliza, mas sim aquele que combina com vocês dois, isso te satisfaz totalmente.

Ter pontos de vista diferentes é um problema só se você quiser impor o seu aos outros.

Caso contr√°rio, v√°rios pontos de vista podem levar a ideias e solu√ß√Ķes novas e talvez melhores do que as suas.

Sinergia significa isso: buscar uma terceira via, onde ambos, sem incertezas, ganhem.

Já que escrevi um guia para explicar como ter confiança e resolver qualquer problema, acho que é o momento certo para lê-lo.

Ent√£o chegamos √† √ļltima regra, a s√©tima

 

Descubra os 5 passos para viver INTENSAMENTE uma vida Cheio de emo√ß√Ķes e encontrar voc√™ bem e em equil√≠brio em todas as situa√ß√Ķes (sem mais se sentir mal).Independ√™ncia Emocional‚ÄĚ, Mesmo que voc√™ n√£o acredite nessas coisas o suficiente Podem eles Ser diferente ...

... Se você não confiar no seu Capacidade ou o seu Personagem Não te ajuda!

S√©tima regra: afie a l√Ęmina e as √ļltimas pontas para viver feliz

Antes de explicar como afiar a l√Ęmina, vamos ver brevemente as seis regras que nos explicam como viver feliz:

  1. Você é responsável por sua vida, você decide como reagir a cada situação e precisa se concentrar no que pode mudar e influenciar.
  2. Comece do final, descubra o que realmente merece ser a prioridade em sua vida, o que realmente pode lhe trazer a felicidade que você deseja (leia este guia, por favor!).
  3. Priorize as coisas importantes, para aqueles que contam para atingir esta meta e delega o resto.
  4. Ven√ßa envolvendo outros nesta vit√≥ria, ser sua. Aprenda a dar aos outros a mesma import√Ęncia que voc√™ d√° a si mesmo.
  5. Primeiro tente entender os outros, sem interpretar as suas ideias à sua maneira, para depois fazer-se compreender, ganhando a sua confiança e comunicando-se com clareza e transparência.
  6. Não pense que você está certo enquanto os outros estão errados. São todos pontos de vista, você está sempre em busca da melhor solução para todos.

O que significa afiar a l√Ęmina?

Meios recarregue as baterias, encontre energia para colocar essas seis regras em pr√°tica todos os dias.

Como viver feliz se não temos forças para isso?

Covey sugere 4 níveis:

  1. Dimens√£o f√≠sica, por meio de exerc√≠cios e esportes para treinar a respira√ß√£o e os m√ļsculos.
  2. Dimensão espiritual, descobrindo a maneira certa de desenvolver o seu. Sugiro este recurso que escrevi sobre espiritualidade, para começar a orientar você.
  3. Dimensão mental, ou seja, desenvolvendo uma consciência pessoal (leia também este guia!) e aprendendo a enfrentar sem preconceitos, lendo muito (aqui você encontrará algumas ideias) e refletindo muito.
  4. Dimens√£o social / emocional, aprendendo todos os dias a aplicar as regras 4, 5 e 6, aprendendo a se comunicar melhor para criar relacionamentos sinceros e baseados no amor.

A essência desta sétima regra reside em uma espiral positiva que você pode criar.

Para continuar progredindo, devemos aprender, nos comprometer e fazer, aprender, nos comprometer e fazer, e ent√£o aprender, nos comprometer e fazer novamente.

Aqui estamos, terminamos a jornada e você sabe quais são essas chaves para viver feliz.

Mas quero terminar oferecendo a voc√™ um guia final que re√ļne alguns elementos fundamentais que vivenciei pessoalmente, al√©m do livro de Covey: como ser feliz aconte√ßa o que acontecer.

Eu vi e senti aquela felicidade não depende de ninguém nem de nada, e eu quero que você descubra qual é o segredo dele.

Obviamente, convido você a ler o livro de Covey, para mim ele foi esclarecedor em muitos aspectos fundamentais.

Não concordo com todas as palavras, mas acredito que é uma leitura que todos devemos fazer.

Adicione um coment√°rio do Como viver feliz: as 7 regras para ter sucesso
Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.