close
    search Buscar

    Como o diálogo interno afeta o relacionamento do casal

    Quem sou
    Robert Maurer
    @robertmaurer
    FONTES CONSULTADAS:

    wikipedia.org

    Comentários sobre o item:

    aviso de conteúdo

    Nosso diálogo interno nunca para, é como um disco girando sem parar durante a maior parte do dia. Mas mesmo que estejamos cientes de sua existência, raramente questionamos seu conteúdo, presumimos que a maioria de nossos pensamentos são certos e tiramos conclusões com base neles.

    Esse diálogo interno costuma ser agravado em situações estressantes, por exemplo, quando estamos discutindo com nosso parceiro. Nestes casos, terminada a discussão, continuamos a pensar nas coisas que dissemos e no que queríamos dizer, nas coisas que o outro disse e nas implicações ocultas.



    Vale lembrar que esse tipo de "conversa" que temos conosco não é necessariamente negativa. Refletir sobre o que aconteceu pode nos ajudar a identificar erros e até nos permitir liberar a tensão. Mas para que nosso diálogo interno seja construtivo, é necessário ser crítico com as ideias e manter um certo distanciamento emocional.

    Infelizmente, depois de uma discussão não costumamos ter uma postura crítica, mas normalmente acionamos um monólogo que pode ser muito perigoso para o relacionamento, pois tende a focar nos aspectos negativos, ampliando seu impacto. Na verdade, em muitos casos, esse diálogo interno não começa após a discussão, mas enquanto a mesma está ocorrendo. Esses pensamentos podem influenciar o relacionamento do casal e condicionar a discussão?

    Pensamentos negativos geram frustração

    Um estudo muito interessante conduzido na Universidade do Texas descobriu que quando as pessoas estão infelizes em seu relacionamento como casal, elas tendem a passar mais tempo envolvidas em um diálogo interno marcado pela raiva e frustração. Em vez disso, os casais mais felizes conseguem entrar em sintonia com seus pensamentos positivos.


    O estudo envolveu 71 casais que estavam em um relacionamento há pelo menos três anos. As pessoas estavam em salas separadas e conversaram por meio de um bate-papo sobre um assunto polêmico. Eles foram informados de que tinham 10 minutos para encontrar uma solução. Enquanto argumentavam, os psicólogos pediam que verbalizassem seus pensamentos (não necessariamente o que estavam escrevendo para o outro, mas o que estavam pensando no momento de escrever).


    Antes do experimento, cada pessoa preencheu um questionário no qual era avaliada sua satisfação com o relacionamento. Por fim, os pesquisadores perceberam que, quando uma pessoa dava desculpas para escapar de suas responsabilidades ou negava seu papel no conflito, independentemente do que escrevesse, a outra se sentia mais infeliz. Porque?

    Não depende de telepatia, mas simplesmente do fato de ambas criarem um estilo de comunicação disfuncional que faz a outra pessoa se sentir mal e focar, por sua vez, em seus pensamentos negativos. É como um círculo vicioso em que cada pessoa se afasta do motivo do conflito para se concentrar cada vez mais em suas emoções negativas e em seu diálogo interior. Isso faz com que ela distorça o problema e também a impede de chegar a uma solução, gerando frustração e raiva.

    Os pesquisadores acreditam que a chave do problema está em nossa comunicação não verbal. Ou seja, mesmo que não expressemos o que pensamos, ainda enviamos pequenos sinais de mal-estar, insatisfação e raiva, que são captados pela outra pessoa e que por sua vez estimulam uma resposta negativa nela. Assim, cria-se um círculo vicioso em que ambos são prejudicados e o relacionamento do casal sofre. O que isto significa?

    Que em um casal discuta não só o que se diz, mas também como se fala e o que se pensa que é importante, porque o diálogo interno se manifesta por meio da comunicação extraverbal.


    Como gerenciar seu diálogo interno nas discussões?

    Na relação de casal, a confiança e a sinceridade devem prevalecer, o que significa que é possível compartilhar o que se pensa; você só precisa encontrar a maneira certa de fazer isso. Na verdade, nas sessões de terapia de casal, costuma-se verificar que ambas as pessoas sentem e pensam as mesmas coisas, mas não têm coragem de expressá-las em palavras. Portanto, a melhor maneira de gerenciar esse diálogo interno é expressá-lo.


    No entanto, antes de expressar suas ideias, certifique-se de:


    - Não culpe o outro: seu objetivo é encontrar uma solução,
    não é um defeito

    - Explique como você se sente: para que seu parceiro se coloque no seu
    roupas e será capaz de entender suas reações

    - Não faça generalizações: não use palavras como "sempre" ou
    "Nunca" porque geram uma reação negativa

    - Assuma sua parcela de responsabilidade: reconheça seus erros e
    indique o que você estaria disposto a fazer para resolvê-los

    - Ofereça uma solução possível: isso mostrará que você está disposto a
    esforce-se para mudar


    Vale lembrar que há momentos em que o relacionamento é seriamente prejudicado porque ambos aplicam um estilo de comunicação disfuncional há muito tempo. Nestes casos, é aconselhável procurar a ajuda de um especialista.

    Adicione um comentário do Como o diálogo interno afeta o relacionamento do casal
    Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.