close
    search Buscar

    Como eliminar um mau hábito (e criar um bom)

    Quem sou
    Robert Maurer
    @robertmaurer
    FONTES CONSULTADAS:

    wikipedia.org

    Comentários sobre o item:

    aviso de conteúdo

    Um hábito é uma escolha que fizemos há muito tempo e que se enraizou em nossa mente. Com as ferramentas certas, podemos aprender a fazer escolhas melhores.

    “Parar de fumar é a coisa mais simples do mundo. Já fiz isso milhares de vezes ".

    Mark Twain

    Por vários anos, eu escolhi continuar com GetPersonalGrowth uma filosofia de crescimento pessoal que pouco ou nada tem a ver com cursos ao vivo feitos de luzes e lantejoulas, para-gurus exaltados e conceitos banais repetidos ad nauseam. Escolhi uma maneira diferente de falar sobre crescimento pessoal.



    Na verdade, estou convencido de que mudanças reais não acontecem atravessando um tapete de brasas, acompanhado de algum jingle motivador. Estou convencido de que a verdadeira mudança deve ser conquistada, mas acima de tudo deve ser construída, dia após dia, no silêncio das nossas manhãs, no caminho das nossas escolhas, no fundo da nossa mente e do nosso coração. Estou convencido de que o caminho para a melhoria é pavimentado com bons hábitos.

    Os hábitos são de fato o ponto de partida, as bases e os tijolos elementares sobre os quais construir nossa revolução pessoal.

    Aho! 'mace como você é poético esta manhã Andre! O que você é magnata neste fim de semana? Agite Spears Pasta and Sonnets?! Como quem é Shake Spears ?! Bisavô de Britney Spears! 'Gnorante!

    Vamos voltar a ser sérios. Imagine por um momento como seriam seus dias se você pudesse ... parar de fumar, começar a comer de forma saudável, pare de procrastinar. Não somente. Imagine como seriam aqueles mesmos dias se você pudesse ... levantar cedo pela manhã, treinar constantemente, trabalhar de forma produtiva. Quão diferente seria sua vida? Quanta satisfação você sentiria consigo mesmo? Que objetivos você poderia alcançar?


    Não é ruim certo? Bem, no artigo de hoje, quero compartilhar com vocês as estratégias mais eficazes para elimine um mau hábito (e talvez substitua-o por um bom). Você está comigo?


    A fórmula mágica para mudar um hábito ...

    …não existe. Sim, você leu certo: não existe uma fórmula mágica que permita que você mude seus malditos hábitos da noite para o dia. Não senhor! Desculpe, não há nada a fazer! Cada indivíduo é único, assim como o conjunto de hábitos que caracterizam seu comportamento.

    O fato de não haver uma única fórmula mágica não significa que não possa haver uma modelo geral isso nos ajuda a entender como um hábito funciona e quais são as alavancas sobre as quais agir para criá-lo, mudá-lo ou eliminá-lo. Este modelo existe e é conhecido como modelo de sinal - rotina - gratificação (SRG).

    O sinal - rotina - modelo de gratificação

    No final da década de 3, os pesquisadores do MIT descobriram um mecanismo neurológico subjacente aos nossos hábitos. Este mecanismo consiste em XNUMX elementos essenciais: o sinalizar, a rotina e gratificação.

    O sinal é uma condição ambiental particular que empurra nosso cérebro para ativar o "piloto automático" fazendo-nos criar um hábito sem perceber. Exemplos clássicos de sinais podem ser: uma condição emocional (por exemplo tédio), uma hora do dia, um lugar físico, etc.

    La rotina é o que fazemos automaticamente quando o sinal ocorre. Uma rotina pode ser física, ou seja, realizamos determinadas ações, mentais, ou seja, temos pensamentos específicos, ou emocionais, ou seja, experimentamos determinadas emoções.


    A gratificação é o que fortalece o hábito em nosso cérebro; é essa reação bioquímica que diz à nossa mente que uma rotina deve ser lembrada porque nos fazia sentir alguma forma de prazer (ou evitada porque nos fazia sentir dor).


    Para que você entenda melhor do que estou falando, vou dar um exemplo da minha vida pessoal. No passado, todas as manhãs, assim que acordava (sinal), ligava meu iPhone para verificar meu e-mail (rotina) e sentia uma sutil forma de realização ao receber uma nova mensagem (gratificação). Mas tenho certeza de que este é um mau exemplo: você certamente nunca fez algo tão estúpido ... fez? ;-)

    Foi nesse período que descobri o modelo SRG entre as páginas do best-seller "A Ditadura dos Hábitos”Pelo repórter Charles Duhigg do New York Times. Se você está tendo problemas com seus hábitos, o livro de Duhigg é obrigatório. Além de oferecer insights muito interessantes, oferece um método eficaz rota em 4 etapas para eliminar, modificar ou melhorar qualquer hábito. O que você me diz, podemos dar uma olhada?

    1. Identifique a rotina

    O primeiro passo fundamental para fazer qualquer mudança é o consciência. Fique ciente do maus hábitos é a porta de entrada para o nosso caminho de crescimento pessoal. Comece perguntando a si mesmo quais hábitos você pretende mudar, quais hábitos estão limitando seu potencial, quais hábitos estão literalmente arruinando sua vida.

    Se necessário, faça uma lista desses hábitos. A melhor maneira de entender quais comportamentos você deseja mudar é começar com as rotinas por trás desses hábitos. No meu caso, por exemplo, ligar o iPhone e verificar o e-mail foi a rotina a mudar.


    Identificação em rotina é fácil. É mais difícil entender o que sinalizar que desencadeia nossa rotina, e é ainda mais difícil identificar o gratificação nos estamos procurando por. Por isso é preciso experimentar um pouco ...

    2. Experimente diferentes formas de gratificação

    O objetivo desta segunda fase é identificar o necessidades que estamos satisfazendo com nossas rotinas. Para fazer isso, temos que fazer algumas… “variações sobre o tema“.


    Imagine-se verificando seu e-mail logo pela manhã (mas tenho certeza que não!). Resista a essa necessidade urgente e tente fazer algumas pequenas mudanças: ligue seu smartphone e, em vez de verificar seu e-mail, leia um artigo doArquivo GetPersonalGrowth; ou medite por 20 minutos, ou melhor ainda, saia para correr!

    Neste momento, a ação que você realiza não importa muito (claro que substituir um mau hábito por outro pior não seria particularmente inteligente), o importante é experimentar diferentes gratificações, até identificar aquela que satisfaça a sua. necessidade latente, exatamente como a gratificação original.

    Entender exatamente a que necessidade estamos atendendo não é fácil, por isso aconselho você a acompanhar seus experimentos: ao final de cada nova atividade escreva 3 palavras (Sol, Coração, Amor! Não, estou brincando !!!), os primeiros que vêm à sua mente. Podem ser 3 palavras que descrevem seu humor ou pensamentos aleatórios. Depois de escrevê-los, faça a si mesmo uma pergunta simples: você ainda sente necessidade de verificar seu e-mail (ou de fazer sua rotina)?

    A primeira vez que responder "não", você terá encontrado sua gratificação de substituição e as 3 palavras o ajudarão a entender a necessidade que está atendendo. Para mim, verificar o e-mail significava começar o dia com uma "pequena vitória", como uma mensagem de alguém especial ou um comentário positivo de um leitor.

    Bem, neste ponto, só temos que encontrar o sinalizar que desencadeia nosso hábito!

    3. Isole o sinal

    Quanto ao meu antigo hábito, "acordar de manhã" era o sinal para verificar o e-mail. No entanto, nem sempre é tão fácil identificar o sinalizar; muitas vezes acontece que o sinal brinca de esconde-esconde. No entanto, as pesquisas realizadas por bolsistas do MIT podem nos ajudar. Na verdade, existem 5 categorias fundamentais de sinais:

    • Il lugar onde estamos.
    • O agora do dia.
    • Nosso estado emocional.
    • Le pessoas com quem estamos.
    • Le ações que realizamos.

    Se quiser identificar o seu sinal, nos próximos dias, toda vez que colocar em ação o hábito que deseja mudar, tente responder a estas 5 perguntas simples:

    • Onde você está?
    • Que horas são?
    • Como você está se sentindo?
    • Quem está com você?
    • O que você acabou de fazer?

    Ao responder a essas perguntas por 1 semana, você será capaz de identificar o sinal que aciona sua rotina. Como mencionei, no meu caso era a hora do dia (o despertador).

    4. Defina um plano de ação

    Agora que você sabe muito mais informações sobre seu hábito, é hora de desmontá-lo um pouco de cada vez e reconstruí-lo do zero; para fazer isso, você precisa de um piano! Por exemplo, para me livrar do meu mau hábito, adotei este plano simples:

    Todas as manhãs, assim que eu acordo (sinalizar), Eu uso tênis de corrida e vou correr (rotina), para começar o dia com uma pequena vitória (gratificação).

    Meu plano.

    Depois de identificar também os 3 elementos essenciais do seu hábito, você terá todas as ferramentas para modificá-lo, eliminá-lo ou melhorá-lo. Para ajudá-lo, incluí abaixo um bom infográfico de "A Ditadura dos Hábitos"(Clique na imagem para ampliar).

    Desejo a vocês uma semana maravilhosa, tenho certeza que será cheia de novidades interessantes.

    Adicione um comentário do Como eliminar um mau hábito (e criar um bom)
    Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.