close
    search Buscar

    Como decidir o que fazer na vida e se priorizar

    Quem sou
    Louise Hay
    @louisehay
    FONTES CONSULTADAS:

    wikipedia.org

    Coment√°rios sobre o item:

    aviso de conte√ļdo


    Como decidir o que fazer da vida? Que a√ß√£o tomar? Como priorizar? eu penso isso essas s√£o quest√Ķes um tanto problem√°ticas e insidiosas ao qual tentamos dar uma resposta. A verdade √© que muitas vezes nos encontramos em situa√ß√Ķes em que n√£o temos a menor id√©ia do que fazer. Na verdade, pode haver in√ļmeras ocasi√Ķes - tanto no trabalho quanto na vida privada - em que a indecis√£o nos assalta, confundindo nossas ideias e nos impedindo de estabelecer os pr√≥ximos passos a serem dados.



    Neste artigo, portanto, Pretendo dar uma s√©rie de sugest√Ķes sobre como decidir o que fazer na vida e quais a√ß√Ķes tomar. Primeiro, vamos esclarecer uma coisa: estar muito ocupado e ocupado n√£o significa automaticamente fazer o que √© importante, necess√°rio ou decisivo para o nosso futuro. Com efeito, muitas vezes acontece que dedicamos todo o nosso tempo a assuntos urgentes, negligenciando os realmente significativos e importantes. Se estamos sobrecarregados com compromissos e tarefas di√°rias, se estamos "muito ocupados", √© muito prov√°vel que estejamos ofuscando algo mais importante. Mas vamos ver como voc√™ pode evitar que isso aconte√ßa.

    Amanh√£ serei o que escolhi ser hoje.

    James Joyce

    Como decidir o que fazer da vida

    # 1. Preste atenção ao seu redor

    Qualquer ação eficaz começa apenas depois de prestar muita atenção ao mundo ao redor. Analisar o que nos rodeia é uma capacidade inestimável de apreender uma série de "detalhes" e ter mais elementos para entender o que fazer da vida. Uma vez que não podemos fazer tudo o que queremos ou devemos fazer, somos forçados a escolher uma ação a realizar renunciando a todas as outras. Por isso é essencial estabelecer prioridades. Pergunte a si mesmo se as prioridades que você estabeleceu durante esse período refletem genuinamente o que é realmente importante para você. Eles são consistentes com seus objetivos? Prestar mais atenção ao ambiente ao seu redor pode ser um estímulo, inspirá-lo a tomar uma iniciativa específica e dar-lhe o ímpeto para fazer algo novo ou diferente.



    # 2. Identifique seus objetivos

    Perguntar "qual √© o meu objetivo?" sem d√ļvida, √© uma √≥tima maneira de verificar se o que voc√™ est√° fazendo √© realmente o que voc√™ precisa fazer. O que voc√™ mais se preocupa? Que legado voc√™ quer deixar? Como j√° sugerido em outro artigo, h√° uma s√©rie de perguntas que voc√™ deve fazer a si mesmo encontre seus objetivos na vida. O problema √© que frequentemente achamos muito f√°cil nos dedicar ao que gostamos; embora seja muito mais dif√≠cil mudar o interesse e focar no que sabemos que precisamos fazer. N√£o estou dizendo que √© preciso abrir m√£o dos hobbies ou daquela flexibilidade que √†s vezes nos leva a nos distrair e a sentir uma serenidade moment√Ęnea; Eu apenas digo que √© necess√°rio melhorar a autodisciplina frente, um h√°bito muito importante para decidir o que fazer na vida.

    # 3. Reflita sobre sua vida

    J√° aconteceu com voc√™ que voc√™ foi o protagonista de um epis√≥dio em que voc√™ acreditava que n√£o havia feito nada de errado ou fora do lugar, mas depois, refletindo, percebeu que estava errado e se desculpou? Ningu√©m √© perfeito: deduzo, portanto, que a resposta a esta pergunta √© "sim". Ou ainda: Voc√™ j√° deu uma resposta precipitada e percebeu que poderia ter usado palavras diferentes e certamente mais eficazes? Aqui, estes s√£o exemplos de como uma reflex√£o pode nos ajudar a entender o que √© melhor ou necess√°rio fazer. No entanto, muitos de n√≥s temos uma exist√™ncia t√£o agitada que nem temos tempo para pensar. Ent√£o passamos de um compromisso a outro sem nem parar para avaliar o que realmente importa. E quanto menos pensamos, mais falhamos! Meu conselho, ent√£o, √© fazer a si mesmo perguntas que estimulem a reflex√£o: ‚ÄúQual √© o impacto de minhas a√ß√Ķes no mundo ao redor? √ą Esta √© realmente a a√ß√£o mais importante que posso realizar agora? Minhas escolhas s√£o consistentes com meus valores? Existe uma maneira melhor ou mais gentil de fazer a mesma coisa? ‚ÄĚ. D√™ a si mesmo alguns momentos de reflex√£o, umas f√©rias ou at√© mesmo um breve retiro em um lugar onde voc√™ pode ficar sozinho e pensar. A dist√Ęncia ajuda a ver as coisas de uma perspectiva diferente, certamente mais clara, e abre novas perspectivas. Para concluir, olhe cuidadosamente para o quadro geral de sua vida, reflita sobre isso e decida de acordo o que fazer (ou n√£o fazer).



    # 4. Distinguir o urgente do importante

    Devemos agora considerar outro fator: a diferen√ßa entre o que √© urgente e o que √© realmente importante. Muitas vezes cometemos o erro de nos dedicarmos ao que √© urgente, porque tem prazo, enquanto adiamos o que n√£o tem prazos particulares, mesmo que seja uma atividade muito importante para o nosso crescimento pessoal. Infelizmente, os compromissos urgentes podem ser tantos e seguir uns aos outros t√£o rapidamente, um ap√≥s o outro, que j√° n√£o temos tempo para nos dedicar √†s tarefas mais importantes. Pense no que √© realmente importante para voc√™, independentemente da urg√™ncia. Pergunte a si mesmo: "O que realmente importa para mim?" Mesmo que sejam objetivos de longo prazo, que exijam muito tempo e muitos sacrif√≠cios, √© fundamental come√ßar a lidar com eles agora, com a√ß√Ķes concretas. Fique ativo imediatamente, comece a dar o primeiro passo hoje. Voc√™ n√£o pode viver apenas pensando em resolver emerg√™ncias; voc√™ desperdi√ßaria sua exist√™ncia!

    # 5. Assumir riscos

    A maioria de n√≥s tem uma vida que tende a manter o status quo. Continuamos morando na mesma casa e fazendo o mesmo trabalho. Mesmo em nosso tempo livre, continuamos a nos dedicar aos mesmos hobbies indefinidamente. Talvez at√© passemos as f√©rias no mesmo local todos os anos. Mas o que acontece se voc√™ continuar a viver apenas experi√™ncias familiares e evitar o inexplorado? Desta forma a vida deixa de ser uma aventura emocionante e tudo se torna mais seguro, mas tamb√©m enfadonho e √≥bvio. Infelizmente vivemos em uma sociedade que nos leva a nunca correr riscos, a ser prudentes, a nos garantir, a nos proteger. √Č claro que, em alguns casos, estar do lado seguro √© bom, mas se essa previs√£o se tornar um h√°bito constante, inevitavelmente ficaremos presos em nossa rotina, seguros, mas desprovidos de brio e est√≠mulos. Sem ter coragem de arriscar e sair da zona de conforto, a mudan√ßa torna-se imposs√≠vel. Ent√£o, se voc√™ quer saber o que fazer da sua vida, a primeira coisa √© ter uma abordagem mais orientada para o risco. Desistir da seguran√ßa e da estabilidade para se aventurar no desconhecido e arriscar √© o mais √ļtil que voc√™ pode fazer para crescer e mudar para melhor! Saiba que qualquer coisa significativa que voc√™ fa√ßa em sua vida depender√° dos riscos que voc√™ est√° disposto a correr. N√£o tenha medo de procurar novos caminhos. Mesmo no n√≠vel da opini√£o: desenvolva sua mente pensante sem nunca se conformar e se submeter ao pensamento dominante ou coletivo. N√£o h√° nada mais med√≠ocre do que uma mente n√£o pensante, uma mente que se adapta ao pensamento comum, sem individualidade e capacidade anal√≠tica pr√≥prias. Voc√™ est√° disposto a ousar descobrir e alcan√ßar seu objetivo? N√£o existe uma maneira infal√≠vel de fazer isso. Se voc√™ quer aprender a mergulhar, mais cedo ou mais tarde ter√° que pular na √°gua! Voc√™ ainda tem um longo caminho a percorrer? E da√≠? Qual √© o problema? A primeira tentativa provavelmente n√£o ir√° muito bem, e talvez a segunda tamb√©m n√£o funcione. Acostume-se a errar √†s vezes, e tamb√©m ao medo do fracasso e √† ansiedade que o acompanhar√° nesta grande aventura que √© o seu crescimento pessoal; por outro lado, inseguran√ßas e d√ļvidas s√£o normais diante de algo novo. O maior risco que voc√™ pode correr √© n√£o fazer nada, mesmo sabendo que voc√™ tem que fazer algo. Neste momento pode n√£o parecer t√£o s√©rio adiar algum projeto importante, mas, quando chegar a um ponto da sua vida em que n√£o pode mais fazer nada, olhar√° para tr√°s com pesar por tudo o que n√£o fez, por aqueles objetivos significativos que voc√™ sempre adiou. Se voc√™ tem um grande projeto, um projeto que considera importante, algo que o estimula e desperta seu entusiasmo, at√© mesmo uma paix√£o, comece a se ocupar imediatamente. Ousar agir √© o maior poder de que disp√Ķe; n√£o o desperdice!



    Livro recomendado

    Se voc√™ precisar aprender a tomar decis√Ķes e a correr riscos na vida, Eu recomendo o que - na minha opini√£o - √© um obra-prima liter√°ria sobre o tema: Aprenda a correr riscos. Como tomar decis√Ķes certas por Gerd Gigerenzer. Aqui est√° a sinopse do livro.

    Voc√™ se lembra do desastre da hipoteca lixo? Ou doen√ßa da vaca louca? Muitos de n√≥s fomos arruinados pelo colapso de nossos fundos de investimento ou ficamos com medo de devorar um bom bife suculento. Nesta era de supercomputadores e superabund√Ęncia de dados, gostamos de pensar que nossa capacidade de prever o futuro com precis√£o √© a melhor de todos os tempos. Mas √© apenas ilus√£o e preconceito. Gerd Gigerenzer, que entende muito de risco, nos mostra que ter mais informa√ß√Ķes nem sempre leva a decis√Ķes acertadas. Freq√ľentemente, os melhores resultados s√£o obtidos quando levamos em considera√ß√£o menos conhecimento e seguimos nossos instintos. Usando regras muito simples, cada um de n√≥s, sem consultar o especialista, o supercomputador ou a bola de cristal, √© capaz de tomar decis√Ķes sensatas em quest√Ķes de sa√ļde, finan√ßas e outras quest√Ķes vitais. Isso reabilita a "intui√ß√£o" abertamente difamada.

    Adicione um coment√°rio a partir de Como decidir o que fazer na vida e se priorizar
    Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.