Communitas e alegria coletiva

Communitas e alegria coletiva

Communitas √© a emo√ß√£o que vem da alegria de compartilhar o tempo com um grupo significativo de pessoas. √Č um sentimento de pertencimento em que a identidade de cada um √© respeitada e n√£o h√° submiss√£o.

Communitas e alegria coletiva

Última atualização: 30 de janeiro de 2022

Communitas √© uma emo√ß√£o intensa, efervescente e alegre que sentimos na companhia de outras pessoas. √Č a alegria coletiva que vem da uni√£o, da ades√£o a um grupo de figuras significativas com quem se relaciona. Poucas sensa√ß√Ķes s√£o t√£o gratificantes para o ser humano comparadas ao sentimento de pertencimento.



√Č interessante saber que este conceito n√£o √© apenas o oposto da solid√£o, tamb√©m est√° longe de domina√ß√£o ou submiss√£o.

Uma dimensão em que a identidade de cada membro é respeitada, pois nada é tão satisfatório quanto contribuir para um grupo com ideias, valores, perspectivas e abordagens. A diversidade do grupo é a sua força.

A fus√£o de longo prazo de identidade e submiss√£o leva √† domina√ß√£o e √† fraqueza. comunidades √© sin√īnimo de felicidade, dinamismo, divers√£o e cumplicidade.

√Č uma uni√£o espont√Ęnea de seres que se valorizam e se respeitam, de figuras que desfrutam dos momentos de coletividade em que um grupo √© muito mais do que as partes que o comp√Ķem.

Communitas é uma emoção que enriquece o ser humano. Somos seres sociais que precisam de vínculos seguros, significativos e respeitosos.

O que é a communita?

Communitas é a emoção que promove calma e harmonia em um mundo imerso no caos. Dá harmonia, confiança e alegria no sentido mais pleno. Poucos estados são tão catárticos e socialmente benéficos quanto a alegria.


Trabalho de pesquisa realizado na Eastern Washington University destaca que quando nos sentimos alegres, a gratidão e o bem-estar social aumentam. Communitas é uma emoção distinta e comovente e se pararmos para analisá-la, descobriremos que quase sempre a experimentamos quando estamos em companhia.


A vida assume um aspecto diferente quando estamos com pessoas que apreciamos. Foi a antropóloga Edith Turner quem cunhou e estudou o conceito de communitas e o definiu como aquele experimentado por um grupo de pessoas cuja vida em conjunto adquire pleno sentido.

√Č uma percep√ß√£o espont√Ęnea e reconfortante que surge quando percebemos que os que nos rodeiam d√£o sentido √† nossa exist√™ncia.

Saber compartilhar tempo de qualidade, o segredo das boas alianças

A emo√ß√£o da communitas surge quando algumas atividades s√£o realizadas em conjunto. Ser colegas, viajar, comer juntos, festejar, apoiar-se nos momentos de dificuldade, ser ref√ļgio um do outro, cuidar um do outro... Tudo isso forma uma liga luminosa que d√° bem-estar.

O sentimento de pertencimento √© constru√≠do atrav√©s do compartilhamento de alian√ßas e tempo de qualidade. Mas tamb√©m descobrindo que estamos cercados de pessoas em quem podemos confiar. √Č assim brisa quente que conforta, que faz voc√™ se sentir em casa e isso aplaca todo o medo.

Communitas, a emoção que não extingue a individualidade

Nós o antecipamos: communitas é a emoção que sentimos quando nos sentimos parte de um grupo em que a individualidade do indivíduo é respeitada.

√Č a alegria que acelera os cora√ß√Ķes quando percebemos que nossa singularidade √© respeitada e apreciada. Os tra√ßos distintivos de cada um tornam o grupo mais forte, mais rica e diversificada.


Como aponta a antropóloga Edith Turner, quando experimentamos o sentido de communitas há um desprezo pelo status. Ninguém é superior nem inferimos, somos todos iguais.

Porquê a total ausência de ego define essa emoção; o orgulho desaparece para dar lugar à apreciação e alegria genuínas.

Nessa emo√ß√£o h√° uma valoriza√ß√£o genu√≠na do outro: sua individualidade √© apreciada porque sabemos que o que nos torna √ļnicos enriquece os outros.



Pessoas que ressoam umas com as outras para investir em felicidade e confiança

Communitas é uma emoção inscrita em nosso potencial humano. Somos seres sociais, formando comunidades e fazer parte de um grupo é uma necessidade para nós.

Ser cooperativo, ajudar uns aos outros, curtir a companhia de familiares e amigos é uma caneta que nos ajuda a escrever nossa história de forma positiva.

Todos somos melhores quando aproveitamos ao máximo nosso tempo e o compartilhamos com as pessoas de quem gostamos. Mesmo quando nos deixamos cuidar e lá permitimos experimentar a alegria da companhia de quem nos faz feliz com a sua presença, com os seus gestos e palavras.

Quando encontramos pessoas que ressoam conosco, essa sinergia surge graças à qual caminhamos na mesma direção: investir na felicidade.

Alegria coletiva contra a solid√£o

Vivemos em sociedades cada vez mais individualistas onde a solid√£o cresce como ervas daninhas que crescem fora de todas as propor√ß√Ķes. E isso nos deixa doentes.


Nessas circunst√Ęncias, apenas o senso de communitas pode vir em nosso aux√≠lio. Somente a alegria coletiva (experimentada com outras pessoas) √© capaz de nos salvar de nossos universos de tristeza e solid√£o.

A necessidade de pertencimento e coletividade tem sido o segredo de nossa sobreviv√™ncia desde o in√≠cio dos tempos. A companhia de outras pessoas com quem compartilhar a vida, projetos, medos e desejos tra√ßa esse v√≠nculo que nos permite sair das profundezas de nossas depress√Ķes e de nosso isolamento.

Vamos aproveitar essa emoção, vamos promover esse estado, porque communitas é aquele prazer coletivo que todos nós precisamos.

Adicione um coment√°rio do Communitas e alegria coletiva
Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.

End of content

No more pages to load