close
    search Buscar

    Assertividade, os dez direitos que frequentemente esquecemos

    Quem sou
    Joe Dispenza
    @joedispenza
    FONTES CONSULTADAS:

    wikipedia.org

    Coment√°rios sobre o item:

    aviso de conte√ļdo

    A complexidade cada vez maior do ambiente em que vivemos nos coloca nas mais diversas dificuldades. Talvez os problemas mais complexos sejam aqueles que se originam das rela√ß√Ķes interpessoais e que exigem muita assertividade para que uma solu√ß√£o seja encontrada. Mas ... o que √© assertividade? As defini√ß√Ķes s√£o muitas, tentaremos nos aproximar das mais pr√°ticas: assertividade √© expressar nossos direitos pessoais de forma a n√£o prejudicar os outros, mas ao mesmo tempo sem cair em uma condi√ß√£o de submiss√£o ou preconceito individual. √Č uma habilidade que inclui os pensamentos, atitudes e comportamentos que nos permitem fazer valer os nossos direitos sem agredir ningu√©m e sem sermos agredidos, valorizando o momento, a forma e o caminho mais adequados. Pessoa assertiva √© aquela que consegue exprimir as suas opini√Ķes de forma aberta e sem receios mas com respeito pelos outros, conseguindo sempre encontrar uma solu√ß√£o, a mais adequada, face aos conflitos que possam surgir. Algo muito dif√≠cil de fazer! Sem d√ļvida. Muitas vezes deixamos que as pessoas atropelem nossos direitos, isso acaba levando a um c√≠rculo vicioso em que acabamos tendo uma boa parte de nossa individualidade retirada at√© nos encontrarmos completamente submissos aos outros e com imensos sentimentos de inseguran√ßa e insatisfa√ß√£o. Ent√£o ... quais s√£o os nossos direitos assertivos? A lista pode ser muito longa, j√° tentei reduzi-la a esses dez direitos assertivos que me parecem essenciais. Temos o direito de: 1. Ser tratados com respeito e dignidade. 2. Cometer erros e nos responsabilizar por eles. 3. Expressar nossas opini√Ķes, cren√ßas e emo√ß√Ķes e tamb√©m mudar nossa opini√£o. 4. Valorizar nossas pr√≥prias necessidades tanto e quanto as dos outros. 5. Julgar a n√≥s mesmos por nossas a√ß√Ķes, pensamentos e emo√ß√Ķes, mas ao mesmo tempo devemos assumir a responsabilidade pelas consequ√™ncias. 6. Nem sempre ter que apresentar raz√Ķes para justificar nosso comportamento. 7. Ser independente da vontade da maioria e at√© mesmo nos mostrar em desacordo. 8. Diga: ‚ÄúN√£o entendo‚ÄĚ e acima de tudo, temos o direito de dizer ‚Äún√£o‚ÄĚ sem nos sentirmos culpados. 9. Decidir o que fazer com nosso corpo, tempo e nossas propriedades. 10. Seja feliz. No entanto, esses direitos n√£o s√£o uma esp√©cie de dez mandamentos. Devemos sempre ter em mente que todos temos os mesmos direitos, portanto, um m√≠nimo de bom senso √© essencial para colocar a assertividade em pr√°tica. Lembremos que os direitos assertivos t√™m como objetivo aumentar o respeito pelos seres humanos e pela vida, n√£o para justificar o comportamento ego√≠sta. Um mundo melhor √© poss√≠vel, mas precisamos da participa√ß√£o de todos n√≥s, um por um.
    • 23-
    Adicione um coment√°rio a partir de Assertividade, os dez direitos que frequentemente esquecemos
    Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.