Ang√ļstia e Eustresse: inimigos ou aliados?

    Ang√ļstia e Eustresse: inimigos ou aliados?

    √Č estranho que um dia possa passar sem a palavra "estresse"Toque em nossos ouvidos. Agora entrou
    esmagadoramente em nosso vocabul√°rio di√°rio. Muitas pessoas usam para
    expressar sua dor enquanto outros a usam para pedir ajuda.
    No entanto, todas as pessoas que afirmam estar estressadas est√£o realmente estressadas?

    Psicologicamente
    falando, refere-se ao estresse quando uma pessoa percebe que o
    pressão do ambiente ou das atividades para as quais você se preparou
    perceber, exceder suas habilidades para enfrent√°-los com uma boa chance
    bem sucedido. E, claro, esta situação a coloca em perigo
    equilíbrio emocional. eu sei
    se adotarmos essa perspectiva, seremos capazes de entender que realmente muitos dos
    situa√ß√Ķes que consideramos estressantes n√£o s√£o realmente. Ou seja, podemos
    qualific√°-los como pesados, complicados, indesejados ou cansativos, mas n√£o
    estressante. De fato,
    em psicologia, foi feita uma distinção que divide o estresse em dois grandes
    categorias: ang√ļstia e eustress. o ang√ļstia
    é o aspecto negativo do estresse quando sentimos que não podemos lidar
    uma determinada situação, pois é maior do que nós. No outro
    sair, oeustress seria estresse
    positivo, isto é, o que nos permite nos adaptar às mudanças e
    reaja rapidamente e com maior força
    diante dos problemas e perigos que enfrentamos. Seria como um
    tipo de atitude inata de luta / fuga que adquirimos de nossa própria
    predecessores e que não só nos ajudaram a conservar a espécie, mas que lá
    nos permite dar 110% de nós em certas atividades.
    exemplo, vários estudos têm mostrado que funcionamos melhor quando temos
    prazos a serem cumpridos. Isso acontece porque neste caso percebemos
    como uma ameaça do meio ambiente e tomamos medidas para
    reagir a isso. Uma série de coisas acontecem em nossos cérebros
    mudanças que nos permitem estar mais atentos e ver muito mais
    coisas claramente. Este estado de excitação positiva é conhecido como
    eustress e nos permite ficar e trabalhar até tarde da noite sem
    sentir-se cansado. Normalmente, depois de terminar a atividade,
    voltamos ao nosso estado normal e nos desconectamos sem contratempos. Para
    no entanto, eustress que é mantido por longos períodos de tempo pode dar origem
    √† ang√ļstia; conseq√ľ√™ncias negativas para a sa√ļde, portanto, aparecem. A situa√ß√£o √©
    tão grave que se verifica que 75% das consultas médicas fazem
    perceber que eles têm o estresse como causa direta ou indireta. o
    o fato de que passamos dias, semanas e meses em um estado de excitação
    permanente, acaba minando nossas defesas, tanto no plano psicológico
    aquele f√≠sico. N√£o apenas come√ßamos a manifestar ins√īnia, irritabilidade,
    depress√£o, ansiedade, sentimentos de des√Ęnimo e perda de controle, al√©m de
    problemas de memória e atenção, mas também podemos desenvolver hipertensão,
    press√£o alta, aumento da freq√ľ√™ncia card√≠aca, problemas de est√īmago, diminui√ß√£o
    das defesas imunológicas naturais do corpo e um aumento na
    liberação de triglicerídeos e colesterol no plasma. Para entender
    o mecanismo de estresse, imagine um motor funcionando a 110%
    de suas capacidades. Pode ser que por alguns dias resista, mas mais cedo ou mais tarde
    ele começará a ter problemas até que finalmente ceda. Contudo,
    o principal problema n√£o √© a ang√ļstia em si, mas sim a nossa
    incapacidade de reconhecer os primeiros sinais para evitá-lo. Por isso é
    é essencial identificar quais são as causas do estresse e trabalhar nelas
    est√° prestes a elimin√°-los pela raiz. Le
    cinco causas do estresse di√°rio
    1. N√£o
    ser capaz de se desconectar dos problemas. Dificuldades de trabalho devem
    ficar no escritório e os da casa em casa. Se passarmos o dia todo
    pensando em um problema isso vai acabar nos esgotando, reduzindo o nosso
    efic√°cia no trabalho e, como consequ√™ncia direta, produzir√° "ang√ļstia". Claro,
    é difícil ter sucesso nisso, mas com um pouco de disciplina mental é possível
    tarifa. 2
    Adie decis√Ķes. Adiar o que podemos fazer hoje √© como amanh√£
    uma espada de D√Ęmocles permanentemente suspensa sobre nossas cabe√ßas. Se peg√°ssemos
    uma decis√£o, quanto mais cedo a colocarmos em pr√°tica, melhor. Evitando assim
    acumulando problemas e atividades. 3. N√£o
    organizar. O tempo não é elástico, o dia tem 24 horas e dessas teremos que passar
    alguns durante o sono. Em suma, não temos que gastar nosso tempo no negócio
    sem import√Ęncia. Aprenda a hierarquizar e colocar em ordem
    a prioridade é a base para eliminar o sofrimento. Então, no final do dia, não
    você terá aquela sensação odiosa de não ter feito nada. Além disso, lembre-se sempre
    que você terá que aprender a dizer "não" e se comprometer apenas com essas atividades
    que você pode fazer. 4
    Assuma uma atitude passiva. Nós nos preocupamos mais com as coisas do que com as coisas
    nós cuidamos disso; ou seja, passamos muito tempo nos preocupando com um fato e o
    suas consequências, em vez de gastar este tempo para buscar uma solução e
    colocá-lo em prática. Atitude proativa é essencial para combater o
    ang√ļstia.

    5.
    Não compartilhe sentimentos e problemas. Falar é catártico, expressar o que
    vamos tentar compartilhar nossos problemas nos ajudar√° a nos sentirmos muito melhor.
    Além disso, a ideia de que “dois
    cabe√ßas pensam melhor do que uma ". Muitas vezes, falar sobre os problemas √© o √ļnico
    forma de encontrar uma solu√ß√£o para eles, porque essa √© a √ļnica maneira de chegar l√°
    vai abrir novas perspectivas.





    Adicione um coment√°rio do Ang√ļstia e Eustresse: inimigos ou aliados?
    Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.