Amor inconsciente: quando se torna?

Amor inconsciente: quando se torna?

O amor inconsciente vai al√©m de nossas cren√ßas e valores. Sem perceber, nos leva a tomar decis√Ķes que muitas vezes n√£o entendemos. Falamos sobre isso neste artigo.

Amor inconsciente: quando se torna?

Última atualização: 07 de janeiro de 2022

O amor pode produzir uma metamorfose em nós. Podemos nos tornar uma pessoa muito diferente de quem realmente somos. Até estranhos. O amor é um sentimento tão difícil de explicar que às vezes toma conta de tudo: aqui se torna amor inconsciente.



Todo mundo tem sua pr√≥pria defini√ß√£o de amor com base no que viveu, leu, ouviu. O dicion√°rio Treccani define o amor como ‚Äúum sentimento de profunda afei√ß√£o por uma pessoa que se manifesta como um desejo de obter seu bem e buscar sua companhia‚ÄĚ.

Neste artigo falamos sobre o amor que vai além da consciência. Vamos descobrir o que é, quais são as características desse sentimento e como reconhecê-lo.

Se nosso medo consciente é o de não ser amado, nosso medo real e inconsciente é o de amar.

-Erich Fromm-

Quando o amor fica inconsciente?

Vamos falar sobre amor inconsciente para descrever aquele sentimento que se move atrav√©s de sonhos, desejos, medos, impulsos e emo√ß√Ķes, que anda de m√£os dadas com instintos e impulsos. √Č dif√≠cil para nossa consci√™ncia acess√°-lo, porque seu conte√ļdo √© reprimido, ou pelo menos em parte.

Voc√™ j√° se perguntou por que encontramos pessoas que nos atraem profundamente, mas ao mesmo tempo representam a ess√™ncia de nossas frustra√ß√Ķes? Talvez porque existam aspectos subconscientes que nos levam a sentir esse tipo de atra√ß√£o, que pode se tornar amor inconsciente.

√Äs vezes n√£o sabemos por que amamos profundamente uma pessoa: apenas temos um sentimento muito intenso. √Č por isso que estamos ao seu lado, felizes ou n√£o.



Esse amor nos leva a fazer escolhas que est√£o al√©m da nossa consci√™ncia e nossa consci√™ncia. Embora possa parecer dif√≠cil de entender se voc√™ n√£o viveu, essa din√Ęmica ocorre com frequ√™ncia.

O que diz a psican√°lise?

Sigmund Freud, o pai da psican√°lise, sugere que o inconsciente se manifesta por meio de sonhos, criatividade, erros e sintomas, entre outras dimens√Ķes. Portanto, poder√≠amos reconhecer esses aspectos prestando aten√ß√£o √†s suas manifesta√ß√Ķes. A psican√°lise tamb√©m nos permite acessar esse conte√ļdo.

A própria psicanálise afirma que muitas vezes fazemos escolhas inconscientes, e um deles poderia ser o amor. E fazemos com base no desenvolvimento da nossa personalidade, das nossas experiências e da cultura de referência.

Gra√ßas √† a√ß√£o dos mecanismos inconscientes, buscar√≠amos um amor que satisfizesse nossas defici√™ncias, mesmo aquelas que n√£o conhecemos, que isolamos e aprendemos. √Č por isso que √© dif√≠cil entender por que somos pressionados a fazer escolhas que podem ser t√≥xicas para nossa vida. Sem saber de onde vem, agimos sem saber.

Mas o amor inconsciente não deve ser confundido com o amor tóxico: um amor inconsciente também pode não ser tóxico. Isso dependerá dos mecanismos ativados e das experiências pessoais. Também pode ser o amor cego, no qual não enxergamos o outro objetivamente e o idealizamos, esperando que ele atenda todas as nossas expectativas.

Características do amor inconsciente

Vamos tentar indicar as principais características do amor inconsciente:

  • Idealiza√ß√£o. Pode ser um tra√ßo de amor inconsciente quando superestimamos algu√©m para preencher nossas lacunas. Em outras palavras, n√≥s o usamos como um mecanismo de defesa.
  • Encher. √Č uma forma de satisfazer nossas necessidades, uma constru√ß√£o mental que, como sugeriu o psicanalista franc√™s Lacan, depende da cultura e da linguagem.
  • Gioia. √Č uma satisfa√ß√£o instintiva, ou melhor, a uni√£o entre a dimens√£o simb√≥lica e a realidade.
  • Instintivo. Referimo-nos a um amor que vem do mais profundo do nosso ser: instintos, impulsos e desejo. Aspectos que escapam ao nosso eu consciente.
  • Imagem mental inconsciente. Essa imagem influencia nossas escolhas e √© resultado de experi√™ncias, desejos, instintos, medos e legados.

O amor inconsciente vai além do que vemos na realidade. Ela se move pelos caminhos marcados pelo nosso universo interior. E nos deixa perplexos porque ignoramos seus mecanismos.



Como reconhecer o amor inconsciente?

Pode parecer complicado, mas existem v√°rias maneiras de reconhecer o amor inconsciente. Deve ficar claro, no entanto, que nunca teremos controle absoluto sobre ele. Aqui est√£o algumas ferramentas para identific√°-lo:


  • Autoconhecimento. Prestar aten√ß√£o ao que acontece dentro de n√≥s pode nos ajudar a sentir um amor que est√° al√©m da consci√™ncia. Embora nos seja imposs√≠vel acessar todo o seu conte√ļdo, podemos ver uma parte dele atrav√©s das manifesta√ß√Ķes do inconsciente.
  • Psicoterapia. O psicoterapeuta pode nos ajudar a enxergar os aspectos que n√£o vemos, pois ele √© especialista em identificar manifesta√ß√Ķes. Al√©m disso, ele √© capaz de traduzi-los em palavras que s√£o compreens√≠veis para n√≥s.
  • N√£o sabemos por que amamos quem amamos. Se nos perguntarmos o que fazemos com nosso parceiro, pode ser amor inconsciente.
  • Quando n√£o sabemos descrever o sentimento que tentamos. Se n√£o soubermos como isso aconteceu e n√£o pudermos colocar nossos sentimentos em palavras, pode ser amor inconsciente.
  • Idealizamos o parceiro. Usamos a idealiza√ß√£o como mecanismo de defesa para escapar de nossa ang√ļstia.
  • Automutila√ß√£o sem saber por qu√™. Quando temos um relacionamento t√≥xico, damos tudo e n√£o sabemos como fugir porque h√° ‚Äúalgo‚ÄĚ - n√£o sabemos o qu√™ - que nos liga a essa pessoa.
  • Nossas ideias sobre o amor n√£o representam o amor verdadeiro. Quando o amor que sentimos n√£o corresponde ao ideal que temos sobre esse sentimento.

O amor inconsciente vai al√©m de toda l√≥gica. √Č dif√≠cil de entender e colocar em palavras. √Č uma sensa√ß√£o intensa, mas n√£o sabemos como surgiu nem por qu√™.


√Č um amor que vem de nossas velhas feridas, de desejos, experi√™ncias, medos, heran√ßas, impulsos. Isso pode nos levar a fazer escolhas que nunca ter√≠amos considerado. Um amor que nos muda, porque nos parece t√£o estranho, mas na verdade est√° intimamente relacionado ao nosso mundo interior.

Adicione um coment√°rio do Amor inconsciente: quando se torna?
Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.

End of content

No more pages to load