close
    search Buscar

    10 palavras tóxicas que você deve eliminar do seu vocabulário hoje

    Quem sou
    Joe Dispenza
    @joedispenza
    FONTES CONSULTADAS:

    wikipedia.org

    Comentários sobre o item:

    aviso de conteúdo

    Normalmente não prestamos muita atenção às palavras que usamos. Tendemos a acreditar que os escolhemos ao acaso, conforme exigido pelas circunstâncias, mas na realidade está demonstrado que cada um tem uma forma única de falar, como se fosse um “traço verbal”.

    Na verdade, um estudo conduzido na Universidade VU em Amsterdã descobriu que os extrovertidos escolhem palavras que são muito diferentes dos introvertidos. Os introvertidos preferem falar em termos mais concretos e específicos, usando uma linguagem mais cautelosa, cheia de "talvez" e "provavelmente", enquanto os extrovertidos escolhem palavras mais vagas e abstratas na linguagem cotidiana, mas são mais diretos na expressão de seus desejos.



    Sem dúvida, as palavras têm um impacto forte porque não só servem para descrever o mundo, mas também acabam por criar o nosso. No famoso romance "1984" de George Orwell, o escritor se refere ao enorme poder da linguagem para moldar nossa realidade. Na verdade, a Novilíngua que deveria ter se implantado em seu mundo distópico deveria ter sido "uma linguagem articulada que emergia da laringe sem envolver os centros cerebrais". Em outro capítulo, ele diz: "A cada ano haverá menos palavras, de modo que o âmbito de ação da consciência será cada vez menor."

    A Programação Neuro-Linguística aborda a importância das palavras na construção de nossos modelos de mundo. O diálogo que mantemos conosco acaba se tornando nossa verdade, por isso é importante não abandoná-lo aos estereótipos sociais ou aos cânones que nos foram incutidos na infância.

    As palavras tóxicas que sabotam sua felicidade

    1. Culpa. Costumamos dizer que nos sentimos culpados, mas não temos plena consciência das repercussões dessa palavra. Sentir-se culpado implica supor que há algo de errado conosco, que algumas de nossas características de pessoa não são adequadas, o que gera profunda angústia existencial. Em vez disso, devemos usar palavras muito mais precisas, como “Sinto muito pelo que fiz”, o que significa que nosso comportamento não foi correto, mas que não há algo terrivelmente errado conosco.



    2. Falência. Henry Ford disse que "o fracasso é uma grande oportunidade para recomeçar com mais inteligência". Na verdade, o fracasso não existe, existem apenas experiências de vida que nos levam para uma direção ou outra. Pensar em termos de fracasso significa tomar o critério da sociedade e adaptar-se aos seus modelos de sucesso, de modo que, se não nos adaptarmos, presumamos que fracassamos. Portanto, em vez de falar em termos de fracasso, devemos falar em termos de experiências de vida.

    3. Dever. A palavra dever é um dos laços mais fortes que nos unem, inventado pela sociedade para gerar em nós o sentimento de culpa quando não queremos fazer algo, quando nossos impulsos e desejos nos empurram na direção oposta e não vemos nenhum lucro nesse ato. Muitas pessoas arruinaram suas vidas porque sempre usaram "Devo" em vez de "Eu quero". O problema com o "dever" é que ele nos faz funcionar como robôs, nos levando a fazer algo que não queremos. A solução está em encontrar o significado e fazer com que o "necessário" se converta em "querer". Devemos prestar mais atenção a estes versos de Dulce María Loynaz: “dos sonhos que tive e pude viver até agora; dos diamantes oferecidos com relutância, não poderia viver um único dia ". Isso significa que você deve buscar aquilo que o ama e deixar que as pessoas ao seu redor façam o mesmo.

    4. Impossível. Não se trata de assumir um positivismo ingênuo, é importante ser realista. No entanto, usamos a palavra "impossível" muito mais do que seria aconselhável. Tanto é verdade que, muitas vezes, substitui a palavra "improvável". Em nossa mente, transformamos o improvável em impossível, excluindo-nos, assim, de um mundo de oportunidades que, por menores que sejam, podem crescer com determinação. Em qualquer caso, é melhor pensar em termos de probabilidade do que assumir palavras lapidares como "nunca" ou "impossível". Confúcio nos dá uma ideia para enfrentar esse desafio: “quando a meta parece impossível para você, não mude a meta; procure uma nova forma de chegar lá ”.



    5. Eu odeio O ódio é uma das emoções mais perversas que existem porque acaba causando enormes danos, principalmente em quem o vivencia. É óbvio que o ódio existe, não podemos eliminá-lo, mas devemos nos certificar de ser muito mais específicos ao catalogar nossas emoções. É provável que o que rotulamos como ódio seja, na verdade, ressentimento, frustração ou raiva, mas rotulá-lo como ódio o fará crescer e se tornar verdadeiramente aquela emoção que nos rouba a paz.

    6. Sempre. O problema dessa palavra é que geralmente sai da nossa boca quando tentamos repreender alguém: "você sempre se comporta assim", ou quando tentamos defender algo: "sempre fizemos assim". Porém, “sempre” é sinônimo de quietude, portanto é uma palavra que não se ajusta à realidade, simplesmente porque as coisas estão mudando constantemente. Essa palavra muitas vezes esconde a resistência à mudança, o desejo de se apegar ao passado e a negação da evolução. Portanto, é importante usar essa palavra com muito cuidado.

    7. maio. Como a palavra sempre, também nunca é uma palavra imóvel que não reflete fielmente a realidade, que está em constante evolução. Esta palavra é o reflexo de uma visão rígida que nos impede as oportunidades ou novos caminhos que se abram diante de nós. Ficar aberto às mudanças é fundamental porque nos permitirá nos adaptar, pensar que algo nunca pode acontecer pode nos causar uma grande decepção.

    8. Problema. A palavra "problema" tem implicações muito negativas porque a associamos a obstáculos e dificuldades. Quando o incluímos em nosso diálogo interno, nosso cérebro reage imediatamente, disparando todos os alarmes e gerando um estado de estresse e ansiedade. Podemos redimensioná-lo, imaginando que é realmente uma oportunidade, ou podemos escolher um caminho mais simples e substituí-lo diretamente pela palavra “desafio”. Afinal, todos os problemas são apenas desafios que implicam que mudamos alguma coisa. Podemos escolher se vamos focar em seu aspecto negativo ou destacar a possibilidade de mudança.



    9. Mais cedo ou mais tarde. Milton Erickson disse que "um golo sem data é apenas um sonho". Se você é uma daquelas pessoas que sempre diz a si mesma: “mais cedo ou mais tarde eu farei”, então é provável que tenha colocado seus planos de vida em espera. Essas palavras geralmente escondem o medo do fracasso, de sair da zona de conforto ou a falta de confiança nas próprias habilidades. Se realmente queremos algo, precisamos nos envolver e elaborar um plano de ação. Caso contrário, "mais cedo ou mais tarde" se tornará "nunca".

    10. Provo. Faça ou não, mas não tente. Dizer que tentaremos fazer algo muitas vezes significa que não estamos confiantes o suficiente, que não estamos comprometidos o suficiente e / ou que não somos capazes o suficiente. De qualquer forma, significa começar com o pé errado. É verdade que nem sempre as coisas correm como planejado e nem sempre podemos atingir os objetivos que nos propusemos, mas devemos começar com uma atitude positiva.

     

    Adicione um comentário a partir de 10 palavras tóxicas que você deve eliminar do seu vocabulário hoje
    Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.